Terroristas na Igreja

Imprimir

Esta é uma série de sermões de John MacArthur sobre a Carta de Judas. Veja os links dos sermões já publicados no final do texto.


Em nosso estudo da Carta de Judas, identificamos essa epístola como um instrumento contra aqueles que guerreiam contra a verdade. No verso 3, temos: “exortando-vos a batalhardes, diligentemente, pela fé que uma vez por todas foi entregue aos santos”. Vamos hoje começar a olhar para os versículos 8 e seguintes.

Vemos a mídia exibindo imagens de terroristas. Esses terroristas têm a atenção do mundo, eles representam um novo tipo de guerra muito mortal, muito diferente da guerra convencional. E eles são muito, muito eficazes. Vemos a todo tempo suas ações em todo o mundo. E o que faz os terroristas tão perigosos e tão mortais realmente se resume a duas coisas:

  • A primeira, é que eles não são facilmente visíveis, usam todos os disfarces para se ocultarem no meio da multidão. Não sabemos onde eles estão, o que eles vão fazer, como eles vão fazer ou quando eles vão fazer. Geralmente não descobrimos isso até que um novo ataque mortal aconteça.
  • A segunda coisa que os torna tão perigosos é que eles estão dispostos a se matar por sua causa. Sempre houve terroristas, mas o novo terrorista suicida eleva o terrorismo a outro nível, porque ele não teme o que pode ameaça-lo.

A única proteção contra as suas atividades mortais depende de discernir quem eles são antes que ataquem. Desmascarar os terroristas é fundamental. E o mundo está ocupado com isso, caçando-os, fazendo tudo o que podem para descobrir os terroristas antes dos seus atos terríveis. Temos que descobri-los, desmascará-los, expô-los e, portanto, proteger as pessoas deles. Nós entendemos que isso é uma função do governo. Na verdade, biblicamente, essa é uma das poucas funções legítimas do governo.

O governo traz consigo a espada (Rom. 13:4). Isso quer dizer que Deus deu ao governo o direito de matar para proteger a vida. Como cristãos, entendemos como bíblica essa ação do governo. No entanto, ao mesmo tempo, o povo cristão e a igreja evangélica parecem alheios, desinteressados e indiferentes aos terroristas que Satanás infiltrou na igreja com o objetivo de explodi-la em pedaços.

Há uma guerra espiritual acontecendo dentro da igreja, travada de forma terrorista por inimigos disfarçados de anjos de luz e que se vestem de pele de ovelha. O que os torna tão perigosos para a igreja é a mesma coisa que torna os terroristas perigosos para uma nação. Não sabemos quem são eles e também eles não se importam de serem destruídos por suas próprias mentiras. Esses terroristas espirituais de Satanás foram plantados em toda parte para destruir pessoas e se autodestruírem. Eles não estão preocupados com o inferno eterno, apenas que seus alvos na igreja sejam destruídos.

Estamos vivendo em uma época em que o evangelicalismo é muito suave, despreocupado e indiferente com o que está acontecendo na igreja. Os verdadeiros crentes foram chamados por Judas para lutar fervorosamente pela fé, para se concentrar em lutar a batalha para proteger a igreja dos enganadores que atacam a verdade. O versículo 4 diz: “pois certos indivíduos se introduziram com dissimulação”, uma tática terrorista clássica.

Nós nem sempre sabemos quem eles são. O versículo 12 diz que “Estes homens são como rochas submersas”. Não é óbvio para a maioria quem eles sejam, nem parece ser muito preocupante para a maioria saber quem eles sejam. E porque eles não se importam em se autodestruir com suas próprias mentiras, são mortalmente perigosos, por não temerem o juízo eterno. De acordo com o versículo 13, para eles “tem sido guardada a negridão das trevas, para sempre”. Mas isto não parece incomodá-los.

E assim, estamos lidando com o terrorismo na igreja. E quando digo igreja, quero dizer o sentido mais amplo da cristandade, o cristianismo. Eu quero que você entenda o que Judas tem a dizer ao descrever esses terroristas, desmascarando esses falsos mestres apóstatas da igreja. Veja os versos de 8 a 16:

8 Ora, estes, da mesma sorte, quais sonhadores alucinados, não só contaminam a carne, como também rejeitam governo e difamam autoridades superiores.
9 Contudo, o arcanjo Miguel, quando contendia com o diabo e disputava a respeito do corpo de Moisés, não se atreveu a proferir juízo infamatório contra ele; pelo contrário, disse: O Senhor te repreenda!
10 Estes, porém, quanto a tudo o que não entendem, difamam; e, quanto a tudo o que compreendem por instinto natural, como brutos sem razão, até nessas coisas se corrompem.
11 Ai deles! Porque prosseguiram pelo caminho de Caim, e, movidos de ganância, se precipitaram no erro de Balaão, e pereceram na revolta de Corá.
12 Estes homens são como rochas submersas, em vossas festas de fraternidade, banqueteando-se juntos sem qualquer recato, pastores que a si mesmos se apascentam; nuvens sem água impelidas pelos ventos; árvores em plena estação dos frutos, destes desprovidas, duplamente mortas, desarraigadas;
13 ondas bravias do mar, que espumam as suas próprias sujidades; estrelas errantes, para as quais tem sido guardada a negridão das trevas, para sempre.
14 Quanto a estes foi que também profetizou Enoque, o sétimo depois de Adão, dizendo: Eis que veio o Senhor entre suas santas miríades,
15 para exercer juízo contra todos e para fazer convictos todos os ímpios, acerca de todas as obras ímpias que impiamente praticaram e acerca de todas as palavras insolentes que ímpios pecadores proferiram contra ele.
16 Os tais são murmuradores, são descontentes, andando segundo as suas paixões. A sua boca vive propalando grandes arrogâncias; são aduladores dos outros, por motivos interesseiros.

Descrição incrível! Clara, extensa, dramática, até mesmo surpreendente e muito em paralelo com II Pedro 2. Judas está escrevendo sobre falsos mestres apóstatas. Apostasia significando desertar, partir, abandonar. A apostasia é desertar da fé, ouvir o verdadeiro evangelho, talvez professar até crer no verdadeiro evangelho, e depois abandoná-lo. É o mais terrível dos males para o qual o inferno mais terrível é reservado. Estar exposto à verdade do evangelho e rejeitá-lo é se colocar no lugar mais severo do tormento eterno.

A apostasia é o afastamento da verdade de Deus, do evangelho e de tudo que Deus disse. Deuteronômio 32:15 diz que Israel “deixou a Deus, que o fez, e desprezou a Rocha da sua salvação”. Em I Crônicas 28:9, Davi alerta Salomão sobre os perigos da apostasia:

E tu, meu filho Salomão, conhece o Deus de teu pai, e serve-o com um coração perfeito e com uma alma voluntária; porque esquadrinha o SENHOR todos os corações, e entende todas as imaginações dos pensamentos; se o buscares, será achado de ti; porém, se o deixares, rejeitar-te-á para sempre.

Jeremias 17:5 diz: “Maldito o homem que confia no homem, e faz da carne o seu braço, e aparta o seu coração do SENHOR!”. Ezequiel 18:24 diz:

Mas, desviando-se o justo da sua justiça, e cometendo a iniquidade, fazendo conforme todas as abominações que faz o ímpio, porventura viverá? De todas as justiças que tiver feito não se fará memória; na sua transgressão com que transgrediu, e no seu pecado com que pecou, neles morrerá.

Ezequiel trata de um homem justo que se volta para o pecado. Sua antiga justiça não era sincera e Deus não se lembrará disso com uma expressão válida de fé. Foi sobre isso que João tratou acerca dos apóstatas na igreja primitiva:

Saíram de nós, mas não eram de nós; porque, se fossem de nós, ficariam conosco; mas isto é para que se manifestasse que não são todos de nós. (I João 2:19)

Em João 6, lemos sobre muitos dos que estavam com Jesus e se afastaram:

2 E grande multidão o seguia, porque via os sinais que operava sobre os enfermos.
28 Disseram-lhe, pois: Que faremos para executarmos as obras de Deus?
31 Nossos pais comeram o maná no deserto, como está escrito: Deu-lhes a comer o pão do céu.
35 E Jesus lhes disse: Eu sou o pão da vida; aquele que vem a mim não terá fome, e quem crê em mim nunca terá sede.
60 Muitos, pois, dos seus discípulos, ouvindo isto, disseram: Duro é este discurso; quem o pode ouvir?
66 Desde então muitos dos seus discípulos tornaram para trás, e já não andavam com ele.

Em João 15:6, Jesus diz: “Se alguém não estiver em mim, será lançado fora, como a vara, e secará; e os colhem e lançam no fogo, e ardem”. Um contraste com João 10:27-28, onde Jesus diz: “As minhas ovelhas ouvem a minha voz, e eu conheço-as, e elas me seguem; E dou-lhes a vida eterna, e nunca hão de perecer, e ninguém as arrebatará da minha mão”Hebreus 6 trata de como devemos levar a sério o Evangelho. Não podemos negligenciar aquilo que foi construído através do sangue de Cordeiro.

A apostasia é identificada em toda a Bíblia como uma deserção da verdade, onde alguém após ter ouvido, conhecido e até mesmo professado crer, rejeita deliberadamente a verdade eterna. A rejeição deliberada da verdade é o mais grave pecado, trazendo julgamento eterno mais severo.

Agora, Judas está se dirigindo aos apóstatas, os falsos mestres apóstatas, aqueles que se tornam instrumentos de Satanás, que desertam da fé e tornam-se terroristas mortais embutidos na igreja. Eles são como o mundo dos terroristas hoje. Nem todos os apóstatas permanecem na igreja como terroristas, como agentes de Satanás disfarçados de anjos de luz, mas há muitos deles bem camuflados, e, muitas vezes ocupando posição de liderança.

Muitos líderes cristãos sucumbiram diante do mundo e se tornaram pregadores liberais. Podem ocupar altas posições nas estruturas religiosas ou comandarem seitas heréticas. Podem ser professores de uma universidade ou seminário cristão. Às vezes são eruditos e estão em alta visibilidade por seus escritos e palavras. Às vezes são pregadores na mídia, curadores que se apresentam na televisão. Esses terroristas ensinam mentiras e trazem destruição à igreja. Eles, agindo como terroristas espirituais, explodem as almas das pessoas. São os agentes de Satanás na igreja para corromper e destruir.

Veja o que diz II Pedro 2:1-3 diz:

1 Assim como, no meio do povo, surgiram falsos profetas, assim também haverá entre vós falsos mestres, os quais introduzirão, dissimuladamente, heresias destruidoras, até ao ponto de renegarem o Soberano Senhor que os resgatou, trazendo sobre si mesmos repentina destruição.
2 E muitos seguirão as suas práticas libertinas, e, por causa deles, será infamado o caminho da verdade;
3 também, movidos por avareza, farão comércio de vós, com palavras fictícias; para eles o juízo lavrado há longo tempo não tarda, e a sua destruição não dorme.

Pedro e Judas são enfáticos em falar da destruição que vem da ação desses apóstatas. Eles são muito parecidos com os terroristas. Eles se camuflam no meio da igreja para trazer destruição.

A segunda carta de Pedro foi muito provavelmente escrita antes de Judas. Pedro diz que eles estão vindo, Judas diz que eles já haviam chegado. Nos versículos 5 ao 11, temos o desmascaramento dos inimigos espirituais de nosso Senhor, os inimigos espirituais da verdade, os terroristas na igreja, tão perigosos a ponto de exigirem linguagem tão viva, tão pungente e condenação tão severa.

Nos versículos 5 a 7, Judas trata de três casos de julgamentos de apóstatas. No verso 5, ele trata da incredulidade de Israel. No verso 6, ele trata da rebelião dos anjos. No verso 7, ele trata da prostituição de Sodoma, Gomorra e as cidades circunvizinhas. Nos versos 8 a 10, ele fala de três características da natureza apóstata, mostrando que esses falsos mestres são: imorais, insubordinados e irreverentes. E então, no verso 11, ele apresenta uma trindade de apóstatas: Caim, Balaão e Corá. Três comparações de influência apóstata. É uma série muito cuidadosamente trabalhada de três trios. Isso indica que o autor pensou nisso e o resumiu apropriadamente para que compreendêssemos e lembrássemos. Isso nos ajuda a identificar e desmascarar os apóstatas.

Primeiro dos três casos de julgamento apóstata, versículos 5 a 7 da carta de Judas. Vamos revisar rapidamente, porque já vimos no último sermão.

5 Quero, pois, lembrar-vos, embora já estejais cientes de tudo uma vez por todas, que o Senhor, tendo libertado um povo, tirando-o da terra do Egito, destruiu, depois, os que não creram;
6 e a anjos, os que não guardaram o seu estado original, mas abandonaram o seu próprio domicílio, ele tem guardado sob trevas, em algemas eternas, para o juízo do grande Dia;
7 como Sodoma, e Gomorra, e as cidades circunvizinhas, que, havendo-se entregado à prostituição como aqueles, seguindo após outra carne, são postas para exemplo do fogo eterno, sofrendo punição.

Judas diz que a primeira ilustração é Israel. Deus libertou os israelitas do Egito, mas eles se tornaram imorais, insubordinados e irreverentes, como veremos, Deus os destruiu no deserto por causa da apostasia.

E então, os anjos que habitavam com Deus no céu dos céus se rebelaram, abandonaram sua morada adequada. E, como nós aprendemos, eles se tornaram o que chamamos de demônios, alguns deles desceram e coabitaram com as filhas dos homens, como registrado no capítulo 6 de Gênesis, em uma das terríveis expressões do mal do mundo, que fez Deus afogar a Terra no Dilúvio. E Deus os tem “guardado sob trevas, em algemas eternas, para o juízo do grande Dia”.

E então, é claro, vem Sodoma e Gomorra. Quão terrível era o pecado ali, onde as paixões homossexuais eram tão fortes que os homens da cidade tentaram estuprar os anjos que foram visitar Ló. Em cada caso há julgamento.

Já tratamos dos três casos de julgamentos apóstatas. Chegamos, então, ao segundo ponto: três características da natureza apóstata. E é aqui que aprendemos porque Deus os julgará severamente. Vou me esforçar para explicar da melhor maneira possível, oro para que o Senhor me capacite a ajudá-los a entender o que Ele está dizendo. Veja o versículo 8:

Da mesma forma, quais sonhadores alucinados, não só contaminam a carne, como também rejeitam governo e difamam autoridades superiores.

Judas se refere às pessoas identificada no versículo 4:

Pois certos indivíduos se introduziram com dissimulação, os quais, desde muito, foram antecipadamente pronunciados para esta condenação, homens ímpios, que transformam em libertinagem a graça de nosso Deus e negam o nosso único Soberano e Senhor, Jesus Cristo.

Ao dizer no verso 4 “da mesma forma”, ele se refere ao fato de Israel ter se envolvido na imoralidade. Quando Moisés desceu da montanha, Israel estava mergulhado na imoralidade, na rebelião, murmuração e desobediência. Também se engajou na irreverência, adorando um ídolo e violando a ordem que Deus havia dado na montanha.

Também os anjos caídos se envolveram em imoralidade com as filhas dos homens, e eles eram caídos por causa da rebelião. Eles desafiavam a Deus. Sodoma e Gomorra também estavam mergulhadas na imoralidade e rebelião contra Deus.

Os apóstatas são irreverentes, imorais e insubordinados como o povo rebelde de Israel, os anjos caídos e Sodoma e Gomorra. Os apóstatas fazem a mesma coisa. Eles contaminam a carne, isso é imoralidade. Eles rejeitam a autoridade, isso é insubordinação. Eles revoltam as majestades angelicais, isso é irreverência. E existem as três características da natureza apóstata. Se você quiser identificar um apóstata, procure por essas três coisas: imoralidade, insubordinação e irreverência. Você quer outra palavra para irreverência? Blasfêmia.

O versículo 8 diz que esses apóstatas são “sonhadores alucinados”. O que isto quer dizer? A palavra normal para sonho é “onarand”, é usada no Novo Testamento para falar sobre um sonho. Mas a palavra usada aqui é “enupniazomenoi”, usada apenas em apenas outro lugar no Novo Testamento: Atos 2. No sermão de Pedro no dia de Pentecostes, citando o profeta Joel, ele disse:

O que ocorre é o que foi dito por intermédio do profeta Joel: E acontecerá nos últimos dias, diz o Senhor, que derramarei do meu Espírito sobre toda a carne; vossos filhos e vossas filhas profetizarão, vossos jovens terão visões, e sonharão vossos velhos. (Atos 2:16-17)

Essas palavras estão em Joel 2: 28-29. A palavra grega usada excepcionalmente para sonho é apenas usada por Pedro no Pentecostes e no verso 8 da carta de Judas.

As visões e profecias cessaram com a conclusão do Novo Testamento, quando Deus revelou tudo que a igreja precisa. Mas, a profecia de Joel será completamente cumprida no reino milenar. O pentecostes foi apenas um pré-cumprimento, um aperitivo do que acontecerá no reino milenar, quando o Espírito será derramado sobre toda a carne. Últimos dias se referem ao período da vinda de Jesus até o Seu retorno.

Os falsos mestres, inevitavelmente, precisam ter uma fonte para servir de lastro para seus enganos, algo que possa lhes dar autoridade convincente perante as pessoas. Eles não podem simplesmente dizer: “Eu acho”; “Eu sinto”; “Nós temos um comitê em nosso grupo e chegamos a esta conclusão”. Não é assim que eles agem. Os falsos mestres e apóstatas, realmente eficazes, inevitavelmente dizem que Deus se comunica com eles de maneira secreta por meio de sonhos e visões, e que essas são experiências reveladoras. É assim que falsos profetas, como Benny Hinn, fazem. Eles rejeitam e desfiguram a Palavra de Deus, e transmitem uma ilusão, colocando Deus como autor de suas aberrações.

Esses apóstatas com suas mentes corrompidas e malignas permanecem na igreja para destruir, são terroristas espirituais controlados por Satanás, não possuem nada além de ideias sensuais pervertidas que circulam em suas mentes e se tornam a autoridade por seus próprios enganos. Na sua forma mais simples, eles rejeitam a Palavra de Deus e baseiam suas mentiras nas reflexões de seus próprios cérebros iludidos. No seu auge, eles afirmam que Deus fala com eles através de visões e sonhos. Mas a linha de fundo é que eles não estão dispostos a se curvar à autoridade da Palavra de Deus. São falsos mestres que precisam ter uma fonte para seus enganos.

Veja Deuteronômio 13: 1-3, que diz:

1 Quando profeta ou sonhador se levantar no meio de ti e te anunciar um sinal ou prodígio,
2 e suceder o tal sinal ou prodígio de que te houver falado, e disser: Vamos após outros deuses, que não conheceste, e sirvamo-los,
3 não ouvirás as palavras desse profeta ou sonhador…
5 Esse profeta ou sonhador será morto, pois pregou rebeldia contra o SENHOR,

Aqui esta um teste. Veja que o sinal ou prodígio do apóstata se cumpriu, mas o tal introduziu uma afronta à Palavra de Deus. O Senhor disse que Israel não deveria ouvi-lo e o apóstata deveria ser morto. Satanás pode produzir sinais através de apóstatas, mas esses apóstatas vão sempre direcionar as pessoas ao erro, eles são imorais, insubordinados e irreverentes.

Os sinais milagrosos nunca tiveram o propósito de servir de teste para a verdade. A predição de um profeta ou sonhador pode se realizar, mas se a mensagem for contrária á vontade de Deus, devemos permanecer na Palavra e desprezar experiências. O resultado da apostasia sempre visa atacar a glória que é devida somente a Deus. Se alguém aparecer e disser que Deus falou com ele em um sonho, apegue-se à Palavra de Deus. Não siga o sonhador.

Olhe para Jeremias 23.

1 Ai dos pastores que destroem e dispersam as ovelhas do meu pasto! – diz o SENHOR.
25 Tenho ouvido o que dizem aqueles profetas, proclamando mentiras em meu nome, dizendo: Sonhei, sonhei.
26 Até quando sucederá isso no coração dos profetas que proclamam mentiras, que proclamam só o engano do próprio coração?
27 Os quais cuidam em fazer que o meu povo se esqueça do meu nome pelos seus sonhos que cada um conta ao seu companheiro, assim como seus pais se esqueceram do meu nome, por causa de Baal.
31 Eis que eu sou contra esses profetas, diz o SENHOR, que pregam a sua própria palavra e afirmam: Ele disse.
32 Eis que eu sou contra os que profetizam sonhos mentirosos, diz o SENHOR, e os contam, e com as suas mentiras e leviandades fazem errar o meu povo; pois eu não os enviei, nem lhes dei ordem; e também proveito nenhum trouxeram a este povo, diz o SENHOR.

Quando uma pessoa falsamente diz que recebeu uma revelação de Deus, ela será punida por estar pervertendo a verdade do Senhor. Tais apóstatas promovem destruição e causam danos graves. Colossenses 2:18 diz: “Ninguém se faça árbitro contra vós outros, pretextando humildade e culto dos anjos, baseando-se em visões, enfatuado, sem motivo algum, na sua mente carnal”. Muitos enganadores estão no meio da igreja pervertendo o caminho da verdade. I Timóteo 4:1-2 diz:

O Espírito expressamente diz que nos últimos tempos apostatarão alguns da fé, dando ouvidos a espíritos enganadores, e a doutrinas de demônios; Pela hipocrisia de homens que falam mentiras, tendo cauterizada a sua própria consciência;

Cuidado com aquelas pessoas que são sonhadoras! Elas moldam um falso Cristo de acordo com suas mentes cheias de mentiras e enganos. Assim, elas produzem doutrinas do inferno para promover destruição. Esses sonhadores são imorais, insubordinados e irreverentes.

Há três características básicas nos apóstatas. A primeira, vemos no versículo 8 de Judas: sonhadores alucinados que contaminam a carne. Carne significa aqui o corpo físico. Não está falando sobre a essência da depravação tratada em Romanos 7. Está falando sobre o corpo real. No original, o significado é de poluir, corromper.

Os falsos mestres apóstatas são inevitavelmente imorais. Isto é resultado de caminharem pelo caminho da mentira. Pode não ser publicamente visível, porque eles o encobrem. O verso 19 diz que eles são “sensuais, que não têm o Espírito”Não há poder divino dado pelo Espírito a eles para restringir a carne. Os falsos mestres apóstatas são imorais, no coração e na conduta.

Eles podem aparentar alguma virtude, usar vestes clericais e reivindicar títulos religiosos, mas eles amam as trevas. Eles são como Israel, cometendo adultério ao pé do monte Sinai. Eles são como os anjos que desceram e perverteram a humanidade. Eles são como Sodoma e Gomorra. Eles podem mascarar por um tempo, mas eles são imorais.

Quando vejo essas pessoas na televisão, quando olho para os teólogos liberais, quando olho para as atividades escandalosas no sacerdócio católico, vejo como essas pessoas se comportam, elas não têm capacidade de conter a carne. Por outro lado, os apóstatas são mortalmente perigosos. II Pedro 2 diz:

1 Assim como, no meio do povo, surgiram falsos profetas, assim também haverá entre vós falsos mestres, os quais introduzirão, dissimuladamente, heresias destruidoras…
13 recebendo injustiça por salário da injustiça que praticam. Considerando como prazer a sua luxúria carnal em pleno dia, quais nódoas e deformidades, eles se regalam nas suas próprias mistificações, enquanto banqueteiam junto convosco;
14 tendo os olhos cheios de adultério e insaciáveis no pecado, engodando almas inconstantes, tendo coração exercitado na avareza, filhos malditos;
15 abandonando o reto caminho, se extraviaram, seguindo pelo caminho de Balaão, filho de Beor, que amou o prêmio da injustiça.
17 Esses tais são como fonte sem água, como névoas impelidas por temporal. Para eles está reservada a negridão das trevas;
18 porquanto, proferindo palavras jactanciosas de vaidade, engodam com paixões carnais, por suas libertinagens, aqueles que estavam prestes a fugir dos que andam no erro.

E você se lembra do que Gálatas 5 diz? “Os atos da carne são imoralidade, impureza, sensualidade”. Veja que essas três obras da carne são as primeiras a ser enumeradas nessa lista. É aí que tudo começa. Foi por causa de imoralidade que Israel foi deixado no deserto. Foi por causa de imoralidade que os anjos foram amarrados em correntes. Foi por causa de imoralidade que Sodoma e Gomorra foram destruídas.

Em segundo lugar, eles rejeitam a autoridade. Obviamente, se você vai viver uma vida imoral, você terá que rejeitar a autoridade, isto é, a autoridade divina. No idioma original, e quando relacionado ao verso 4, o sentido é de rejeitar o senhorio de Cristo. Eles não ficam sob a autoridade do Senhor Jesus Cristo, mas sob suas próprias autoridades autointituladas. Isso é arrogância, isso é uma reação arrogante ao governo e autoridade de Deus e do senhorio de Cristo sobre Sua igreja.

Um cristão dever ter sua vontade ligada à autoridade de Cristo. Ele se realiza em estar comprometido com o senhorio de Cristo, este é seu maior desejo. Mas os apóstatas não são assim. Eles não se submetem ao senhorio revelado de Cristo através das Escrituras. Mas, em vez disso, eles têm sua própria teologia e seus próprios pontos de vista, vindos de seus próprios sonhos ou imaginação. Isso é muita arrogância. Eles relativizam ou mesmo negam as Escrituras.

I Coríntios 10 diz que Israel se rebelou contra Cristo, que era a fonte espiritual na travessia do deserto. Os anjos se rebelaram contra o Senhor Jesus, que era o Senhor do céu. Sodoma e Gomorra se rebelaram contra o divino soberano do céu, que compartilha Seu governo com Seu Filho eterno, de acordo com João 5. Não é novidade rejeitar o senhorio.

Israel tinha desprezo pelo governo de Deus. Os israelitas reclamaram, murmuraram, desobedeceram, pecaram e adoraram ídolos. Os anjos caídos tinham desprezo pelo governo de Deus. Satanás e seus seguidores se amotinaram em um esforço para destronar o Santo Soberano. Sodoma e Gomorra tinham desprezo pela verdadeira lei de Deus e pelo verdadeiro Deus. Imoralidade e insubordinação sempre andam juntas. Se você é subordinado à Palavra de Deus e à autoridade de Deus, você não será imoral, porque fará o que é agradável ao Senhor. Os falsos mestres são como os escribas e fariseus descritos em Mateus 23:

27 Ai de vós, escribas e fariseus, hipócritas, porque sois semelhantes aos sepulcros caiados, que, por fora, se mostram belos, mas interiormente estão cheios de ossos de mortos e de toda imundícia!
28 Assim também vós exteriormente pareceis justos aos homens, mas, por dentro, estais cheios de hipocrisia e de iniquidade.

Jesus é o Senhor da igreja. Você não pode ser um cristão se não vive debaixo do senhorio de Cristo. Os apóstatas batalham contra essa verdade e difundem uma falsa fé salvadora desassociada da obediência. A confissão do senhorio de Cristo é um elemento essencial da salvação (Romanos 10:9).

E muitos estão professando uma falsa fé. O antinomianismo é uma crença de que não há leis morais que Deus espera que os cristãos obedeçam. Esta heresia busca acomodar o homem em seus pecados e apresenta um Cristo que é salvador de homens que permanecem escravos do pecado. 1 João 2:3-6 declara:

E nisto sabemos que o conhecemos; se guardamos os seus mandamentos. Aquele que diz: Eu o conheço, e não guarda os seus mandamentos, é mentiroso, e nele não está a verdade; mas qualquer que guarda a sua palavra, nele realmente se tem aperfeiçoado o amor de Deus. E nisto sabemos que estamos nele; aquele que diz estar nele, também deve andar como ele andou.

Se você vai viver uma vida imoral, terá que encontrar uma falsa doutrina para aliviar sua consciência. E assim, inevitavelmente, os apóstatas são imorais e insubordinadas para com a Palavra de Deus. Jesus não é salvador de quem Ele não seja Senhor. Nisso se encaixam perfeitamente os liberais modernos que querem ganhar o mundo com suas mentiras diplomáticas e não com o Evangelho.

Vamos falar rapidamente de uma terceira característica, e concluiremos na próxima vez. Eles blasfemam. O verso 8 diz que eles “difamam autoridades superiores”. O sentido grego é de difamar “majestades angelicais”, como ilustrado no verso 9. O grego é “doxas”, de onde temos a palavra doxologia, que é uma palavra que significa glória. Eles blasfemam das glóriasE poderia se referir à glória de Deus, à glória de Cristo e às glórias da verdade divina. Mas, vou lhe dizer isso, a palavra “blasfêmia” é clara o suficiente em sua intenção de ser identificada com qualquer coisa que seja sagrada.

Blasfemar é basicamente amaldiçoar o que é sagrado. Eles são irreverentes. E podemos ver como muitos tratam de Cristo de forma blasfemadora. Eu, literalmente, sinto-me mal quando vejo Jesus sendo deturpado de maneira estúpida em um filme ridículo que tira a Sua glória. Essas pessoas, que afirmam representar a Cristo e afirmam ser estudiosos do Novo Testamento, são, na verdade, blasfemadores. Os anjos caídos blasfemaram a glória dos céus. Sodoma e Gomorra blasfemaram os santos anjos. Israel blasfemou ao adorar ídolos. É um assunto muito sério.

Vamos continuar falando sobre este ponto na próxima vez. Vamos orar.

Senhor, isto é tão importante para nós. Nós lamentamos sobre os escombros da igreja, sobre a imoralidade e a insubordinação e a irreverência daqueles que afirmam representar-Te. Ajuda-nos a sermos perspicazes e fiéis, e nos equipe para sermos efetivos na sincera batalha pela fé. Nós amamos o Senhor, ansiamos por Te servir de forma eficaz. Essas coisas pedimos com grande gratidão. Amém.


Esta é uma série de sermões de John MacArthur sobre a Carta de Judas. Abaixo links dos sermões já publicados.


Este texto é uma síntese do sermão “How to Identify Terrorists in the Church″, de John MacArthur em 04/04/2004.

Você pode ouvi-lo integralmente (em inglês) no link abaixo:

https://www.gty.org/library/sermons-library/65-7/how-to-identify-terrorists-in-the-church

Tradução e síntese feitos pelo site Rei Eterno


 

Você pode gostar...

1 Resultado

  1. Lukanu J. Vissi disse:

    Que o Senhor abençoe este homem. Tem tido um grande impacto na igreja de Cristo. o Steven Lawson está certo, ele de facto é o Calvino dos nossos dias.

    Eu escrevo a partir de África (Angola), temos vivido momentos dificieis na igreja por causa da falta de conhecimento. Alguns ignorando a exegêse e outros indo além dela. Precisamos de muita ajuda vossa amados irmãos.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.