O STF e o Ensino Domiciliar

Imprimir

Divulgamos, abaixo, importante vídeo do canal Direito Sem Juridiquês, comentando a absurda decisão do STF sobre o ensino domiciliar.

Estaremos publicando, a partir de hoje, alguns materiais sobre o assunto, animando às famílias que decidiram não entregar a César o que é Deus, a permanecerem firmes em educar seus filhos em casa.

Há 18 anos praticamos o ensino domiciliar. Meu filho nunca pisou os pés em uma escola, fez o supletivo e o ENEM, e começou este ano a Faculdade de Direito.  Tem fluência em inglês e espanhol, aprendidos em casa (aulas virtuais e estudos com materiais gratuitos na WEB). Mas, acima de tudo, profundo conhecedor da Palavra de Deus, vida piedosa e totalmente comprometido com o Reino de Deus.  

O Estado brasileiro não é laico, é anticristão. As doutrinas socialistas são anticristãs. 

raciocínio dialético que o marxismo impôs à sociedade só permite dois extremos em lados opostos. Se você não concordar com os termos do movimento ecumênico, negro, LBGT, feminista, ambientalista e outros controlados pelos marxistas, você é intolerante religioso, racista, homofóbico, machista, destruidor da natureza, fascista, reacionário etc. Você tem que ser e pensar o que eles querem que você seja e pense. 

Por isso as escolas e faculdades, controladas por marxistas, estão realizando uma profunda lavagem cerebral sobre toda uma geração. O marxismo busca desconstruir, através da dialética,  tudo o que se oponha aos seus objetivos. E o que ele quer desconstruir? O cristianismo. Isso está muito claro nos escritos de Karl Marx. Mesmo assim, o cristianismo está sendo invadido por lideranças marxistas, como aqueles dois palestrantes.   

No “Manifesto do Partido Comunista”, Karl Marx literalmente prega a destruição do burguês, do Estado burguês e da família burguesa. Em seu livro “A questão judaica”, Marx identifica quem são esses três “burgueses” a serem destruídos: O burguês é o cristão, o Estado burguês é o Estado cristão e a família burguesa é a família cristã. Nesse livro ele levantou a bandeira da emancipação da humanidade, que seria a destruição de Deus. Seu grande aliado socialista, Mikhail Bakunin, com quem Marx compartilhava as mesmas ideias e de quem rompeu mais tarde por meras disputas pela liderança do socialismo internacional, em seu livro “Deus e o Estado”, explicou bem o que seria esta emancipação:

Deus queria, pois, que o homem, privado de toda consciência de si mesmo, permanecesse um eterno animal, sempre de quatro patas diante do Deus “vivo”, seu criador e seu senhor. Mas eis que chega Satã, o eterno revoltado, o primeiro livre-pensador e o  emancipador dos mundos! Ele faz o homem se envergonhar de sua ignorância e de sua obediência bestiais; ele o emancipa, imprime em sua fronte a marca da liberdade e da humanidade, levando-o a desobedecer e a provar do fruto da ciência.

A Escola, dominada integralmente por essa filosofia, é o principal instrumento para se fabricar pessoas seriadas, intelectualmente despreparadas para desenvolver raciocínio crítico. É muito trágico que pessoas que se autodenominam “cristãos”, estejam comprometidos com as ideias dos inimigos declarados de Deus!

 

Você pode gostar...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *