O Exército Invisível de Deus (1)

Imprimir
Vamos começar uma série chamada “O Exército Invisível”, falando sobre anjos. Iremos lidar com assuntos teológicos. E assim, vamos começar a entrar na mensagem sobre os anjos, e trataremos particularmente dos anjos piedosos, bons, santos e eleitos, como eles são chamados na Escritura, em oposição aos anjos caídos, conhecidos comumente como demônios.

Nós já tratamos desse assunto muitas vezes e, recentemente, em nosso estudo sobre a carta de Judas, você lembrará, nós nos envolvemos profundamente na compreensão da organização e  da natureza dos anjos caídos. E assim, queremos olhar, pelo menos dar tempo igual, aos santos anjos neste estudo.

Camille Flammarion disse isso, e pode ajudá-lo a ter uma idéia da imensidão do espaço:

Então, eu entendo que todas as estrelas que já foram observadas no céu, os milhões de corpos luminosos, os sóis de toda magnitude e de cada grau de brilho, sistemas solares, planetas e satélites, que por milhões e centenas de milhões se sucedem no vazio que nos rodeia – seja lá qual for o sentido do que a língua humana designa pelo nome de Universo – não representam mais do que uma ilha no infinito, não mais do que uma cidade, no total de grande população. Nesta cidade do império ilimitado, nosso sol e seu sistema representam uma casa; uma casa única entre milhões de habitantes. A Terra é uma sala naquela casa solar.

É impressionante perceber a vastidão do espaço. Frequentemente me perguntam: “Você acredita que existam seres em outros lugares além da Terra?” E minha resposta é sempre: “Sim, é claro que eles existem. O universo tem um trânsito de seres, através dele”. A próxima pergunta que geralmente vem é: “Oh, você acredita em OVNIs?!”.

Sim, eu acredito em objetos voadores não identificados – não naqueles girando como um tipo de disco de brinquedo glorificado. Eu acredito que a Bíblia diz que existem seres que ocupam o universo, literalmente milhões deles, preenchendo o vazio ao nosso redor. Seu número é incontável, e eles vivem na esfera celestial. Eles são seres incríveis. E, desde a criação do homem, eles se misturaram nos assuntos humanos.

Por exemplo, em Hebreus 13, versículo 2, é dito: Não vos esqueçais da hospitalidade, porque por ela alguns, não o sabendo, hospedaram anjos. Um dos homens mais originais que já viveu, e cuja biografia eu estava relendo novamente esta semana, porque toca meu coração toda vez que leio, é John Paton, o missionário das Novas Hébridas. Ele conta uma história sobre alguns cuidados angélicos que recebeu em sua vida.

Ele disse que numa noite, os nativos selvagens cercaram sua casa, dançando e pulando desesperadamente na selva, desejando matá-lo e à sua esposa. Bem, eles se ajoelharam, percebendo que não havia nenhuma maneira de se protegerem contra aqueles canibais selvagens, e oraram. Logo depois, os atacantes desapareceram na selva, foram embora. De acordo com o biógrafo de Paton, um ano depois, o chefe da tribo tornou-se um cristão, e John perguntou a ele  sobre o que aconteceu naquela noite quando os nativos cercaram sua pequena casa e, de repente,  foram embora. E isso é o que o chefe lhe disse: “Bem, por causa de todos aqueles homens que estavam com você, nós fomos embora”. John disse: “Não havia homens, só estávamos eu e minha esposa”. O chefe disse que tinham visto homens de guarda, centenas de homens grandes com roupas brilhantes, com espadas em suas mãos, circulando totalmente a sua casa.

Deus enviou uma legião de anjos para proteger seu servo? Não seria a primeira vez que Ele fez isso. Em 2 Reis, capítulo 6, nos é dito algo muito interessante: E servo do homem de Deus se levantou muito cedo e saiu, e eis que um exército tinha cercado a cidade com cavalos e carros; então o seu servo lhe disse: Ai, meu senhor! Que faremos?. O “homem de Deus” aí é Eliseu. Eles estavam sitiados. Veja a resposta de Eliseu: Não temas; porque mais são os que estão conosco do que os que estão com eles. Você pode até imaginar a resposta do servo: “Estão conosco!?”.

Verso 17: E orou Eliseu, e disse: Senhor, peço-te que lhe abras os olhos, para que veja. E o Senhor abriu os olhos do jovem e ele viu. Você sabe o que viu? O verso continua: eis que o monte estava cheio de cavalos e carros de fogo, em redor de Eliseu. Agora, esse é o exército invisível, queridos.

Durante a Segunda Guerra Mundial, o capitão Eddie Rickenbacker foi abatido no Oceano Pacífico. Por semanas ele esteve perdido, e você se lembra da história de sua deriva no oceano, pois ela é muito conhecida. Finalmente, quando ele voltou, resgatado da deriva, essa era sua história, com suas próprias palavras:

E esta parte eu hesitaria contar, se não tivessem seis testemunhas que viram isso comigo. Uma gaivota veio do nada e pousou na minha cabeça no meio do Pacífico. Estiquei minha mão gentilmente, levantei-a e matei-a. Nós a dividimos igualmente entre nós. Comemos a cada pedacinho. Nunca comi algo tão bom. Não tenho explicação, exceto que Deus enviou um de seus anjos para nos socorrer.

Você já leu a surpreendente história da Cavalaria Branca em Bethune, França, em abril de 1918? Gwynn Day o registra em seu livro “The Wonder of the Word, Moody press, l957” [A Maravilha da Palavra]. É o que ele diz:

A história da Cavalaria Branca em Bethune é atestada por milhares de alemães e, nas palavras de um oficial prussiano, foi assim: Nós estávamos avançando nossas tropas, todos estavam com excelentes espíritos, cantando enquanto caminhavam, pensando que os britânicos estavam agora derrotados e tudo o que restava era avançar sem oposição e capturar Paris. Ao meu lado estava o tenente Fritz, e de repente agarrou meu braço, dizendo: ‘Olha, Capitão, há um grande grupo de homens montados que se aproximam de Bethune do outro lado. Por que eles estão vestidos de branco e estão montados em cavalos brancos? Quem podem ser?’. ‘Eu não sei’, respondi. ‘Eles podem ser tropas coloniais britânicas’. Nós paramos instintivamente e ficamos assistindo aquela cavalaria de uniforme branco que avançava silenciosamente através da fumaça, suas figuras claramente delineadas no sol brilhante. Nós vimos as bombas quebrarem em fragmentos mortais, explodindo em meio a suas fileiras com estrondos que abalaram o chão, e isso logo foi seguido por disparos intensos de metralhadoras contra eles, que os levou de um lado para o outro, de um modo que parecesse impossível para alguém sobreviver.

Porém,  a Cavalaria Branca veio silenciosamente para frente em um trote lento, e nem um homem e nem um cavalo caíram. Resistentes, eles avançaram. E, na frente deles, cavalgava seu líder, uma bela imagem de um homem. Ao seu lado havia uma grande espada, não uma espada de cavalaria, mas semelhante à usada pelos cruzados. E suas mãos permaneciam tranquilamente segurando as rédeas de seu grande cavalo branco, enquanto se deslocava com orgulho. Então, um pavor tomou conta de mim e eu me encontrei fugindo daquela incansável tropa de Cavalaria Branca, assustado, aterrorizado. Ao meu redor, havia muitos homens, anteriormente um exército, agora uma multidão, assustada e com medo, todos fugindo deles, mas mais especialmente desse líder maravilhoso em seu grande cavalo branco. O exército de Oerman é derrotado, perdemos a guerra e é devido à Cavalaria Branca.

Você diz: “O que é isso?” Talvez o Salmo 34:7 explique: “O anjo do Senhor acampa-se ao redor dos que o temem, e os livra.” Você sabe o que as pessoas creram acerca dessa história? Que Deus havia respondido as orações do povo britânico e livrou a Inglaterra. Ele teria respondido à oração enviando o Seu exército invisível e dando àqueles soldados, pelo menos, o vislumbre dos Seus exércitos? Muito possível. Você vê, o universo está ocupado por essas criaturas, e, embora geralmente a visão humana natural não possa vê-las, elas se misturam na Terra ao nosso redor.

Você sabe que é fascinante, no entanto, que quando você começa a falar sobre os santos anjos, as pessoas são mais céticas em relação a eles do que são quando você começa a falar sobre demônios? Numa dimensão que não podemos compreender, esses anjos estão por aí. Einstein disse: “É muito possível que em uma dimensão diferente no momento, um trem ferroviário esteja chegando no meio desta sala, só que não podemos percebê-lo, porque está em uma dimensão totalmente diferente”.

Esse local está carregado com anjos. Eles estão ao redor, e provavelmente há alguns demônios por aqui também. E só porque não podemos vê-los, não significa que eles não estejam aqui ou em outro lugar. Eles existem em uma dimensão que não podemos perceber, mas eles existem. John Milton disse: Milhões de criaturas espirituais andam pela terra sem poder serem vistas. Milhões. Quando a visão natural daquele jovem,  em 2 Reis 6,  foi transformada, ele viu o exército invisível, não foi? Ele viu.

Agora, não há dúvida sobre sua existência. O fato é que existem milhões deles, e, no entanto, as pessoas, em sua maior parte, ignoraram os santos anjos. Geralmente ninguém quer saber muito sobre eles. Você sabe, a perfeição e a justiça não são muito interessantes. Nós realmente nos interessamos mais pelos demônios do que pelos santos anjos, e talvez essa seja uma das razões pelas quais devemos estudar isso um pouco.

Nós temos um fascínio pelos demônios e ignoramos os anjos santos. O nosso mundo é vidrado em ocultismo e parece que isso nos influencia, de modo que nos preocupamos em saber apenas sobre os demônios. Mas, você sabia que existem 273 referências nas Escrituras acerca dos anjos? Agora, quantas vezes Deus tem que dizer algo para torná-lo verdadeiro? Apenas uma vez. Assim, 273 referências diferentes acerca dos anjos, eu diria que isso é demais para ignorar, não é?

Você diz: “Bem, então, por que os anjos sagrados foram ignorados?” Se eu pedisse à maioria dos cristãos que eu conheço:  “fale-me um pouco sobre os anjos”, a resposta provável seria “bem, vamos ver, eles têm asas, usam branco e voam por aí… “. São 273 referências e não sabemos muito sobre eles? Você diz: “Por que não?”. Eu tentei pensar um pouco nisso,  lendo um pouco de história, voltando aos meus antigos livros de história da igreja, para ter uma ideia do que aconteceu na igreja que nos fez esquecê-los. E eu encontrei algumas coisas interessantes.

Deixe-me oferecer-lhe algumas das razões pelas quais penso que ignoramos o estudo dos santos anjos. Número um: como reação contra a especulação ocorrida no passado.

Nos primeiros anos de desenvolvimento da teologia, houve uma grande quantidade de teologia especulativa. Sabe, eles estavam discutindo sobre coisas muito bobas, sem importância,  aspectos fantasiosos e caprichosos da teologia, sendo que muitos desses argumentos diziam respeito aos anjos.

Nos primeiros debates da teologia, costumava-se debater sobre os anjos. Discutia-se, por exemplo, sobre quantos anjos poderiam estar ao mesmo tempo na cabeça de um alfinete, ou se um anjo poderia estar em dois lugares ao mesmo tempo e se eles não pudessem, quão rápidos eles eram? Quanto tempo durou entre a criação e a queda? Na obra “O Inferno”, de Dante, é dito que eles caíram no pecado vinte segundos depois que eles foram criados. Eu não sei como ele sabia disso, mas foi o que ele disse...

Eles discutiram se o pecado do primeiro anjo causou o pecado do resto, ou se todos pecaram juntos. Eles discutiram sobre quantos deles caíram, embora isso parece ser um pouco claro em Apocalipse 12. Eles discutiram sobre se a nossa atmosfera é o lugar onde os anjos estão agora sendo punidos. Eles discutiram sobre anjos da guarda, e se você conseguiu ou não seu anjo da guarda quando foi batizado, quando nasceu ou quando foi concebido. E todo esse diálogo, e toda essa especulação, causaram uma reação inversa, de modo que verdadeiros estudiosos bíblicos deixaram de lado ao estudo dos anjos, você vê? Porque reagiram contra essa tolice.

Uma segunda razão pela qual o estudo dos santos anjos se tornou desinteressante nos últimos séculos foi devido à veneração dos anjos pela Igreja Católica Romana.

E o protestantismo reagiu contra isso. Você sabe que ao mesmo tempo que a Igreja Católica prega a adoração a Deus e a Cristo, ela também promove a adoração dos santos, certo? Veneração e culto significam o mesmo. Mas, você sabia que a Igreja Católica sempre promoveu, desde o século IV, a adoração dos anjos? E isso causou uma reação.

Por exemplo, Ludwig Ott diz em um livro sobre teologia católica – ele é um católico, e ele escreve para os católicos – ele diz: “A adoração dos anjos pelos homens é justificada”. Ele também diz: “A decisão no Concílio de Trento, que nos ensina a invocar e adorar os santos, também pode ser aplicada aos anjos”. Então, eles adoram os anjos, sendo que o primeiro a ser adorado foi Miguel. Na verdade, você sabia que no calendário católico há um evento chamado Festa de São Miguel Arcanjo? Ela ocorre no dia 29 de setembro.

Houve duas igrejas, famosas e grandes igrejas, construídas para glorificar e homenagear Miguel. Uma foi construída por Constantino, a poucos quilômetros de Constantinopla, ou Istambul, e a outra foi construída em Roma. Agora, você sabe que antes do século IV, quando a Igreja romana introduziu a adoração dos anjos, já havia adoração a anjos, mas era considerada uma heresia? Em Colossenses 2:18, Paulo os adverte contra os adoradores de anjos. Foi precisamente o que aconteceu.

Bem, como uma reação contra o culto aos anjos, a igreja protestante simplesmente não queria se envolver nessa coisa toda, e havia uma espécie de reação, uma aversão a isso.

Há um terceiro motivo que penso que justifique o desinteresse pelo estudo acerca dos anjos que chamo de reação ao paganismo.

Em todos os sistemas de religião que eu conheço, e todos os que eu poderia estudar historicamente, há crença em seres como os anjos. Você sabe por que que no Oriente, os chineses têm os telhados pontiagudos, os telhados tipo pagodes? Era para quando os demônios descessem, machucassem os traseiros naquelas pontas e, assim, não voltassem mais. E havia algumas outras configurações estranhas nos telhados, e isso era para garantir que os demônios tivessem dificuldade em conseguir um apoio para os pés. Os gnósticos, por exemplo, acreditavam em demônios, semideuses, gênios,  sub-deuses, anjos.

Filósofos pagãos falaram sobre seres espirituais. Sócrates, por exemplo, se referiu a um bom demônio. Ele o chamou de um bom demônio, que cuidou dele. E assim, o paganismo acabou lotado com o culto de diferentes espíritos múltiplos, sub deuses e semi-deuses, e assim por diante. E com toda essa confusão, a igreja se retirou e concentrou-se, adivinhe em quem? Em Cristo. E a igreja abandonou esse assunto de anjos, por ser tão confuso e misturado com o paganismo.

Uma quarta causa, penso eu, da negligência do estudo dos anjos é a era do racionalismo e da ciência.

Você sabe, uma vez que o mundo entrou no que se conhece como a revolução industrial, e tudo se voltou para a ciência, para o racionalismo no século XVIII, e a mente do homem se tornou a última palavra, aceitar o fato de que havia espíritos flutuantes em todos os lugares simplesmente não era razoável. E assim, o assunto foi posto de lado. A era do racionalismo simplesmente não permitia cogitar de um assunto como esses. A era do racionalismo acabou e agora estamos na era do que? Existencialismo ou experiência, em que as pessoas começaram a permitir que os demônios voltem à sua consciência, ou à sua compreensão, e os anjos venham junto com eles.

E acho que uma quinta razão, em um sentido muito moderno, desviou a atenção dos cristãos de estudar anjos, santos anjos, e essa é que o ocultismo nos influenciou a nos concentrar mais nos demônios.

Agora, esse é apenas um pouco de fundo para lhe dar uma ideia de porque eu sinto que há uma ignorância acerca dos santos anjos. E há muito pouco escrito sobre isso. Os escritos sobre anjos são antigos, muito antigos. Você pode retornar a anos e anos atrás, e aí encontrar o velho livro de Gaebelein sobre “Os Anjos de Deus”, e algumas pequenas coisas em teologias sistemáticas, mas não há muito.

Então, eu penso que devemos estudar sobre os anjos. Duzentas e setenta e três vezes Deus se refere a eles. Isso é digno de nossa atenção, você não acha? E quando terminarmos este estudo, você terá uma sensibilidade total para um universo inteiro cheio de novas criaturas que você nunca havia realmente entendido antes, mas com quem você passará toda a sua eternidade. Então, você também pode conhecê-los. Vocês estarão se misturando para sempre. Não faz sentido chegar no céu e dizer: “Quem é você?” Eles já estavam lá antes de você chegar.

Agora, você diz: “Qual é o benefício desse estudo?” Bem, acho que o benefício dele virá de muitos e diversos ângulos. Número um: ele vai mostrar uma nova visão do poder criativo de Deus. Isso irá te mostrar uma nova visão do tremendo controle soberano de Deus sobre o mundo e o Universo. Vai aumentar sua apreciação por Deus quando você vir o que Ele criou nestas hostes angélicas. E quando você começa a ver como elas operam, terá uma visão totalmente nova de quem é Deus.

Em segundo lugar, acho que você ficará entusiasmado ao descobrir que todos esses anjos, que são santos anjos, Deus designou, não apenas para servi-Lo, mas para servir a você e a mim. Os anjos estão ocupados nos atendendo. Isso é emocionante. Essa é provavelmente a coisa mais emocionante, e acho que é isso que vamos ver na semana que vem, ou a semana seguinte, ainda não tenho certeza. Então, será útil.

Agora, a terceira razão que penso ser significativa sobre este estudo é que ele vai nos forçar a estudar as Escrituras, e isso é bom, certo? Porque a única coisa que sabemos sobre os anjos está na Bíblia. Agora, obviamente, não podemos estudar todas as 273 referências. Então, vamos ter que escolher algumas delas, mas isso nos levará à Palavra de Deus.

Nós cremos na existência dos anjos porque a Bíblia os menciona 273 vezes. E quando nosso estudo estiver completo, sinto que você terá um conhecimento claro e significativo dessas criaturas maravilhosas, poderosas, sagradas e bonitas, que servem a Deus e nos servem. Agora, eu quero que vejamos basicamente três aspectos do que vamos estudar: nós vamos descobrir quem são os anjos, o que eles são, e como devemos responder a eles.

Olhemos, antes de tudo, para quem eles são, ou para a existência dos anjos.

Agora, sempre houve pessoas que não acreditavam em anjos. Você diz: “Mesmo nos tempos bíblicos?” Sim. “Você quer dizer mesmo pessoas que conheciam o Antigo Testamento?” Sim. Havia alguns líderes em Israel que não acreditavam em anjos. Ouça o que está dito em Atos 23: 8: Porque os saduceus dizem que não há ressurreição, nem anjo, nem espírito…. Agora, aqui estavam os racionalistas, aqui estavam os materialistas, que negavam os anjos.

Eles estavam certos? Não. Eles estavam errados. Você diz: “Como eles podem ser judeus?”. Bem, eles eram judeus liberais. Eles não aceitavam a ressurreição, e o Antigo Testamento ensinou sobre isso, mesmo no livro mais antigo do Antigo Testamento. Jó disse: “Porque eu sei que o meu Redentor vive, e que por fim se levantará sobre a terra. E depois de consumida a minha pele, contudo ainda em minha carne verei a Deus, por mim mesmo, e os meus olhos, e não outros o contemplarão; e por isso os meus rins se consomem no meu interior” (Jó 19:25-27). E assim, ele tinha conhecimento da ressurreição.

Os saduceus estavam completamente errados. Há muita evidência na Palavra de Deus sobre os anjos, de modo que não tem sentido dizer que não há anjos. Há anjos. De fato, o Antigo Testamento apresenta anjos como seres pessoais, que são mensageiros e ministros de Deus. Você leu o Antigo Testamento e viu que em toda a narrativa do Antigo Testamento os anjos estão em toda parte. Eles estão em todo lugar.

Se você fosse retirasse todos os anjos do Antigo Testamento, você faria uma bagunça. Você teria eventos inexplicáveis. Você teria buracos abertos na narrativa. Você teria eventos que não teriam qualquer maneira possível de ocorrer. Você teria problemas sem soluções, se removesse os anjos. Eles estão muito ocupados no Antigo Testamento. Eles estão em toda parte.

E sabe de uma coisa? Você colocaria Deus em xeque, Deus estaria tendo alucinações, como todos os outros que pensavam ter visto anjos. Porque, se não há anjos, quem Deus enviou o tempo todo? E quanto ao Novo Testamento? Você teria que rejeitar o Novo Testamento totalmente. Quem anunciou o nascimento de Cristo? Quem disse aos pastores para onde ir? Quem foi que veio a Jesus na Sua tentação, depois de ter jejuado durante quarenta dias, e ministrado a Ele, se os anjos não existem?

Quem veio ao túmulo e anunciou a ressurreição? Quem virá para reunir os eleitos dos quatro cantos do mundo? Quem é que libertou Pedro e João? Quero dizer, como eles poderiam sair de uma prisão com as fechaduras, as portas fechadas, o guarda ainda lá? Anjos o fizeram. Intervenções maravilhosas de seres sobrenaturais seriam reduzidas a mentiras no Novo Testamento.

Não haveria guerra espiritual na vida cristã, porque não haveria nenhum anjo, não haveria nenhum demônio, não haveria nem Satanás. Cristo teria imaginado Seu conflito com Satanás e, assim, o próprio Jesus estaria iludido. E tente ver o livro de Apocalipse sem anjos. Eles estão em toda parte. Desde o início da Bíblia até o fim da Bíblia – há anjos em todos os lugares.

Eu penso que o maior testemunho da existência de anjos é o testemunho de Jesus Cristo. Você conhece? Porque acredito no que Ele diz. E Jesus, em Seu próprio ensinamento, falou sobre anjos. Em Mateus 22, Ele disse: Eles são como os anjos no céu.” Ele estava falando de anjos. Em Mateus 24, falou sobre anjos. Em Mateus 26, falou sobre anjos. Em Mateus 18, falou sobre anjos. E isso é apenas um pouco sobre as dezenas de vezes que Ele falou sobre anjos.

Existem anjos. Eu acredito nisso porque a Bíblia diz isso. Também acredito porque eu já os encontrei. Eu já me defrontei com os anjos caídos e soube disso, e eu com certeza já encontrei os santos e não soube percebê-los. Eu sei que eles estão por aí. A Bíblia diz isso. Eu já me deparei com Satanás e com suas hostes malignas. Você não? A existência dos anjos está bastante bem estabelecida.

Agora, vejamos em segundo lugar a origem dos anjos.

Houve um tempo em que não havia anjos. Agora, o que isso significa para você? Que anjos foram o quê? Criados. São criaturas. Colossenses 1:16 diz, falando de Cristo: Porque nele foram criadas todas as coisas que há nos céus e na terra, visíveis e invisíveis, sejam tronos, sejam dominações, sejam principados, sejam potestades. Tudo foi criado por ele e para ele.

Houve algumas coisas criadas no céu. Você diz: “Bem, o que elas são?” Anjos. Você diz: “Bem, eu posso entender que as coisas na Terra’ somos nós. E eu posso entender que as coisas que são visíveis’, somos nós. Mas as coisas invisíveis no céu, o que elas são?”. Esses são anjos. E aqui no texto de Colossenses encontramos nomes diferentes para anjos: tronos, dominações, principados, potestades. Todas as coisas foram criadas por Ele, para Ele. Ele criou os anjos.

Esses são nomes que se referem a rankings de anjos no exército invisível. E o exército invisível está organizado. Estou dizendo que esse exército é super organizado. Está tudo catalogado e classificado. Eles foram feitos por Deus. Foram criados pelo Senhor Jesus Cristo. Veja Neemias 9: 6: Só tu és Senhor; tu fizeste o céu, o céu dos céus, e todo o seu exército, a terra e tudo quanto nela há, os mares e tudo quanto neles há, e tu os guardas com vida a todos; e o exército dos céus te adora. Deus criou não só o céu, mas aqueles que o que ocupam: os anjos.

Deus fez o céu e tudo o que está nele. E fez a terra e tudo o que está nela. Deus criou criaturas angélicas e criaturas terrestres. Fica claro, assim,  apenas por estas passagens, que os anjos foram criados. Outra indicação está em I Timóteo 6:15-16, que diz: “… único poderoso Senhor, Rei dos reis e Senhor dos senhores; Aquele que tem, ele só, a imortalidade…. O único  ser imortal que existe é quem? Deus. E se Deus é o único que tem imortalidade, então os anjos não são imortais, certo? Eles foram criados.

Veja o Salmo 148:2-5, que diz: Louvai-o, todos os seus anjos; louvai-o, todos os seus exércitos. Louvai-o, sol e lua; louvai-o, todas as estrelas luzentes. Louvai-o, céus dos céus, e as águas que estão sobre os céus. Louvem o nome do Senhor, pois mandou, e logo foram criados. Os anjos, no versículo 2, foram criados pelo comando de Deus, assim como todo o resto, como as nuvens e a terra, o sol e a lua e tudo mais.

Você diz: “John, quando eles foram criados?” Bem, eu não sei quando. Eles foram criados aparentemente antes do início do tempo. Eles foram criados antes do homem e da terra, porque já tinham caído antes de Gênesis capítulo 3. Para que Satanás já estivesse no jardim para tentar Eva. Mas, em Jó 38:7, e dito: “Quando as estrelas da alva juntas alegremente cantavam, e todos os filhos de Deus jubilavam?”. Agora, sobre o que esses anjos estão cantando? Sobre o que todos esses anjos estão jubilando?

Eu direi sobre o que eles estão jubilando. Versículos 4-6: Onde estavas tu, quando eu fundava a terra? Faze-mo saber, se tens inteligência. Quem lhe pôs as medidas, se é que o sabes? Ou quem estendeu sobre ela o cordel? Sobre que estão fundadas as suas bases, ou quem assentou a sua pedra de esquina…. Você tem as hostes angélicas cantando e jubilando na criação. Então, eles tiveram que ser criados antes da criação e assim, eles são anteriores à Terra.

Agora, não há procriação entre os anjos. Não há mãe e pai anjos. Todos foram criados diretamente por Deus. Eles não têm capacidade para se reproduzir. Em Mateus, capítulo 22, quando nosso Senhor estava discutindo a questão da ressurreição, Ele disse assim: Porque na ressurreição nem casam nem são dados em casamento; mas serão como os anjos de Deus no céu.(v. 30). Os anjos de Deus no céu não se casam. É o que Ele está dizendo. Não há procriação.

Deus ordenou instantaneamente e surgiram milhões de criaturas, cada uma criada independentemente. Eles não se reproduzem, não há aumento no seu número. Eles não morrem. Portanto, não há diminuição. A única mudança aconteceu quando Satanás levou após si a terça parte das estrelas do céu, e lançou-as sobre a terra(Ap. 12:4). Aparentemente, um terço desses anjos caiu e se tornou demônio, mas todos eles vão viver para sempre – alguns no inferno (todos que caíram), alguns no céu (todos os anjos santos).

Anjos incríveis, criados instantaneamente por Deus, e cada um criado independentemente do outro. Você sabe no que eu acredito? Eu acredito que eles são como flocos de neve. Eu não acredito que nenhum deles seja parecido um com o outro. As pessoas sempre querem dizer: “Bem, como são os anjos?”. Suponho que sempre que você vê uma cena – você já notou isso – qualquer tipo de pintura, todos os anjos parecem os mesmos. Todos os anjos parecem iguais. Não acredito nisso.

E outra coisa que eu acredito, e vamos entrar nisso enquanto estudamos, é que, em certo sentido, eles foram criados à imagem de Deus. Eles foram criados com capacidades que conhecemos, como inteligência e emoção, e vontade. E foram criados como indivíduos. Eu acredito que Deus, com um comando de Sua boca, criou milhões de criaturas que ocupam o universo, e cada uma delas é diferente de qualquer outra. Ouça, se Deus nos fez como flocos de neve, isto é diferentes uns dos outros, Ele pode fazer o mesmo com os anjos.

Os anjos existem há muito tempo e já viram muita coisa. As pessoas dizem: “Bem, quantos anjos existem? Quantos Deus criou? Quantos existem agora?”. A mesma quantidade de sempre. É difícil saber quantos. Não nos é dito quantos existem. Há muita conversa e especulação sobre isso. Deixe-me apenas dar-lhe alguns pensamentos, no entanto. No nascimento de Cristo, a Bíblia nos diz que apareceu com o anjo uma multidão dos exércitos celestiais, louvando a Deus… (Lucas 2:13). Havia uma multidão. Agora, isso não era tudo. Isso foi apenas parte deles, em Lucas 2.

Em sua prisão, Jesus disse: Se eu quisesse, eu poderia chamar doze legiões de anjos. No Antigo Testamento, um anjo matou 185 mil (II Reis 19:35). Você não vai querer mexer com os anjos de Deus, eles são incríveis. Agora, alguns dizem: “Bem, quantas legiões existem?Eu não sei quantas legiões existem. Agora, outras pessoas ofereceram uma possibilidade interessante. Mateus 18:10, Jesus está falando sobre os Seus, como Ele os ama, e como Ele se importa com eles. Ele diz algo interessante.

Mateus 18:10, e Ele está falando sobre os pequeninos: “Vede, não desprezeis algum destes pequeninos, porque eu vos digo que os seus anjos nos céus sempre vêem a face de meu Pai que está nos céus.” Não mexa com estes, porque os anjos designados para eles continuam informando sobre o que está acontecendo. Não é interessante? Você quer dizer que todo mundo tem um grupo de anjos designado para eles? Bem, se isso for verdade, alguns dizem que existem pelo menos tantos anjos quanto pessoas. E como o texto fala em ‘anjos’, no plural, haveria mais anjos do que pessoas. Isso significaria que há bilhões deles.

Outros dizem: “Não. Há o mesmo número de anjos que as estrelas.” Você diz: “Quantas estrelas existem?” Isso não ajuda nada. Nós nem sabemos quantas estrelas existem…  há pelo menos bilhões delas, certo? Você diz: “Por que eles equiparam os anjos com as estrelas?” Porque, muitas vezes, os termos na Bíblia são usados ​​de forma intercambiável. Os anjos são chamados de hostes celestiais, e às vezes as estrelas são chamadas de hostes celestiais; e assim, eles são usados ​​de forma intercambiável.

Mas, há um verso que nos ajuda a ter alguma idéia de quantos são, ainda que não seja uma ideia exata. Apocalipse 5:11, que diz: “e ouvi a voz de muitos anjos …. Agora, o texto diz que ele ouviu a voz de todos os anjos? Ou da maioria dos anjos? Ou a voz de quase todos os anjos? Não. Mas, de que? De muitos. De alguns dos muitos. E quantos estavam lá? Verso 11: “e era o número deles milhões de milhões, e milhares de milhares”. E você diz: “Bem, isso se refere à quantidade deles, uma porcentagem?” Eu não tenho ideia, pessoal, mas há muitos deles.

E se cada criança tem um grupo atribuído a elas, então há muitos anjos, porque há outras coisas para eles fazerem, além de cuidar de crianças pequenas. Eu acredito que existam bilhões de anjos em todo o lugar do universo. Em Hebreus 12:22, é dito que: “Mas chegastes ao monte Sião, e à cidade do Deus vivo, à Jerusalém celestial, e aos muitos milhares de anjos”. São muitos para serem contados. Não se pode numerá-los. Pense nisso.

Milhões de anjos, lindos, poderosos, realizando os comandos de Deus, movendo-se com grande velocidade através dos céus e da Terra, melhor organizados do que os exércitos de César, os exércitos de Alexandre, Napoleão ou Patton, ou qualquer outra pessoa; querubins, serafins, criaturas vivas, tronos, domínios, principados, potestades, poderes, o arcanjo Miguel, o guerreiro, o campeão, Gabriel… Toda essa hoste fantástica de seres angélicos chamados nas Escrituras de “filhos do Poderoso”, no Salmo 89: 6; chamados “filhos de Deus”, em Jó; chamados “deuses”, pois estão literalmente ligados ao nível divino sobrenatural; chamados de “santos”, no Salmo 89.

Eles são chamados de “estrelas”, em Jó 38: 7; chamados “príncipes”, em Daniel 10. São seres fantásticos. E todo esse poderoso exército foi criado por Deus em uma fração de segundo, no momento em que Ele desejou que eles existissem. Que Deus! Que Deus criativo! Você estuda a Bíblia e você os encontrará no terceiro céu, que é onde Deus habita. Você os encontrará no segundo céu, atravessando o universo. Você os encontrará no primeiro céu, que é a atmosfera da Terra. Eles estão em cada um desses lugares, na revelação de Deus. Às vezes, eles estão diante do trono de Deus.

Às vezes, eles estão em trânsito, como dito em Daniel, capítulo 10. Em Apocalipse 4 e 5, eles estão no trono de Deus. Em Daniel 10, eles estão em trânsito pelo Universo. E muitas vezes eles estão na Terra. Vemos tudo isso ao longo do Antigo e do Novo Testamento, não é? Anjos na Terra, misturados com homens. Seres fantásticos.

Em terceiro lugar, vamos falar sobre a natureza dos anjos. Como eles são?

Em primeiro lugar, são seres pessoais. Você diz: “Você quer dizer que eles não são apenas um tipo de robôs sobrenaturais?” Não. São pessoas. Eles têm personalidade. Você diz: “Bem, quais são os atributos que compõem sua personalidade?” Inteligência, emoção e vontade. Você diz: “Os anjos são inteligentes?” Eles  certamente são inteligentes.

Em Ezequiel 28:12, ao descrever Lúcifer, o filho da manhã, que era o mais elevado dos anjos, é dito: Tu eras o selo da medida, cheio de sabedoria e perfeito em formosura. Os anjos são inteligentes. Mateus 28: 5, diz:  Mas o anjo, respondendo, disse às mulheres: Não tenhais medo; pois eu sei que buscais a Jesus, que foi crucificado. Esse anjo compreendeu o que estava acontecendo com aquelas mulheres. Ele era inteligente. A inteligência se comunica. Tem conversas.

Em Apocalipse 17, é muito claro que os anjos entendem o plano de Deus. Eles o explicaram. Verso 1: E veio um dos sete anjos que tinham as sete taças, e falou comigo, dizendo-me: Vem, mostrar-te-ei a condenação da grande prostituta que está assentada sobre muitas águas. Isso é inteligência, a capacidade de se comunicar. Agora, eles não sabem tudo, eles não são oniscientes, como Deus.

Na verdade, em I Pedro, capítulo I:12, é dito que “… as verdades que agora vos foram anunciadas por intermédio daqueles que vos pregaram o Evangelho mediante o Espírito Santo enviado dos céus, assuntos esses que até os anjos anseiam acompanhar minuciosamente. Há coisas que eles não entendem, que ainda não conhecem. Mas são inteligentes. Sua inteligência é limitada, mas eles são inteligentes.

Em segundo lugar, eles têm emoção. Eu sei que eles têm emoção, porque em Jó 38:7 é dito que eles cantaram juntos. E cantar é uma resposta à emoção, não é? Eles têm a emoção da alegria. Você sabe que os anjos reagem quando uma alma vem a Cristo? Jesus disse: “Assim vos digo que há alegria diante dos anjos de Deus por um pecador que se arrepende” (Lucas 15:10). Eles experimentam alegria.

Outra coisa que penso ser uma emoção é a adoração. E os anjos, por exemplo, em Isaías 6, o que eles estavam fazendo? “E clamavam uns aos outros, dizendo: Santo, Santo, Santo é o Senhor dos Exércitos; toda a terra está cheia da sua glória.” (v. 3). Essa é uma expressão de adoração e essa é uma emoção. Os anjos têm a capacidade de se emocionar, e essa é uma característica da personalidade.

Em terceiro lugar, eles têm a capacidade de autodeterminação ou vontade. Deus apela às suas vontades. Por exemplo, em Hebreus 1: 6, tratando de quando Deus introduz Jesus no mundo, diz: Todos os anjos de Deus O adorem. O próprio fato de que os anjos são convidados a fazerem algo indica que eles possuem vontade de fazê-lo.

Na verdade, foi assim que Satanás chegou onde está, não foi? Ele diz “eu vou!” cinco vezes em Isaías 14. Os anjos possuem personalidade. Eles não são apenas uma espécie de espíritos etéreos, aéreos que flutuam sem personalidades, como  robôs. São pessoas. Eles têm personalidade. Cada um é diferente de todos os outros. Eles são únicos. E eles são diferentes dos homens, e isso é óbvio, porque diz Hebreus 2:7 diz que: “Tu o fizeste um pouco menor do que os anjos…”. Eles estão num estado mais elevado do que nós nesse momento.

Mas, um dia vamos governar os anjos. I Coríntios 6: 3 diz isso. Em Cristo, seremos exaltados. Por quê? Por sermos co-herdeiros com Cristo, seremos iguais com Cristo em Sua herança. Estamos em Cristo. Somos um espírito com Cristo. Então, seja no Reino ou na eternidade, reinaremos sobre os anjos, porque reinaremos com Cristo. Lembre-se de Apocalipse 3:21, que  diz: “Você se sentará comigo no meu trono Ao que vencer lhe concederei que se assente comigo no meu trono…”.

Mas, por hora e por esse tempo, somos um pouco menores do que os anjos. Eles são diferentes do que somos. Porém, ambos somos criaturas, ambos somos limitados pelo tempo e pelo espaço, ambos dependentes de Deus para a existência e  bem-estar, ambos responsáveis diante de Deus. Mas, ainda assim, diferimos.

Agora, você sabia que a vida dos anjos, seu mundo estão muito envolvidos, ativos e são tão complexos como o nosso mundo? E isso tudo acontece ao nosso redor. A questão é que não podemos vê-los, mas eles podem ver o nosso mundo. Eles são espíritos, e essa é a diferença fundamental, Hebreus 1:14: Eles não são todos espíritos ministradores?. E o versículo 13 diz que ele está falando sobre os anjos.

As pessoas dizem: “Os anjos têm corpos?”. A resposta é não, eles são espíritos. Eles não têm corpos carnais como nós. Mas ouça: seu corpo é sua personalidade? Não. Sua personalidade está em seu corpo. E os anjos são  pessoas sem  carne e  sangue, como conhecemos.

Você diz: Bem, o que eles são?”. Você sabe o que eu creio? Eu acredito que eles são seres que têm a capacidade de estar apenas em um lugar, não são onipresentes. Penso que eles têm corpos espirituais. Não é um corpo material, carnal, como o nosso, mas eles têm limitações espaciais, não são como Deus.

Deus é espírito, certo? Mas Deus está em toda parte. Isso é verdade. Ele é Onipresente. Seu espírito enche o infinito. Os espíritos angélicos são uma espécie de espíritos pequenos. E eles estão presos em um lugar por vez. Eles têm que se deslocar de um lugar para outro, o que significa que eles têm algum tipo de forma. É uma forma que não consigo ver e perceber, mas, no entanto, eles têm algum tipo de forma. Eles voam através do céu, em Daniel 9 e 10. Eles vão de um lugar para o outro.

Eles também têm limitações de tempo. Agora, eles são retratados com asas. Não estou convencido de que essas são asas literais, mas que essas asas representam velocidade, que são símbolos da rápida obediência, que os anjos voam para obedecer a vontade de Deus, que sejam rápidos para obedecer a vontade de Deus. Não tanto que eles são literalmente seres voadores, como tendo isso em sua capacidade espiritual. Eles podem se mover e eles rapidamente se movem em obediência a Deus.

Agora, não sei o tipo de forma que eles têm, mas acredito que eles tenham algum tipo de forma, e um dia, quando chegarmos ao céu, seremos capazes de dizer: “Então é isso que um anjo é…”. Você diz: “Bem, o que faz você pensar que eles têm algo assim?”. I Coríntios 15:44 me faz pensar isso, porque diz assim: Há um corpo natural e um corpo espiritual…”. Assim, os anjos devem ter um corpo espiritual, pois eles não têm um natural.

Agora, quando eles aparecem, e às vezes Deus escolhe deixá-los se manifestar, eles sempre aparecem como um homem. Existe uma possibilidade de uma exceção, mas é apenas uma possibilidade. Não temos provas suficientes para interpretar a passagem para ter certeza, mas todas as outras ocasiões sempre aparecem na forma masculina.

E o pronome masculino sempre é usado para falar sobre eles. Em Gênesis 18 e 19, você se lembra, quando os anjos vieram visitar Abraão,  quando eles foram para a cidade de Sodoma, eles são retratados como homens bonitos. Eles se sentaram com Abraão. Eles comeram. Eles andaram. Eles falaram. Eles foram visíveis e assumiram algum tipo de forma visível.

Em Mateus 28:3, é dito a respeito do anjo que apareceu por lá:Seu semblante era como relâmpago, e suas roupas eram brancas como a neve“. Seu rosto era como o sol, como um raio. Agora, isso é incomum. E às vezes eles aparecem como homens, às vezes eles aparecem como homens muito incomuns. Mas sempre que aparecem, sua presença produz efeitos surpreendentes. Por exemplo, os nativos da selva, eles correram. Os soldados do exército alemão que eu li no início para vocês, eles entraram em pânico.

Uma perturbação mental veio sobre Maria quando Gabriel anunciou a notícia do nascimento virginal. Ela ficou abalada. Quando foi dito pelo anjo a Zacarias que ele iria ter um filho, ele entrou em pânico e o terror encheu seu coração – Lucas 1. Dos pastores, a quem o mensageiro angélico anunciou o nascimento de Cristo, é dito: Eles ficaram com medo“. Eles entraram em pânico quando viram esse exército de seres angelicais. Os soldados romanos, em Mateus 28, que viram o anjo reverter a pedra, caíram e se tornaram como o quê? Como homens mortos quando viram esse anjo.

Agora, estes são seres diferentes. E quando eles estão por perto, reações estranhas ocorrem, porque é uma viagem ao outro mundo, por assim dizer, algo muito anormal. Bem, vamos aprender muito sobre essas realidades gloriosas. Continuaremos na próxima vez. Vamos orar.

Obrigado, Pai, por nos ajudar a fazer uma pequena introdução hoje a essa série sobre esses seres que o Senhor reservou para Te servir e ministrar a nós. Não sei quem são os anjos que estão apegados a mim, mas quero agradecer-Te pelo ministério que tiveram na minha vida, mesmo que isso seja desconhecido para mim. E quero agradecer-Te pela revelação da Palavra para nós nesta área, para que possamos entender melhor o tipo de Deus que Tu és e o que Tu estás fazendo neste universo, agora centrado na Terra, que é o palco do plano redentor. Obrigado, nosso Pai. Louvamos-Te por nossa comunhão esta noite. Em nome de Jesus. Amém.


Esta é uma série de diversos sermões sobre Satanás, os anjos e os demônios. Segue links dos que já foram publicados.


Este texto é uma síntese do sermão “Angels: God’s Invisible Army, Part 1”, de John MacArthur em 11/01/1976.

Você pode ouvi-lo integralmente (em inglês) no link abaixo:

https://www.gty.org/library/sermons-library/1361/angels-gods-invisible-army-part-1

Tradução e síntese feitos pelo site Rei Eterno


 

Você pode gostar...

2 Resultados

  1. Dhenefer Rodrigues disse:

    Conheci esse site ontem e já estou apaixonada, parabéns por todo material e conteúdo, tudo impecável de ótima qualidade e firmado na palavra de Deus! Que Jesus o abençoe e lhe retribua por todo esforço e dedicação, fica na Paz do Senhor.

    • Administrador disse:

      Amém! Querida irmã, ficamos muito contentes em saber que o nome do Senhor está sendo glorificado. Este é o objetivo único do site. Deus te abençoe.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *