Livres da Ansiedade – 2

Imprimir

Este é o segundo de dois sermões de John MacArthur sobre Ansiedade, conforme links no final deste texto.


Voltemos, no nosso estudo, para o capítulo 12 de Lucas, versículos 22 a 34, sob o título “Uma vida livre de ansiedades”.

Há no capítulo 12 de Lucas um discurso muito longo de Jesus, que vai até o versículo 9 do capítulo 13. Houve algumas interrupções para responder algumas perguntas, mas, no entanto, esse é um longo tempo de ensino com o Senhor Jesus. E aqui em Seu ensino nos versículos 22 a 34, o assunto tratado é que no reino de Deus podemos ter a vida livre de ansiedade. Nosso Senhor disse às pessoas que não deveriam estar ansiosas, viverem preocupadas e com medos e temores. A vida livre de ansiedade, de preocupações e de medos e temores é parte do que o Senhor ofereceu aos que depositam sua confiança Nele. Não é apenas a paz e a alegria no céu, mas aqui e agora podemos desfrutar delas.

A ênfase desta passagem vem em três ordens: versículo 22, “não fique ansioso”; versículo 29, “não fique preocupado”; versículo 32, “não tenha medo”. Todos poderiam ser traduzidos como “pare de estar ansioso, pare de se preocupar, pare de ter medo!”. Este ensino, ministrado pelo Senhor na Judeia, é paralelo ao ensinamento de nosso Senhor no Sermão do Monte, em Mateus 6:19 a 34, onde Ele disse essencialmente essas mesmas coisas quando ensinava na Galileia. O de Lucas 12 aconteceu na Judeia, o de Mateus 6 foi na Galileia. São verdades que nosso Senhor ensinou muitas, muitas vezes, não apenas as poucas vezes que são registradas na Escritura, mas estas são as verdades que Ele ensinou dia após dia através de Seu ministério.

Ele está dizendo que é possível elevar-se acima de todos os problemas desta vida e viver livre de medos, temores, pânicos, preocupações e ansiedades. Em Filipenses 4:7, Paulo expressa esta verdade:

Não estejais inquietos por coisa alguma; antes as vossas petições sejam em tudo conhecidas diante de Deus pela oração e súplica, com ação de graças. E a paz de Deus, que excede todo o entendimento, guardará os vossos corações e os vossos sentimentos em Cristo Jesus.

Essa é a paz para a qual não há explicação humana. Ela exige o fim da ansiedade, do medo, da preocupação e do pânico, coisas que são tão debilitantes, perturbadoras e deprimentes na vida. E só há dois níveis para os quais você direcionar sua ansiedade, temor, medo e preocupação: para o que é material ou para o que é espiritual. E em ambos os casos a ansiedade é desnecessária. Quanto às coisas materiais, em Lucas 12:30, o Senhor diz: “…vosso Pai sabe que necessitais delas” e em relação às espirituais, no verso 32 o Senhor diz: “porque vosso Pai se agradou em dar-vos o seu reino”.

Ele lhe dará tudo o que você precisa para sustentar sua vida neste mundo e Ele lhe dará tudo o que precisa para sustentar sua vida em Seu reino. Qualquer preocupação é desnecessária. A preocupação é um resultado da ignorância ou da incredulidade. Há pessoas que se preocupam porque não creem no que Deus prometeu e outras não sabem o que Deus prometeu. E a melhor maneira de enganar um crente é limitar Deus, ou ensinar-lhe coisas sobre Deus que não são verdadeiras, ou dar-lhe uma visão diminuída de Deus.

Na verdade, essa é uma forma de idolatria. Qualquer falsa representação de Deus é um ídolo. E adorar e dar homenagem a um deus mal representado é uma forma de idolatria. Compete a todos os que ensinam as Escrituras e a todos os que possuem as Escrituras, terem uma verdadeira compreensão de Deus para que O adoremos de todo o coração, mente e alma, em espírito e em verdade. É fundamental que entendamos quem é o nosso Deus.

E assim, é possível se preocupar com sua vida cristã simplesmente porque você é ignorante e, infelizmente, é o legado de muitos ministérios onde a natureza, caráter, promessas e os propósitos de Deus são relegados ao segundo plano. Desse modo, muitas pessoas vivem sob enganos, pois não conhecem quem é Deus e o nível de compromisso que Ele tem conosco. Essas pessoas vivem apavoradas pelas circunstâncias, por Satanás, pelos fracassos e tantas outras coisas mais.

Muitas pessoas são enganadas com muita frequência, não compreendem a grandeza de Deus, a glória de Deus, o compromisso de Deus, a compaixão de Deus, o poder de Deus, a onisciência de Deus, a sabedoria de Deus e as promessas de Deus. Há muitas pessoas, pessoas cristãs, que não têm ideia do que seu Deus é realmente e o nível de compromisso que Ele fez com eles e assim, eles vivem com medo. Medo das circunstâncias, medo de Satanás, medo do fracasso, toda sorte de medo.

Portanto, é possível que sua vida esteja cheia de medo, ansiedade e preocupação, tudo como fruto de sua ignorância ou incredulidade. Comece lendo todos os Salmos e você conhecerá seu Deus. Precisamos conhecer o Deus que adoramos. Mas, se você conhece seu Deus e você se preocupa de qualquer maneira, não se trata de ignorância, trata-se de desconfiança. Isso é pecado. A ignorância é pecado, mas a desconfiança é algo ainda pior. Se você olha para a sua vida e vê ansiedades, medos e preocupações, a questão é ignorância ou incredulidade. E aqui, em Lucas 12, o Senhor nos ensina a razão pela qual não devemos viver ansiosos pelas coisas materiais e as espirituais.

Como vimos na última vez, em primeiro lugar, a preocupação é o fracasso em entender a prioridade de Deus, versículos 22 e 23:

Por isso, eu vos advirto: não andeis ansiosos pela vossa vida, quanto ao que haveis de comer, nem pelo vosso corpo, quanto ao que haveis de vestir. Porque a vida é mais do que o alimento, e o corpo, mais do que as vestes.

Deus não criou você apenas para sobreviver, comer e se vestir. Deus não criou você para cumprir algum objetivo material neste mundo. Sua vida é muito mais do que tudo isso. Você deve entender a prioridade divina. Se você pertence a Deus e você está no Seu Reino, Ele tem um plano e um propósito para sua vida. Essa é a razão pela qual você vive. E enquanto Deus tiver um plano para a sua vida, Ele irá supri-lo até Seu plano estar completo.

Não há lugar para temores, pânicos, medos, preocupações e ansiedades, se você entender que a prioridade com Deus é muito além das coisas materiais. O propósito de Deus em dar-lhe vida não é material, físico e terreno. É imaterial, espiritual e celestial. Nós fomos feitos para a Sua glória. Fomos feitos para servir à Sua glória, servir ao Seu propósito, honrá-Lo, reverenciá-Lo, proclamar o evangelho, para viver em Cristo no poder do Espírito neste mundo. Ele nos sustentará até o fim de Seu propósito.

Na verdade, você pode trabalhar duro e fazer provisões para o amanhã – e a Bíblia ensina que você deve trabalhar e ser um bom mordomo, ser um sábio com o que você tem – mas essa não é a razão pela qual Deus colocou você aqui. Existe uma razão completamente diferente por você estar aqui e é na dimensão espiritual. Deus suprirá você até o tempo determinado. Por outro lado, você pode juntar uma fortuna e não viverá um momento a mais do tempo determinado por Deus. Esse tipo de pensamento tende a torná-lo rico em relação a Deus e colocar seu tesouro no céu ao invés de aqui. Portanto, a preocupação, a ansiedade e o medo não conseguem entender a prioridade divina: que Deus tem um propósito para a sua vida e Ele vai se certificar de que você viva para cumprir essa finalidade.

Também vimos na última vez, em segundo lugar, que a preocupação é a falta de compreensão da provisão de Deus.

Ou seja, tudo o que você tem vem de Deus. Pode vir através do seu trabalho, suas economias, sua diligência, de seus talentos, de sua formação etc., mas no final, é realmente a promessa de Deus para você que o sustenta. Veja o versículo 24:

Observai os corvos, os quais não semeiam, nem ceifam, não têm despensa nem celeiros; todavia, Deus os sustenta. Quanto mais valeis do que as aves!.

Deus sustenta os pássaros, eles manifestam o poder criativo de Deus e Seu imenso amor, mas eles não têm valor espiritual. Eles nascem, voam um pouco e desaparecem, e, no entanto, Deus os alimenta. Você é muito mais valioso do que eles e se Deus tem uma prioridade para a sua vida, então Ele providenciará que suas necessidades sejam atendidas. Ele irá mantê-lo até o ponto em que você cumprir Seu propósito. Então, preocupar-se com as necessidades da vida é um fracasso em entender a prioridade de Deus para você e a provisão de Deus para garantir que essa prioridade seja completada.

E isso leva ao terceiro ponto, que começamos a ver na última vez: a falta de compreensão do privilégio de Deus.

A preocupação é uma incapacidade de entender o privilégio de Deus. Versos 25-26:

Qual de vós, por ansioso que esteja, pode acrescentar um côvado ao curso da sua vida? Se, portanto, nada podeis fazer quanto às coisas mínimas, por que andais ansiosos pelas outras? 

Sobre o que é isso? É sobre a ideia de que, de alguma forma, você pudesse controlar o comprimento de sua vida. Um côvado é uma medida do cotovelo até o final dos dedos, cerca de 18 polegadas (ou 20 centímetros). Um côvado era uma unidade de medida na Antiguidade. Não está se referindo ao crescimento físico, mas a adicionar anos de vida. Você não pode adicionar nada aos anos de sua vida que Deus determinou para você.

Você não pode acrescentar nem um tempo a mais à sua vida. Então, por que você anda temeroso, preocupado e ansioso? As pessoas são consumidas com essa ideia de saúde, não por uma melhor qualidade de vida, mas por longevidade. O homem moderno adora o deus da longevidade, ele está preocupado em poder prolongar sua vida e vive pensando em mínimos detalhes de como viver mais. E isto entrou na igreja.

Esta geração está engajada na mania da saúde para viver por mais tempo. Não é errado ser disciplinado, moderado, fugir da gula, ser sábio para com seu corpo. É um erro ser tolo sobre o que você come, pois Deus criou coisas maravilhosas para nos manter dispostos. Mas, nada disso vai acrescentar um dia a mais em minha vida. O tempo da minha vida foi determinado por Deus. E com certa razoabilidade, eu apenas quero manter minhas forças, mas não posso adicionar tempo à minha vida. E eu não quero viver um dia a mais do que o Senhor planejou para mim.

A preocupação não ajuda. Se você se preocupar com quanto tempo você vai viver e investe tudo para aumentar esse tempo, você apenas desperdiçará todo o seu dinheiro e continuará sendo incapaz de adicionar um dia sequer à sua vida. Isso não é uma boa administração. Eu não estou falando que você não deva procurar viver uma vida saudável, você deve sim. Uma vida desregrada rouba sua energia e a força que o Senhor deseja usar. Mas você não pode adicionar tempo à sua vida, você é impotente para tal feito.

Nós não somos os determinantes do período de nossas vidas. Este é um privilégio divino. Então, você não quer ignorar o privilégio de Deus. É Seu privilégio determinar onde, quando e de quem nascemos e quanto tempo estaremos aqui. Deus nos deu vida. Ele irá sustentar essa vida até que nosso serviço seja feito. A preocupação não contribui com nada em relação a isto. Foi o que Jó disse diante das calamidades: “O Senhor o deu, e o Senhor o tomou: bendito seja o nome do Senhor”. Se vivermos obedientemente à Sua Palavra, Ele sustentará a nossa vida até o fim. Você não pode prolongá-la além dos propósitos de Deus.

Então, o versículo 26 diz: “Se, portanto, nada podeis fazer quanto às coisas mínimas, por que andais ansiosos pelas outras?”. No versículo anterior, o Senhor diz: “Qual de vós, por ansioso que esteja, pode acrescentar um côvado ao curso da sua vida?”. Em tudo isso, Jesus pergunta: “por que você está preocupado com a comida e a vestimenta do amanhã?”. Isto é fracassar em entender a prioridade de Deus. É Deus quem determina quando vivemos, quando morremos e como nos encaixamos no esquema redentor para o avanço de Sua glória e Seu reino.

Em quarto lugar: a preocupação é a falta de compreensão das preferências divinas.

Vivemos em uma sociedade que ensina a evolução. Cientistas dizem que somos a última forma de um macaco, somos apenas o macaco mais recente e não somos diferentes de qualquer outra coisa. Eles dizem que somos apenas animais como outros quaisquer, que por uma sorte, evoluímos acima dos outros. Esses ambientalistas e amantes de animais são atraídos por esse conceito. Mas olhe, somos cristãos e você pode olhar para o mundo da criação de Deus e você verá uma enorme diferença entre tudo o que Ele criou e o homem criado à Sua imagem, e nós temos a preferência divina.

Olhe para os versículos 27-28, aqui está uma ilustração:

Observai os lírios; eles não fiam, nem tecem. Eu, contudo, vos afirmo que nem Salomão, em toda a sua glória, se vestiu como qualquer deles. Ora, se Deus veste assim a erva que hoje está no campo e amanhã é lançada no forno, quanto mais tratando-se de vós, homens de pequena fé!.

Agora, chegamos à parte do pecado aqui. Nosso Senhor toca em duas coisas pelas quais as pessoas estão sempre preocupadas: nutrir seu corpo e protegê-lo. E Ele faz uma comparação que revela Sua preferência pelas pessoas, especialmente, é claro, Seus próprios filhos. E Ele diz: “Considere os lírios”. A palavra “lírios” é suficientemente ampla, pode ser traduzida como “grama” ou “erva” (v.28), é definitiva o suficiente para nos informar que Ele está falando sobre as gramíneas selvagens que cresciam em Israel.

Ele deve ter apontado para elas, tal como deve feito ao falar dos pássaros. Pedro, citando Isaías, disse: “Pois toda carne é como a erva, e toda a sua glória, como a flor da erva; seca-se a erva, e cai a sua flor” (I Pedro 1:24). E Jesus disse que mesmo que eles não fiem e nem teçam, Deus os veste num padrão que nem Salomão se vestiu. Em 1 Reis 10 e 2 Crônicas 9 você encontra o vestuário e vida luxuosos de Salomão.

As ervas do campo dão testemunho ao poder criativo de Deus, mas não servem a qualquer outro propósito, pois hoje elas estão vivas, amanhã nos fornos de pão. Se, mesmo assim, Deus cuida delas, como não cuidaria de Seus filhos? Somente a incredulidade lança desconfiança sobre esta verdade. Você entende a preferência de Deus?

Ele se comprometeu com a delicada beleza das coisas que perecem, às vezes em apenas um dia. Quanto mais Ele vai te vestir! Este é novamente o argumento típico hebraico do menor para o maior. Deus prefere você. Você realmente não pensar que Ele vai colocar esse tipo de roupa em uma flor e não cobrirá você quando Ele quiser que você realize seu propósito? Se Ele fez uma beleza tão luxuosa para vestir plantas que morrem em dias e sem valor espiritual, quanto mais Ele cuidará de vestir a coroa de Sua criação, a noiva de Seu Filho amado, a quem Ele escolheu e redimiu! Não é de admirar que Pedro tenha dito: “Lançando sobre ele toda a vossa ansiedade, porque ele tem cuidado de vós” (I Pedro 5:7). E se você ainda vive com medo, dúvida e preocupação, então você cairá na categoria do final do versículo 28, “Oh, homens de pouca fé”.

Esta é a questão: medo, preocupação, ansiedade são falta de fé. E Jesus falou muito sobre isso. Lá na Galileia, no Sermão do Monte, Ele também usou o mesmo exemplo usado aqui na Judeia: “Pois, se Deus assim veste a erva do campo, que hoje existe, e amanhã é lançada no forno, não vos vestirá muito mais a vós, homens de pouca fé?” (Mateus 6:30). Quando os discípulos estavam apavorados diante da tempestade que açoitava o barco, Jesus lhes disse: “Por que temeis, homens de pouca fé?” (Mateus 8:26).

Quando Pedro se assombrou com as ondas do mar, Jesus lhe disse: “Homem de pouca fé, por que duvidaste?” (Mateus 14:31). Quando os discípulos estavam preocupados pelo pão, esquecendo-se da multiplicação que Jesus havia feito, Jesus lhes disse: “Por que arrazoais entre vós, homens de pouca fé, sobre o não terdes trazido pão?” (Mateus 16:8). Veja que os apóstolos temeram até a morte por afogamento, e Jesus perguntou sobre a fé deles, é como se Ele dissesse:

Onde está a fé de vocês? Vocês acham que o Deus do universo, que chamou vocês para serem Seus apóstolos, vai deixar vocês se afogarem agora? Sobre o que você está ansioso? O que você está temendo? O que está preocupando vocês? Por que o pânico? Se vocês conhecem Minha promessa e Meu poder, então é uma questão de confiança. Se vocês não confiam em Mim, vocês têm um problema de pecado. Vocês não confiam no Meu conhecimento? Vocês não confiam na Minha sabedoria? Vocês não confiam na Minha compaixão? Sobre o que vocês não confiam? Vocês não confiam no Meu poder? Vocês não confiam no Meu cuidado? Bem, o que é sobre Mim que vocês não confiam? Ou talvez vocês pensem que o diabo é mais forte que Eu!.

São perguntas sérias. Há um pensamento blasfemo nesta incredulidade. Ele não está dizendo que essas pessoas não tinham fé, Ele os chamou de “homens de pouca fé”. Ele dirigiu essas palavras aos discípulos, e eles eram verdadeiros crentes. Isso pode ter haver com qualquer um de nós. Ele diz que é possível você vencer as preocupações, temores e ansiedades, bastando confiar Nele. Ele é digno de nossa confiança. É essa a questão.

Então, no versículo 29, Ele diz: “Não andeis, pois, a indagar o que haveis de comer ou beber e não vos entregueis a inquietações”. E naquela época eles tinham que encontrar uma maneira de obter comida todos os dias, todos os dias. Era a preocupação de toda a vida. Ele não está dizendo para eles não prepararem suas refeições, mas não viver ansiosos por isto. Ele está dizendo:

Não façam disso a busca de suas vidas. Não vivam como se não houvesse um Deus cuidando de vocês. Não vivam como se Deus não tivesse promessas, poder ou não tivesse conhecimento do que vocês precisam!.

E se você vive sob a ansiedade, temores e preocupações, você não compreende a prioridade de Deus, a provisão de Deus, o privilégio de Deus de determinar o tempo de sua vida e a preferência de Deus por você sobre qualquer outra coisa que Ele criou.

Há um quinto princípio: falta de compreensão da paternidade de Deus. Você não entende que Deus é seu Pai, versículos 30 e 31:

Porque os gentios de todo o mundo é que procuram estas coisas; mas vosso Pai sabe que necessitais delas. Buscai, antes de tudo, o seu reino, e estas coisas vos serão acrescentadas.

Deus tem uma prioridade para nós. Ele providenciará o necessário para ver essa prioridade cumprida. Ele determina nosso tempo de vida e Ele nos prefere, porque é nosso Pai. Tudo está sustentado em Suas mãos e tudo acontece na sequência permitida por Ele.

Aqui, pela primeira vez no discurso, Jesus fala de Deus como Pai. Sabemos que Jesus estava se dirigindo aos que criam Nele. Aqueles cujo Pai é Deus. Suas palavras sempre estiveram em contraste com todas as coisas ansiosamente procuradas pelas nações do mundo. O mundo vive ansioso pelo que vai vestir e comer amanhã, e seus esforços vão para essa direção. E se alguém não tem Deus como Pai, é um filho do diabo. E o diabo não oferece nada além de estimular a corrida ansiosa pelo amanhã, ele estimula a ansiedade.

O mundo incrédulo não tem as promessas de Deus, nenhuma garantia de Deus para qualquer coisa. Assim, no verso 30 Jesus diz que “os gentios de todo o mundo é que procuram estas coisas”, ou seja, o mundo está na corrida ansiosa pelo comer, beber e vestir. Isso descreve a vida entre os não regenerados. Vivem apenas numa batalha pelo pão, pela sobrevivência, para adquirir coisas materiais e as demais coisas desta vida finita. Por quê? Eles estão mortos para Deus, mortos para a vida espiritual. Então, sendo espiritualmente morto, tudo o que há é o mundo físico, não sendo filhos de Deus, são filhos do diabo, e o diabo só oferece ansiedade, preocupação, medo e pânico. O que eles podem receber de Deus procede da Graça comum de Deus. Sendo ignorantes de Deus, ignorando a provisão de Deus e sendo incapazes de clamar pela promessa de Deus ou o poder de Deus, vivem apenas para sobreviver.

Essas pessoas estão na escuridão espiritual, sem a vida de Deus. Elas podem criar religiões, podem criar um deus que esperam ajudá-las, mas as divindades que criam são apenas um reflexo de homens malignos e demônios. É por isso que os deuses do mundo são perversos, tortuosos, egoístas, violentos, indignos de confiança, indiferentes, caprichosos, maus e implacáveis. Então, as pessoas não pensam nesses deuses como entidades que possam ajuda-las, mas apenas esperam que esses deuses não as prejudiquem. E muitas vezes atribuem a esses deuses coisas que procedem da graça comum de Deus. Esses deuses não as ajudam, porque tais deuses são demônios. Elas estão sozinhas. Os incrédulos sentem o peso total da sobrevivência.

Mas o versículo 30 diz: “mas vosso Pai sabe que necessitais delas“. Aqui está o contraste, a diferença entre um incrédulo e um cristão. Deus sabe que você precisa de coisas básicas, tudo é uma questão do conhecimento de Deus. E ele age como um pai age, Ele é um pai provedor e protetor, e Ele, como pai, sabe o que você precisa. Tudo o que você precisa está disponível para você procedendo de Deus. Com o que você está preocupado? Do que você tem medo? Sobre o que você está temeroso?

Você diz: “Como posso ter certeza de que vou conseguir tudo o que meu Pai tem para mim?”. Versículo 31: Aqui está o princípio chave, muito importante: “Buscai, antes de tudo, o seu reino, e estas coisas vos serão acrescentadas“. Você quer uma vida livre de preocupações, ansiedades e medos? Concentre-se no reino de Deus. Quando Jesus falou sobre isto, tempos antes, na Galileia, por ocasião do Sermão do Monte, Ele disse: “Buscai primeiro o reino de Deus, e a sua justiça, e todas estas coisas vos serão acrescentadas” (Mateus 6:33).

Em vez de viver ansioso e preocupado com as coisas que dominam a mente dos incrédulos, faça de sua vida um canal para adorar, servir e proclamar Cristo, e viva uma vida em obediência à Palavra de Deus, busque a santidade, a verdade e o amor. O mundo tem a mente dominada pelas preocupações com a comida, roupas, dinheiro, o futuro, saúde etc., isso é tudo o que ele tem. Colossenses 3:1-4 diz:

Se já ressuscitastes com Cristo, buscai as coisas que são de cima, onde Cristo está assentado à destra de Deus. Pensai nas coisas que são de cima, e não nas que são da terra; Porque já estais mortos, e a vossa vida está escondida com Cristo em Deus. Quando Cristo, que é a nossa vida, se manifestar, então também vós vos manifestareis com ele em glória.

Toda a sua vida deve ser dirigida ao reino, na esfera da salvação, a esfera onde Deus governa como Rei e Senhor. Tudo o que você faz deve ser para a honra e glória de Deus. A primeira busca é procurar entrar no reino. Lucas 16:16 diz que “todo o homem emprega força para entrar nele”. É difícil, porque exige arrependimento, abnegação, humildade, mansidão, choro, fome e sede. Uma vez que você entrou no reino, busque apenas aquelas coisas que exaltem e honrem a Cristo. Dê a sua vida pela salvação, pela justiça, pela obediência, pela verdade, pelo serviço, pela adoração e pelo testemunho. Jesus disse que:

O reino dos céus é semelhante a um tesouro escondido num campo, que um homem achou e escondeu; e, pelo gozo dele, vai, vende tudo quanto tem, e compra aquele campo (Mateus 13:44).

O reino dos céus é semelhante ao homem, negociante, que busca boas pérolas; E, encontrando uma pérola de grande valor, foi, vendeu tudo quanto tinha, e comprou-a (Mateus 13:45-46).

É um abandono de si mesmo. Entregue-se ao reino. Viva somente para honrar e exaltar a Cristo, para proclamar Seu nome, avançar Seu evangelho. Seja dedicado ao que é eterno, e não o que é temporal. E, a propósito, esse não é um princípio isolado. Jesus diz aqui, se você fizer isso, todo o resto será adicionado. E tudo o mais significa que você vai viver os anos completos da sua vida, você terá comida e bebida suficiente para sobreviver e vestir-se, e tudo isso se você apenas buscar o reino.

E isso não era novo para aqueles judeus que ouviram essas palavras de Cristo. O Velho Testamento é rico em afirmar essa segurança aos crentes. No Salmo 34 temos esta declaração:

Provai, e vede que o Senhor é bom; bem-aventurado o homem que nele confia. Temei ao Senhor, vós, os seus santos, pois nada falta aos que o temem. Os filhos dos leões necessitam e sofrem fome, mas àqueles que buscam ao Senhor bem nenhum faltará. Os olhos do Senhor estão sobre os justos, e os seus ouvidos atentos ao seu clamor (versos 8-10,15).

Veja esta no Salmo 37:

Não te indignes por causa dos malfeitores, nem tenhas inveja dos que praticam a iniquidade. Pois eles dentro em breve definharão como a relva e murcharão como a erva verde. Confia no Senhor e faze o bem; habita na terra e alimenta-te da verdade. Agrada-te do Senhor, e ele satisfará os desejos do teu coração. Entrega o teu caminho ao Senhor, confia nele, e o mais ele fará. Descansa no Senhor e espera nele… Os malfeitores serão exterminados, mas os que esperam no Senhor possuirão a terra… Os mansos herdarão a terra e se deleitarão na abundância de paz. Fui moço e já, agora, sou velho, porém jamais vi o justo desamparado, nem a sua descendência a mendigar o pão. O Senhor ama a justiça e não desampara os seus santos… (versos 1-5, 7,9,11,25,28).

Veja esta, em Isaías 33:

Os pecadores em Sião se assombram, o tremor se apodera dos ímpios; e eles perguntam: Quem dentre nós habitará com o fogo devorador? Quem dentre nós habitará com chamas eternas? O que anda em justiça e fala o que é reto; o que despreza o ganho de opressão; o que, com um gesto de mãos, recusa aceitar suborno; o que tapa os ouvidos, para não ouvir falar de homicídios, e fecha os olhos, para não ver o mal, este habitará nas alturas; as fortalezas das rochas serão o seu alto refúgio, o seu pão lhe será dado, as suas águas serão certas (versos 14 a 16).

Há muitos outros textos sobre esta segurança do crente no Antigo Testamento. É um princípio antigo. Deus cuida daqueles que pertencem a Ele e são fiéis a Ele. Obedeça ao que Cristo ensinou e desfrute da promessa: “Buscai, antes de tudo, o seu reino, e estas coisas vos serão acrescentadas” (Lucas 12:31). Não esteja no rol daqueles a quem Ele chamou de “homens de pequena fé!” (Lucas 12:28).

Não se envolva no pecado da dúvida, do medo, da preocupação e da ansiedade. A prioridade de Deus, a provisão de Deus, o privilégio de Deus, a preferência de Deus, a paternidade de Deus, como nosso Pai, indicam que não precisamos nos preocupar. E enquanto perseguirmos apaixonadamente o reino, Ele promete que nos sustentará até o fim de Seu plano. E eu não sei sobre você, mas eu não quero estar aqui um dia além disso. Essa é a promessa Dele.

Há mais um ponto: a preocupação é uma falta de compreensão do prazer divino. Versículo 32: “Não temais, ó pequenino rebanho; porque vosso Pai se agradou em dar-vos o seu reino”. Deus não faz isto com relutância, mas com deleite. Do mesmo jeito que um pai se delicia ao prover os filhos, a quem ele ama. Vamos orar juntos.

Pai, agradecemos que Tu sejas nosso Pai, que nos tenha dado a vida para que possamos cumprir a prioridade divina, e que Tu, como prometeste, nos assegura a vida plena. É o Teu privilégio determinar quando desejas nos levar a essa glória preparada para nós. Pai, agradecemos-Te que nos prefira sobre o resto de Tua criação. E, se o Senhor embeleza e cuida de flores, como não se importará conosco? Nós sabemos que o Senhor irá. Agradecemos a Ti por ser nosso Pai amoroso.
Nós não queremos ser pessoas de pequena fé. Queremos confiar em Ti em tudo. Liberte-nos da preocupação, do medo e da ansiedade, porque confiamos em Ti completamente. E possamos buscar Teu reino e saber que teremos tudo o que precisamos em abundância. Obrigado por essa promessa rica e da qual não somos dignos, mas pela qual agradecemos. Pai, agradecemos agora por Tua verdade. És tão rico para nós! Sela esta verdade nos nossos corações, oramos em nome de Cristo.


Esta é uma série de 2 sermões sobre ‘Viver Livre da Ansiedade”.  Links:


Este texto é uma síntese do sermão “Anxiety-Free Living, Part 2”, de John MacArthur em 26/09/2004.

Você pode ouvi-lo integralmente (em inglês) no link abaixo:

https://www.gty.org/library/sermons-library/42-173/anxietyfree-living-part-2

Tradução e síntese feitos pelo site Rei Eterno


 

Você pode gostar...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *