A Obsessão Destruidora

Imprimir
Saul é um exemplo de como a obsessão gera cegueira espiritual…
Ele desobedeceu, não confessou seu pecado e achou uma justificativa…
Sua obsessão o conduziu a mais uma desobediência…
Mas agora sequer justificou. Argumentou que havia obedecido a Deus…
E ainda alegou que seu ato foi para oferecer sacrifícios a Deus…

Quão lamentável cegueira tomou conta dele.
Samuel o questiona: “Deus prefere sacrifícios no lugar da obediência?”
E diz: “Rejeitaste a Palavra de Deus e Ele te rejeitou a ti…”

E, mesmo assim, a triste reação de Saul não foi de contrição…
Ele amava obcecadamente o trono, e não a Deus…
E faz um miserável pedido a Samuel: “Honra-me diante dos anciãos e do povo”…
Mas Deus diz a Samuel: “Não tenhas dó de Saul, Eu o rejeitei”.

A obsessão nos faz pensar bem de nós mesmos…
A tal ponto de não enxergarmos nossos pecados ou então justifica-los…
O mentiroso conhece seu pecado, mas procura enganar os outros…
O obcecado crê e diz aos outros que não tem pecado…
É a terrível cegueira destruidora.

Deus nos livre da obsessão e nos dê um coração contrito e humilde…
E ilumine nossos olhos espirituais para enxergarmos como Ele nos vê.

Leitura de I Samuel 13 a 16

Você pode gostar...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *