A Esperança com Fundamento

Imprimir
O futuro da humanidade parece estar na mente de muitas pessoas. Elas estão preocupadas. Livros e filmes estão sempre tratando deste assunto, abordando algum tipo de aniquilação da humanidade.

Essa preocupação leva as pessoas a pensarem na necessidade de desenvolverem algum tipo de segurança quanto ao seu futuro. E todo tipo de recurso é buscado.

Alguns buscam alguma religiosidade e outros confiam na sua própria engenhosidade para tentar prolongar a vida ou enganar a morte. Em síntese, as pessoas buscam algo que lhes dê alguma segurança em relação ao futuro.

Algumas pessoas descartam tudo e acreditam que na morte do corpo tudo se acaba eternamente. E assim, lançam-se à busca do prazer sem limites de qualquer ordem.

Os homens não regenerados vivem “sem Cristo, separados da comunidade de Israel e estranhos às alianças da promessa, não tendo esperança e sem Deus no mundo”.

Qualquer pessoa sem Deus e sem Cristo não tem nenhuma esperança para o futuro. E sem esperança a morte assume proporções aterrorizantes, tudo que resta é uma eternidade sombria.Uma vida sem esperança é assustadora. Aqueles que não colocaram sua esperança em Jesus Cristo confundem esperança com “vontade” ou “desejo”. Eles estão sempre esperando por algo especial que saciará seus desejos.

Mas, na Bíblia esperança não é um desejo, é uma realidade – um fato ainda não realizado. A esperança bíblica é um fato que Deus prometeu e cumprirá. A esperança é a postura espiritual que nos leva a olhar confiantemente para o futuro e nos motiva a buscar a semelhança com Cristo com o máximo esforço.

A esperança é segura

A qual temos por âncora da alma, segura e firme e que penetra além do véu, onde Jesus, como precursor, entrou por nós, tendo-se tornado sumo sacerdote para sempre” (Hebreus 6:19-20).

Nossa esperança é uma âncora, ou seja, não é algo móvel ou abalável. Ela está incorporada em Cristo, que entrou no Santo dos Santos celestial em nosso favor.

Em I Pedro 1:3-6, o apóstolo nos dá uma tremenda prova da segurança de nossa esperança:

3 Bendito o Deus e Pai de nosso Senhor Jesus Cristo, que, segundo a sua muita misericórdia, nos regenerou para uma viva esperança, mediante a ressurreição de Jesus Cristo dentre os mortos,
4 para uma herança incorruptível, sem mácula, imarcescível, reservada nos céus para vós outros
5 que sois guardados pelo poder de Deus, mediante a fé, para a salvação preparada para revelar-se no último tempo.
6 Nisso exultais, embora, no presente, por breve tempo, se necessário, sejais contristados por várias provações.

A esperança é uma parte essencial do evangelho

Damos sempre graças a Deus, Pai de nosso Senhor Jesus Cristo, quando oramos por vós desde que ouvimos da vossa fé em Cristo Jesus e do amor que tendes para com todos os santos; por causa da esperança que vos está preservada nos céus, da qual antes ouvistes pela palavra da verdade do evangelho (Col. 1:3-5).

O passado, presente e futuro de nossa salvação estão ligados no Evangelho. Em Tito 1:1-2, Paulo escreve:

Paulo, servo de Deus e apóstolo de Jesus Cristo, para promover a fé que é dos eleitos de Deus e o pleno conhecimento da verdade segundo a piedade, na esperança da vida eterna que o Deus que não pode mentir prometeu antes dos tempos eternos.

Ele pregou o evangelho para que os eleitos de Deus fossem salvos. Esse é o aspecto passado – nossa justificação. Aqueles a quem Deus escolheu ouvem e creem no Evangelho, e então são justificados por ele. O aspecto presente é o pleno “conhecimento da verdade segundo a piedade”. Essa é a santificação. O aspecto futuro é a esperança da vida eterna, que é a nossa glorificação.

Cristo levou toda a nossa iniquidade em seu próprio corpo na cruz. Deus imputou em nós a justiça de Cristo. No presente estamos sendo salvos do poder do pecado, porque o Espírito Santo e a verdade das Escrituras nos dão vitória sobre o pecado. E seremos salvos da presença do pecado quando um dia, no futuro, formos para o céu. Sem a promessa da glória futura o Evangelho seria uma promessa vazia, em vez de algo seguro.

A esperança nos faz perseverar

E não somente ela, mas também nós, que temos as primícias do Espírito, igualmente gememos em nosso íntimo, aguardando a adoção de filhos, a redenção do nosso corpo. Porque, na esperança, fomos salvos. Ora, esperança que se vê não é esperança; pois o que alguém vê, como o espera? Mas, se esperamos o que não vemos, com paciência o aguardamos. Sabemos que todas as coisas cooperam para o bem daqueles que amam a Deus, daqueles que são chamados segundo o seu propósito. Porquanto aos que de antemão conheceu, também os predestinou para serem conformes à imagem de seu Filho, a fim de que ele seja o primogênito entre muitos irmãos (Romanos 8: 23-25;28-30).

Nossa esperança é a glória. Queremos vivenciar a redenção do nosso corpo e finalmente nos livrarmos da batalha pecaminosa na nossa carne. Esse é o único elemento da nossa salvação que ainda temos de realizar. Embora seja futuro, está prometido, comprometido e garantido. Assim, para nós, é a glória real.

É por isso que perseveramos enquanto aguardamos ansiosamente pela nossa glorificação. Não importam as provações e lutas com que nos depararemos enquanto esperamos, podemos estar seguros que Deus cumprirá seu chamado em nós e nos levará para a glória. Desde que Deus fez os esforços para nos justificar, podemos estar certos de que ele também nos glorificará, porque esse é seu plano.

Característica da esperança

1. Provém de Deus: Não é subjetiva, não é uma ilusão secular que diz que você pode ser qualquer coisa que queira ser. Você não pode criar ou controlar o futuro. Você não tem poder e nem conhecimento para fazer isto. Deus é a fonte de nossa esperança. O Salmo 43:5 diz que devemos esperar em Deus.

2. É um dom da graça: Não é algo que merecemos. Deus dá a quem Ele quer, de acordo com Sua soberania. II Tessalonicenses 2:16 diz que Deus “que nos amou e nos deu eterna consolação e boa esperança, pela graça”.

3. É definida pela Escritura: Quando precisamos de consolo e encorajamento, devemos olhar para a Palavra de Deus, é dela que provém a esperança. Romanos 15:4 diz: “Pois tudo quanto, outrora, foi escrito para o nosso ensino foi escrito, a fim de que, pela paciência e pela consolação das Escrituras, tenhamos esperança”.

4. É racional: É definida pelas Escrituras e não por qualquer outra coisa mística ou material. I Pedro 3:15 diz: “antes, santificai a Cristo, como Senhor, em vosso coração, estando sempre preparados para responder a todo aquele que vos pedir razão da esperança que há em vós”.

5. É garantida pela ressurreição de Cristo: I Pedro 1:3 diz: “Bendito o Deus e Pai de nosso Senhor Jesus Cristo, que, segundo a sua muita misericórdia, nos regenerou para uma viva esperança, mediante a ressurreição de Jesus Cristo dentre os mortos”. Em João 14:9 Jesus diz: “Porque eu vivo, vós também vivereis”. Essa é a nossa esperança.

6. É confirmada pelo Espírito Santo: Romanos 15:13 diz: “E o Deus da esperança vos encha de todo o gozo e paz no vosso crer, para que sejais ricos de esperança no poder do Espírito Santo”. O conhecimento da Escritura trabalha com o poder energizante do Espírito Santo para nos sustentar em horas sombrias, capacitando-nos a permanecer firmes em nossa esperança.

7. É uma defesa contra os ataques de Satanás: Satanás quer que duvidemos de Deus e o questionemos. Ele ataca nossa mente com dúvidas sobre a realidade de nossa salvação. I Tessalonicenses 5:8 nos anima a “tomar como capacete a esperança da salvação”. I Pedro 1:5 diz que somos “guardados pelo poder de Deus, mediante a fé, para a salvação preparada para revelar-se no último tempo”. Em João 6:37-39 e 10:28-29 Jesus diz:

Todo aquele que o Pai me dá, esse virá a mim; e o que vem a mim, de modo nenhum o lançarei fora. Porque eu desci do céu, não para fazer a minha própria vontade, e sim a vontade daquele que me enviou. E a vontade de quem me enviou é esta: que nenhum eu perca de todos os que me deu; pelo contrário, eu o ressuscitarei no último dia.

As minhas ovelhas ouvem a minha voz; eu as conheço, e elas me seguem. Eu lhes dou a vida eterna; jamais perecerão, e ninguém as arrebatará da minha mão. Aquilo que meu Pai me deu é maior do que tudo; e da mão do Pai ninguém pode arrebatar.

As Escrituras Sagradas nos dão a base sobre a qual devemos construir nossa esperança.

8. É fortalecida pelas provações: Quanto mais somos provados, mais podemos exercitar nossa esperança. E quanto mais a exercitamos, mais forte ela se torna, capacitando-nos a enfrentar sofrimentos maiores. Ao vivenciar mais e mais provações, mais ansiaremos pelo céu. O céu se torna mais precioso. É assim que opera a graça de Deus. Tiago 1:4,12 diz:

Ora, a perseverança deve ter ação completa, para que sejais perfeitos e íntegros, em nada deficientes. Bem-aventurado o homem que suporta, com perseverança, a provação; porque, depois de ter sido aprovado, receberá a coroa da vida, a qual o Senhor prometeu aos que o amam.

9. Produz alegria: Mesmo em meio a tristezas, nossa esperança produzirá alegria. Romanos 12:2 e 15: 13 dizem:

Alegrai-vos na esperança, sede pacientes na tribulação, perseverai na oração.
O Deus de esperança vos encha de todo o gozo e paz em crença, para que abundeis em esperança pela virtude do Espírito Santo.

Quando temos esperança em Deus, temos alegria.

10. Será cumprida na volta de Jesus Cristo

Na morte, nosso espírito é levado para o céu, mas nosso corpo ainda tem que ser ressuscitado. Ele aguarda o arrebatamento da igreja (I Tess. 4:16-17). Romanos 8:17 diz:

E, se nós somos filhos, somos logo herdeiros também, herdeiros de Deus, e co-herdeiros de Cristo: se é certo que com ele padecemos, para que também com ele sejamos glorificados.

A prática da esperança

Como nossa esperança afeta nossa vida neste momento? Ainda não experimentamos a conclusão total de nossa esperança, que será alcançada na primeira ressurreição dos mortos. I João 3:2 diz: “Amados, agora, somos filhos de Deus, e ainda não se manifestou o que haveremos de ser. Sabemos que, quando ele se manifestar, seremos semelhantes a ele, porque haveremos de vê-lo como ele é”. Assim seremos perfeitos como o Senhor é. Assim nossa esperança estará plenamente realizada.

1. A Esperança é garantida pela perseverança:

Filhinhos, agora, pois, permanecei nele, para que, quando ele se manifestar, tenhamos confiança e dele não nos afastemos envergonhados na sua vinda. (I João 2:28)

Na volta do Senhor os santos o receberão com júbilo, mas os ímpios se esconderão “nas cavernas e nos penhascos dos montes e dirão aos montes: Caí sobre nós, escondei-nos da face daquele que se assenta no trono e da ira do Cordeiro” (Apocalipse 6:15-16).

A volta de Cristo não produz temor em nós, mas uma certeza fundamentada de grande alegria. Jesus disse: “permanecei em mim, e eu permanecerei em vós” (João 15:4). Permanecer é persistir. Uma evidência de que experimentamos verdadeiramente a salvação. O crente verdadeiro pode pecar e tropeçar, mas jamais negará o Senhor ou rejeitará o Evangelho. Jesus disse: “Se vós permanecerdes na minha palavra, sois verdadeiramente meus discípulos” (João 8:31).

Quando o apóstolo João falou sobre aqueles que abandonaram a comunhão da igreja, ele disse: “Eles saíram de nosso meio; entretanto, não eram dos nossos; porque, se tivessem sido dos nossos, teriam permanecido conosco; todavia, eles se foram para que ficasse manifesto que nenhum deles é dos nossos” (I João 2:19).

O chamado para perseverar não contradiz o papel de Deus em sustentar nossa salvação. Ele não perderá nenhuma de suas ovelhas e conduzirá todas para a glória. Mas, esta verdade só aumenta nossa responsabilidade e amor por Ele. A perseverança mantem alta as chamas da esperança. Foi isto que levou Paulo a dizer:

Combati o bom combate, completei a carreira, guardei a fé. Já agora a coroa da justiça me está guardada, a qual o Senhor, reto juiz, me dará naquele Dia; e não somente a mim, mas também a todos quantos amam a sua vinda (II Timóteo 4:7-8).

2. A Esperança produz justiça

Se sabeis que ele é justo, reconhecei também que todo aquele que pratica a justiça é nascido dele (I João 2:29).

“Pratica a justiça” está no presente do indicativo, significando ação contínua. Efésios 4:24 diz: “e vos revistais do novo homem, criado segundo Deus, em justiça e retidão procedentes da verdade”.

Nossa esperança deve resultar em um comportamento justo. Um cristão revela seu verdadeiro caráter por seus frutos. Jesus disse: “Eu sou a videira, vós as varas; quem está em mim, e eu nele, esse dá muito fruto; porque sem mim nada podeis fazer” (João 15:5). Se um pretenso cristão não tem anseio pela justiça, sua fé é duvidosa. Os bem-aventurados são os que têm fome e sede de justiça.

3. A esperança é estabelecida no amor

Vede que grande amor nos tem concedido o Pai, a ponto de sermos chamados filhos de Deus (I João 3:1).

Mas, a todos quantos o receberam, deu-lhes o poder de serem feitos filhos de Deus, aos que creem no seu nome; Os quais não nasceram do sangue, nem da vontade da carne, nem da vontade do homem, mas de Deus (João 1:12-13).

João escreve admirado do amor do Pai, que conferiu a pecadores indignos a condição de serem feitos filhos de Deus. A expressão “que grande amor” refere-se a algo estranho, inconcebível e inimaginável. No verso 4:9, ele diz: “Nisto se manifestou o amor de Deus em nós: em haver Deus enviado o seu Filho unigênito ao mundo, para vivermos por meio dele”. O Perfeito veio sacrificar a Si próprio para nossa redenção. No verso 3:1 diz: “Por essa razão, o mundo não nos conhece, porquanto não o conheceu a ele mesmo”. O mundo não pode compreender o amor de Deus, porque não pode entender o evangelho.

4. A Esperança é cumprida na semelhança a Cristo

Amados, agora, somos filhos de Deus, e ainda não se manifestou o que haveremos de ser. Sabemos que, quando ele se manifestar, seremos semelhantes a ele, porque haveremos de vê-lo como ele é (I João 3:2)

Deus nos “predestinou para sermos conforme a imagem de seu Filho” (Rom. 8:29). O plano de Deus é redimir seus eleitos e torna-los como Seu Filho. Quando Jesus vier para arrebatar sua igreja, veremos o cumprimento desse projeto, quando nos tornamos iguais a Jesus Cristo.

Em Filipenses 3:14, Paulo diz: “Prossigo para o alvo, pelo prêmio da soberana vocação de Deus em Cristo Jesus”. Tanto o alvo como o prêmio é a semelhança a Cristo. O objetivo de nossa salvação é sermos iguais a Cristo, o cumprimento de nossa esperança é a semelhança a Cristo e a busca de nossa vida é sermos cada vez mais como Cristo.

5. A esperança é garantida pela pureza

“E a si mesmo se purifica todo o que nele tem esta esperança, assim como ele é puro” (I João 3:3).

Viver com a expectativa de encontrar Jesus face a face causará um efeito purificador em nossas vidas. Quando Ele nos encontrar, avaliará nossas obras e nos recompensará (I Cor. 3:10-15). Mas, é possível que alguém perca seu prêmio. II João 8 diz: “Olhai por vós mesmos, para que não percamos o que temos ganho, antes recebamos o inteiro galardão”.

Essa é a nossa esperança. Ela não deveria nos amedrontar. Ao contrário, ela deveria encher nosso coração de alegria.

 

Sintetizado do texto “Esperança: Nosso Futuro Está Garantido”  –  John MacArthur

 

Você pode gostar...

Deixe uma resposta