Vivificados em Cristo

Imprimir

Esse é o sexto sermão de John MacArthur de uma série sobre a carta aos  Efésios, conforme links no final deste texto. 


Começamos hoje o segundo capítulo da carta aos Efésios, onde veremos o que significa obter vida em Cristo, o que realmente significa ser salvo, o que é ser um cristão. Esta é uma das grandes seções da Bíblia sobre a salvação. Isto não é novo para nós, mas como é tão salutar para os nossos corações mergulhar nessas maravilhosas verdades!

O estudo da carta aos Efésios é muito vital. Compreender o que você tem em Jesus Cristo é realmente essencial. Ontem eu estava conversando com um irmão, aqui de nossa igreja, e ele estava me dizendo:

Olha, o estudo de Efésios é muito importante. Eu fui criado em uma família e em uma igreja onde me disseram que quando você é salvo, quando você conhece Jesus Cristo, basicamente nada acontece de especial, apenas uma espécie de ato judicial da parte de Deus, onde Ele perdoa seus pecados do passado e é só isso, não há derramamento de poder, não há dom do Espírito Santo, não há nada, apenas a questão dos pecados passados perdoados. E então, quando você recebe a segunda benção, então você recebe todos os brindes que acompanham a salvação.

E isso seria uma coisa horrível de se pensar, mas é assim que boa parte da igreja crê. Muitos acham que não têm nada e estão tentando encontrar uma segunda coisa. Isso não é o que aprendemos em Efésios. O que vemos aqui em Efésios é que, quando temos Cristo, temos tudo. Nós estamos completos Nele. E as maravilhas de tudo o que Deus nos dá estão aqui, delineadas explicitamente nesta maravilhosa carta.

Nós nos perguntamos muitas vezes a questão: O que significa ser salvo? O que significa ser um cristão? O que significa realmente nascer de novo? Bem, aqui está a definição disso. E há muita confusão sobre isso. Há muitas pessoas que afirmam ter a experiência do novo nascimento, mas não conhecem o significado disso.

Lembro-me de uma vez, quando estava pregando o Evangelho para um muçulmano, ele se entusiasmou e disse que queria Jesus. No fim, ele disse: “Bem, agora eu tenho Jesus e Maomé”. Eu apenas disse que ele não havia entendido nada e estava vendo o Evangelho como uma prateleira cheia de coisas interessantes para se pegar algo.

Há muita confusão sobre o que significa ser cristão, ter Cristo ou ter nascido novamente. Mas, se você olhar comigo Efésios 2: 1 a 10, deve eliminar qualquer dúvida e qualquer pergunta. Porque está aqui. Agora, lembre-se de que o livro de Efésios se preocupa com o que significa estar em Cristo, ser um com Cristo, ser parte de Seu corpo, a igreja da qual Ele é a cabeça. O que significa ter sido planejado no corpo desde a eternidade passada.

Nós vimos no capítulo 1 até o verso 14, que Paulo apresenta o plano mestre de Deus na eternidade passada. Então, dos versículos 15 a 23, ele ora para que possamos entender todas as riquezas e significado de estarmos em Cristo, que significa ser parte do plano eterno de Deus, que significa ter sido eleito, redimido e ter recebido uma herança para sempre com Deus. Falamos sobre as tremendas maravilhas da nossa posição. Tudo o que temos em Cristo está no capítulo 1.

Agora, Paulo se move da eternidade passada no capítulo 2. Aqui encontramos o apóstolo Paulo descrevendo o próprio processo de salvação, o próprio ato de salvação, o próprio ato milagroso da salvação que nos levou a fazer parte desse plano eterno. O plano eterno de Deus está em Efésios 1. Como entramos nele está no capítulo 2.

Agora, eu quero vincular outra coisa ao seu pensamento também. O apóstolo Paulo está muito preocupado que entendamos que, como cristãos, somos possuidores do poder de Deus. Na salvação você é liberto das garras do pecado e recebe todo o poder de Deus. Está tudo lá no momento da salvação. E essa é a mensagem do versículo 19 do capítulo um, onde ele está orando para que possamos entender a tremenda grandeza de Seu poder em relação a nós, os que cremos.

Em outras palavras, Paulo está orando: “Ó Deus, que estes cristãos conheçam o tremendo poder que é deles em Ti”. Isso é o que Paulo quer que você entenda. E então, ele dá uma ilustração disso no versículo 20 de Efésios 1: “o qual exerceu ele em Cristo, ressuscitando-o dentre os mortos e fazendo-o sentar à sua direita nos lugares celestiais”. É o poder com o qual Deus ressuscitou Cristo dentre os mortos e O colocou à Sua direita. É o poder da ressurreição e da exaltação. Essa é a primeira ilustração desse poder que opera em nós.

Ele está orando para que Deus ilumine nosso entendimento para compreendermos isso. Que conheçamos os recursos que temos em Cristo. É um poder tão grandioso, que desfez os grilhões da morte, liberou Cristo e O conduziu até um lugar de exaltação à direita de Deus. Esse é o poder.

Além disso, ele diz no capítulo 2: é o poder que ressuscitou vocês dos mortos e os levou à exaltação, para sentarem-se à direita de Deus com Cristo. Em outras palavras, este é o segundo ponto: para entender o poder de Deus, veja a ressurreição de Cristo e Sua exaltação; em segundo lugar, para entender o poder de Deus, veja a nossa ressurreição e nossa exaltação.

Você diz: “O que você quer dizer? Eu fui ressuscitado dentre os mortos? Eu fui exaltado?” Sim, espiritualmente, isso já aconteceu. Fisicamente, acontecerá no futuro. Algum dia, você será levado para fora deste mundo, então ocorrerá a redenção do corpo (Romanos 8), e você estará com Cristo, conformado à Sua imagem. E esse é o milagre de que Paulo quer falar no capítulo 2. E, ao discutir isso, apresenta-nos uma sublime imagem da doutrina da salvação. Mas, realmente essa apresentação é uma ilustração do poder de Deus concedido ao crente. Agora vamos ver isso ao examinarmos Efésios 2: 1 a 10.

Quero que você veja seis aspectos da salvação. Antes de tudo, vemos que Paulo nos apresenta a salvação em três tempos: passado, versos 1 a 3; presente, versículos 4 a 6 e 8 e 9; e futuro, versículos 7 e 10. Ele vê o passado, o presente e o futuro do cristão. O que ele era, o que ele é, o que ele será quando a salvação ocorre.

Quero que você veja seis aspectos da salvação. A salvação é: do pecado, por amor, para a vida, com propósito, através da fé, para as boas obras. Agora, vamos ver cada um desses aspectos.

Primeiro: Somos salvos do pecado.

Efésios 1
1 Ele vos deu vida, estando vós mortos nos vossos delitos e pecados,
2 nos quais andastes outrora, segundo o curso deste mundo, segundo o príncipe da potestade do ar, do espírito que agora atua nos filhos da desobediência;
3 entre os quais também todos nós andamos outrora, segundo as inclinações da nossa carne, fazendo a vontade da carne e dos pensamentos; e éramos, por natureza, filhos da ira, como também os demais.

Provavelmente esta seja a mais clara declaração sobre a pecaminosidade do homem no Novo Testamento: você é um pecador e está morto. O poder de Deus é cabalmente demonstrado na ressurreição, bem como em nossa ressurreição da morte trazida pelo pecado. Se você é um verdadeiro cristão, você já foi ressuscitado da morte do pecado. E talvez este seja um milagre maior do que a ressurreição física futura.

O versículo diz que “você que estava morto”. Agora, isso descreve a condição de cada indivíduo. Você estava morto. Esse é o passado de um verdadeiro cristão. Se você não é um cristão, essa é sua realidade atual: você está morto espiritualmente.

Você vê, o problema do homem não é que ele esteja fora de harmonia com seu ambiente ou que ele não possa fazer relacionamentos significativos. O problema do homem é que ele está morto. Efésios 4:18 diz que ele está “separado da vida de Deus”. Ele está morto para Deus. Seu corpo está vivo, mas seu homem interior, espiritualmente falando, está morto.

Você diz: “o que significa ser separado da vida de Deus? Morto para Deus?” A melhor maneira de entendê-lo é em referência à morte física. A morte física é uma incapacidade de responder, seja qual for o estímulo. A morte física significa que você não pode reagir. Não importa o estímulo que você faça a uma pessoa morta, não haverá resposta ou qualquer reação, mesmo que seja uma mãe tentando obter uma reação de seu querido filho morto em seus braços. Um morto é incapaz de responder.

A morte espiritual é a mesma coisa. Mesmo com todo amor de Deus, o pecador é incapaz de responder. Uma pessoa espiritualmente morta é alienada (separada) da vida de Deus. Não há capacidade de resposta. O pecador é literalmente um zumbi espiritual caminhando por este mundo. É a morte caminhando.

E qual é a atividade da morte andarilha? Olhe, verso 1; “Mortos em delitos e pecados”. Operando na área do pecado e da transgressão. Não estamos mortos porque pecamos, estamos mortos porque já nascemos pecadores. E porque já nascermos mortos, cometemos pecado. Jesus disse que “do coração procedem os maus pensamentos, mortes, adultérios, prostituição, furtos, falsos testemunhos e blasfêmias” (Mateus 15:19). O que vem do homem é que contamina o homem. E a condição do homem é de morte, e a morte funciona em pecaminosidade.

O ‘aqui’, no grego, é o que é chamado de locativo da esfera. Está se referindo à esfera em que vivemos. É uma localização, uma posição. E, por sinal, o oposto de estar em Cristo é estar em transgressões e pecados.

A palavra ‘pecados’ nesse texto é interessante: “hamartia”. Palavra muito familiar, é uma palavra de caçadores, significa “perder o alvo”. Um homem dispara sua flecha, mas perde seu alvo. A segunda palavra é “paraptema”, a palavra ‘transgressão’, significa escorregar, cair, tropeçar ou seguir a direção errada. Ambos são verdadeiros sobre o homem. Deus usa duas palavras, e ambas no plural, para mostrar a totalidade da pecaminosidade que é o resultado da morte. Ser alienado da vida de Deus significa morte total, total pecaminosidade.

Agora você diz: ‘Mas “hamartia”, no sentido de perder a marca, o alvo, o que você quer dizer ?’. Esta é a verdadeira definição bíblica do pecado. O pecado é uma falha no alvo de Deus. Bem, você diz: “Qual é o alvo de Deus?”. Romanos 3:23 diz: “Porque todos pecaram e destituídos estão da glória de Deus”. O alvo de Deus é a glória Dele. O pecado é uma falha em glorificar a Deus. Romanos 1:21 diz que os homens “tendo conhecido a Deus, não o glorificaram como Deus”.

Isso é pecado. O pecado é não ser eficiente em glorificar a Deus. Isso não significa que todos os homens estão no mesmo grau de podridão. Entre muitos cadáveres, podemos ter diferentes graus de apodrecimento, mas todos estão igualmente mortos. E assim é na história humana e na espécie humana, todos estão mortos, mas há variações de decadência. Mas o pecado não é uma questão de decadência, é uma questão de ficar aquém de algo, longe do alvo de Deus.

Em outras palavras, todos nós entendemos que um ladrão ou um assassino ou um estuprador é um pecador. Mas ouça-me, o pecado tem muito mais a ver com o que você não faz do que com o que faz. Você entendeu? O pecado não é realmente um problema do que você faz, mas do que você não faz. É que você não alcança a glória de Deus. É aqui que você falha. Em Mateus 5:48 Jesus diz: “Sede vós pois perfeitos, como é perfeito o vosso Pai que está nos céus”. E é aí que nós falhamos. Ou como está escrito em I Pedro 1:16, que diz: “Sede santos, porque Eu Sou santo”.

Glória, santidade, perfeição é o alvo, e é aí que falhamos. Agora pode haver diferentes níveis de moralidade, diferentes graus de decadência, mas todos nós ficamos aquém. Alguns podem avançar aqui ou ali, mas nunca chegarão onde Deus quer. Ninguém chega à glória de Deus, à perfeição, à santidade. É por isso que só conhecemos isso em Jesus Cristo, quando a Sua justiça nos é dada por Deus. Então, não é tanto o pecado que faço, mas o que eu não faço. Meus comportamentos pecaminosos são simplesmente o que resta quando não consigo chegar ao padrão de Deus.

E digo isso porque muitas vezes conhecemos pessoas boas, humanamente falando, por vezes pessoas generosas, bons pais, boas esposas, bons filhos etc. Essa é uma boa maneira de ser. Jesus reconheceu isso. Em Lucas 6:33, Jesus diz: “E se fizerdes bem aos que vos fazem bem, que recompensa tereis? Também os pecadores fazem o mesmo”. Jesus disse que os pecadores fazem o bem um com o outro. Está certo.

As pessoas fazem o bem umas com as outras, mas Jesus disse que mesmo assim são chamadas de pecadoras. Porque pecar não é uma questão do que você está fazendo com os outros. Esse não é o ponto. O ponto é o que você não faz e não atinge o que Deus quer. Você não vive uma vida perfeita e não alcança o padrão que é a glória de Deus. Essa é a questão.

E em Lucas 11:13, Jesus disse isso; “Ora, se vós, que sois maus, sabeis dar boas dádivas aos vossos filhos, quanto mais o Pai celestial dará o Espírito Santo àqueles que lhe pedirem?”. Em outras palavras, Ele diz: “Há pessoas que dão boas coisas aos filhos, mas são más”. Seu mal não é manifesto no fato de que eles fazem o bem para seus filhos, mas é manifesto no que eles não fazem e não podem fazer. Eles não podem alcançar o padrão da glória de Deus. A questão é a glória de Deus.

Deixe-me mostrar isso de outra maneira. João 16:8 diz: “Quando ele vier, convencerá o mundo do pecado, da justiça e do juízo”. Agora observe, o Espírito Santo vai convencer as pessoas do pecado. Ele vai se mudar para os corações dos homens e convence-los do pecado.

Que pecado? Verso 9: “do pecado, porque não creem em mim”. Você entendeu? Não é o pecado de fazer algo, é o pecado de não fazer. Vocês não estão vivendo para a glória de Deus, vocês não são perfeitos, vocês não são santos, porque vocês não creem em Jesus Cristo. E não importa o que mais você faça, você sempre estará longe do objetivo. Esse é o problema. Então, o homem está morto. Ele está morto em sua incapacidade de alcançar o padrão de Deus. O homem anda cambaleando e seguindo a direção errada por causa de sua morte. Ele é um zumbi que manifesta uma incapacidade total de cumprir o padrão de Deus. Mesmo assim, de vez em quando, ele manifesta algum bem moral. Vejamos o versículo 2, de Efésios 2:

Nos quais andastes outrora, segundo o curso deste mundo, segundo o príncipe da potestade do ar, do espírito que agora atua nos filhos da desobediência.

A primeira coisa que ele diz: você não está apenas morto antes de ser cristão, mas está funcionando como um caminhante da morte, em pecados e transgressões, de acordo com o curso do mundo. Em outras palavras, você é uma vítima do espírito deste século. As pessoas dizem: “Bem, nós fazemos o que queremos”. Você não está fazendo o que deseja. Você está fazendo o que o mundo dita! Você é apenas um morto descendo um curso.

Agora, a palavra “mundo” aqui é “kosmos” e não se trata do mundo físico, mas do mundo ideológico do pecado. O sistema de Satanás. O sistema que ele gera. O homem alienado da vida de Deus vive de acordo com o padrão mundano, em harmonia com o espírito deste século. Esses “kosmos” tem como príncipe o próprio Satanás (João 12:31). Ele o domina e pressiona o homem, e o homem sucumbe e faz o que o sistema mundial lhe diz que deve fazer. Isso é uma depravação total.

A depravação total é a morte caminhando no pecado e transgressão, de acordo com o espírito deste século. Isso é a depravação total. Isso não significa que você nunca faça uma coisa boa, mas apenas significa que você está preso a um grilhão do qual não pode escapar. O homem está morto e anda segundo o espírito deste século. Qual é o espírito deste século? Você pode vê-lo ao seu redor. Três coisas caracterizam nossa era: humanismo, materialismo e sexo.

O humanismo é você fazer suas próprias coisas, fazer seu caminho, você é o chefe, o rei, o governante. Isso é humanismo. O materialismo diz que você tem que ter. E o sexo domina este século, ele está em todo o lugar. Nós estamos nos afundando em uma fossa.

Você diz: “Quem está por trás disso?” Verso 2 diz: “segundo o príncipe da potestade do ar, do espírito que agora atua nos filhos da desobediência”. Satanás está por trás disso. Isso não significa que todos sejam literalmente habitados por Satanás, como Judas foi. Mas, isso significa que Satanás está por trás das influências, ele está por trás das tendências. Ele e seus demônios cumprem os objetivos. Ele também está no pescoço da religião.

E observe a pequena frase “o príncipe das potestades do ar”. Qual é este ar? Bem, algumas pessoas veem isso como a atmosfera. Essa atmosfera é o primeiro céu ao redor da Terra. O segundo céu é o céu estelar. O terceiro céu é o domínio de Deus.

E algumas pessoas dizem que isto significa que Satanás está em volta da terra, na atmosfera. Mas há mais do que isso nesse texto. Ele pode estar flutuando por aí na atmosfera e ele até pode estar na zona estelar também, bem como ele pode estar no terceiro céu também, de vez em quando, quando ele vai diante do trono de Deus, como em Jó 1. Satanás está flutuando na atmosfera com certeza, lutando contra os santos anjos.

O princípio do poder do ar, acredito, envolve também o domínio das ideias, dos conceitos, isto envolve o mundo da música, dos esportes, da política, da religião. O mundo aqui não significa apenas o globo. Andar de acordo com o curso deste mundo significa de acordo com uma ideologia, de acordo com um sistema de ideias. Ele está promovendo conceitos e ideias. Ele está por trás de todo o sistema.

O mundo dos caminhantes da morte tem uma atmosfera gerada pelos arcos daquela atmosfera, nada menos que Satanás. Ele é o espírito que opera nos filhos da desobediência. Ele está em oposição a Deus. E assim é o reino do pensamento pecaminoso: o ar. É o mundo das ideias pecaminosas. E o homem é desobediente a Deus porque ele é um caminhante da morte, trancado em uma esfera onde ele não pode responder obedientemente.

Paulo continua sua descrição, no versículo 3: “entre os quais também todos nós andamos outrora, segundo as inclinações da nossa carne…”. Somos todos assim. Todos nós estávamos sob os desejos de nossa carne, andando como zumbis dentro de um sistema gerado e controlado por Satanás.

Os “desejos da carne”, isso é “thelema”, significa “dirigir”. O homem é levado a cumprir os desejos da carne e da mente. A carne se refere à sua natureza caída, sua humanidade, sua alma alienada sem Deus. Na carne e na mente, ele é atraído e levado ao pecado. Isso é uma bagunça. Um caminhante da morte, literalmente afundando. Totalmente perdido no espírito deste século, que é promovido por Satanás. Vive atraído pelo pecado e escravo dele.

Todos nós vivíamos “fazendo a vontade da carne e dos pensamentos; e éramos, por natureza, filhos da ira, como também os demais” (v.3). Essa é uma ótima descrição da depravação total do homem. Ele é incapaz de buscar a Deus. Ele é refém da morte que opera nele.

Quais são as duas primeiras palavras do versículo 4? “Mas Deus…”. E aqui nos mudamos para o ponto dois: “Mas Deus, sendo rico em misericórdia, por causa do grande amor com que nos amou, e estando nós mortos em nossos delitos, nos deu vida juntamente com Cristo”.

“Mas Deus”, aqui está o poder que nos fez sair da morte, transformando o zumbi em uma nova criação, cheia de vida, vida eterna. Só recebemos aquilo que merecíamos por causa do pecado, “mas Deus, sendo rico em misericórdia, por causa do grande amor com que nos amou, e estando nós mortos em nossos delitos, nos deu vida juntamente com Cristo” (v.4,5).

Não tem nada a ver conosco, é o amor Dele. A salvação é pelo amor. Deus é amor, é um atributo de Sua Pessoa. Esse amor se manifesta em graça e misericórdia. O amor é o motivo de Deus. Ele é rico em amor, rico em graça, rico em piedade.

Seu amor se estendeu para alcançar aqueles que estavam mortos no pecado. Éramos seres pecaminosos, ímpios, ingratos, indignos, profanos, destituídos, degradados e depravados, andávamos envolvidos em pecados e transgressões, servindo ao príncipe das trevas, que governa um sistema de ideologia que nos afoga na lama. E fomos alvos da ira de Deus e foi por nós que Ele veio e derramou Seu amor. Isso é Deus. E é incrível, você sabe, quando pecamos, porque pecamos contra o Seu amor. Ele nos amou o tempo todo. O homem não apenas quebra Suas leis, ele peca contra o amor de Deus.

Imagine se eu cometesse uma terrível imprudência de trânsito e atropelasse fatalmente uma pessoa. Eu seria acusado de um crime, pagaria uma multa, seria julgado e talvez preso por homicídio culposo. E depois que cumprisse minha pena, no que diz respeito à lei, seria um caso encerrado. Nada mais importa, a lei está satisfeita, não tem mais interesse em mim, não tem mais nenhuma preocupação comigo, acabou. Mas, isso é um pecado contra a lei.

E a mãe do menino? Essa é outra história, não é? Será que eu poderia compensar a perda dessa pequena vida pagando uma multa? Eu teria pecado contra o amor dela e não contra a lei. Só existe uma maneira pela qual eu poderia ter um relacionamento com ela, e isso seria se ela me oferecesse incondicionalmente o perdão. Essa é a única maneira.

E é precisamente isso que Deus fez. Nós não pecamos apenas contra a Sua lei, nós matamos Seu Filho. Nós matamos Seu Filho e continuamos a fazê-lo em rejeição e desafio aberto não crendo Nele. E, no entanto, Deus nos alcança e diz: “eu sei que você fez isso, mas eu lhe ofereço perdão incondicional e completo”. E assim é que Deus em Seu grande amor não só vê Sua lei satisfeita, mas Ele vê Seu amor. Somos salvos do pecado pelo amor de Deus.

Terceiro, a salvação é para a vida. Qual é a única coisa que um homem morto mais precisa? Não é de um caixão, mas de vida. É o que Paulo está tentando dizer aqui: Ele vai fazer você viver. E ele diz isso no versículo 5: “e estando nós mortos em nossos delitos, nos deu vida juntamente com Cristo — pela graça sois salvos”.

O poder de Deus que ressuscitou Jesus dentre os mortos agiu em nossas vidas para nos tirar da morte do pecado. A salvação é a vida. Ele nos fez viver. Quando você se converteu a Cristo, você não estava mais alienado da vida de Deus. Você ganhou vida. Você, de repente, tronou-se sensível a Deus. O Espírito de Deus estava em sua vida e as coisas faziam sentido. E você conheceu a Cristo e houve uma irmandade imediata com outros cristãos. Você se tornou o possuidor da vida eterna comum. Essa é a vida que Deus nos trouxe.

E Ele fez isso quando ressuscitou a Cristo. Ele nos fez viver juntos com Ele. Nós estávamos lá quando Ele ressuscitou dos mortos. Nós estávamos lá quando Ele saiu do túmulo. Nós fomos levantados com Ele. E o poder de Deus já foi exibido em nosso nome.

Portanto, a salvação é do pecado, pelo amor, para a vida. Em quarto lugar, a salvação é com um propósito. Então, o que é um propósito? Qual é este propósito? Verso 6: “e, juntamente com ele, nos ressuscitou, e nos fez assentar nos lugares celestiais em Cristo Jesus”.

Isso é tão bom! Quando Deus nos levantou dentre os mortos, Ele não nos deixou no cemitério. Sabe, quando Lázaro saiu do túmulo, Jesus disse: “Solte-o e deixe-o ir.” O sujeito não poderia viver o resto de sua vida naquela roupa de defunto. E quando Jesus te ressuscitou dentre os mortos, não foi para deixar você vagar ao redor do cemitério com roupas de defunto, mas Ele o tirou para fora do túmulo, um milagre de ressurreição. E o fez assentar em lugares celestiais.

Uma primeira ilustração do poder de Deus: Ele ressuscitou Jesus e O exaltou à Sua mão direita. Ilustração número dois: Ele ressuscitou você e o exaltou a se sentar nos lugares celestiais em Cristo Jesus. Você já está sentado nos lugares celestiais. O tempo verbal aqui é de um fato já ocorrido. Já está pronto. Se você é cristão, você já está sentado nos lugares celestiais. Sua cidadania está no céu (Filipenses 3:20).

Você não é mais desse mundo. Você tem a vida eterna. E você simplesmente está andando neste mundo morto. Mas, é oposto de estar morto neste mundo, pois você está vivo. E sua vida está no céu, escondida com Cristo e com Deus. Ele não nos ressuscitou para vivermos na dimensão deste mundo. Ele nos exaltou e nos levou para os lugares celestiais. Somos abençoados com toda a benção espiritual.

Você diz: “O que você quer dizer com estar nos lugares celestiais? Você quer dizer que você está no céu?”. Não, eu estou bem aqui, mas minha mente existe no domínio de Deus. É isso que quer dizer o texto.

Todas as minhas bênçãos estão lá e lá eu conversarei com Deus face a face. É o meu verdadeiro e eterno lar. Todas as ordens que recebo vêm de lá e todos os meus serviços sobem para lá. Todos os meus sacrifícios são oferecidos para lá. Você vê, esse é o meu mundo. E assim Deus não apenas me ressuscitou dos mortos, mas Ele me ressuscitou para estar com Ele.

Você diz: “Bem, por que Ele fez tudo isso? Por que Deus iria querer dar vida a um monte de pecadores imundos e leva-los para perto Dele? Por quê?”. Verso 7 responde: “para mostrar, nos séculos vindouros, a suprema riqueza da sua graça, em bondade para conosco, em Cristo Jesus”. Aqui está o propósito.

Não há dúvida de que a salvação é, em grande parte, para a bênção do cristão, porém é ainda mais para o propósito da glorificação eterna de Deus, por conceder aos cristãos Sua graça e bondade. Todo o céu O glorifica pelo que Ele fez em salvar pecadores (Efésios 3:10 / Apocalipse 7:10-12). Não merecemos isto, mas Deus é amor (I João 4: 8,16). E o amor quer ser amável e gracioso. Este é o propósito, amados.

Você não foi salvo apenas para ser mantido fora do inferno, você foi salvo principalmente para que Deus pudesse derramar Sua graça e Suas riquezas sobre você, dispensar a Sua benção e colocar Suas riquezas sobre você. Agora, para alguns que vêm e dizem: “bem, quando você foi salvo, você ainda não obteve nada…”. Bem, isso é como você agredir Deus. Se você pensa assim, está negando o plano geral da salvação.

Desde o momento em que você é salvo, é por toda a eternidade, Ele está descarregando em você as riquezas da Sua graça. É tudo seu. Ele não retém nada, nada mesmo. Ele lhe dá tudo através de Jesus Cristo. Oh, que coisa maravilhosa, irmãos! Você não perde nada. É tudo seu em Cristo. Tudo seu. E então, você sabe o que Ele faz? Quando Ele tem tudo feito, derramando toda a Sua graça sobre você, Ele vai te usar como um evidenciador de Sua glória. Efésios 3:10-11 diz:

Para que, pela igreja, a multiforme sabedoria de Deus se torne conhecida, agora, dos principados e potestades nos lugares celestiais, segundo o eterno propósito que estabeleceu em Cristo Jesus, nosso Senhor.

Ou seja, Deus usa a igreja para mostrar aos anjos toda Sua maravilha e graciosidade. E todos os anjos cantam Aleluia. E no final Deus recebe toda a glória. Esse é o propósito.

Então, nunca pense que não tem recursos. Deus salvou você com o único propósito de derramar sobre você suas riquezas e te encher de bondade e graça, que te salva e sustenta nesta salvação até o fim. Os anjos olham isto e adoram a Deus por Ele ser tão amável, gracioso e sábio. Portanto, a própria glória de Deus está em jogo e Ele nunca diminuirá a Sua própria glória. Portanto, se Ele ganha glória, derramando graça sobre você, Ele fará isso.

Então, somos salvos do pecado, pelo amor, para a vida, com propósito. Em quinto lugar, através da fé. Versos 8-9: “Porque pela graça sois salvos, mediante a fé; e isto não vem de vós; é dom de Deus, não de obras, para que ninguém se glorie”.

A fé simplesmente crê. Não é algo complicado para se entender. É um dom de Deus, não vem de nós. Se a fé viesse de nós, poderíamos nos vangloriar. E então, quem ganharia a glória? Nós. Mas Deus quer a glória. Ele fez tudo e nada vem de nossas obras e esforços. O trabalho está pronto, tudo ficou consumado na cruz (João19:30). Não há nada que possamos fazer, Jesus fez tudo. Não é de obras, para que nenhum homem se vanglorie. É pela fé. A fé simplesmente crê.

“A fé, e isto não vem de vós”. “Isto” refere-se a toda afirmação anterior a respeito da salvação, não somente da graça, mas da fé. Embora as pessoas tenham de crer para serem salvas, até mesmo essa fé é parte do dom de Deus, a qual salva e não pode ser exercida pela capacidade da própria pessoa. A graça de Deus é preeminente em todos os aspectos da salvação (cf. Rom 3:30; Gl 2:16). E essa é a essência da fé. É crer. E quando você recebe o dom da fé, você se torna vivo no mesmo instante. Esse é um grande milagre, amados. 

Você nunca precisa questionar o poder de Deus, você já viu. Você percebe o quão morto você estava e agora, de repente, você foi salvo pela graça, isso não veio de você mesmo, mas de Deus. Não há nenhum trabalho seu envolvido nisso, a glória é toda de Deus.

A salvação não veio até você pelo seu batismo, pelo comparecimento aos cultos da igreja, por ser membro de uma igreja, por dar ofertas, obedecer a mandamentos, fazer boas obras e etc. Na verdade, o inferno será carregado com pessoas que fizeram tudo isso. A salvação é através da fé, salvação do pecado, para a vida, com propósito.

E, por último, a salvação é para boas obras. Esse é um resultado da verdadeira fé. Por quê? Porque João 15:8 diz: “Nisto é glorificado meu Pai, que deis muito fruto; e assim sereis meus discípulos”. Quando Deus o salva, ele quer ver em sua vida as boas obras, porque isso manifesta Seu poder. Ele tem o poder de salvá-lo e a manifestação desse poder em suas boas obras é para a glória Dele.

A Bíblia fala muito sobre as obras. Existem as obras da lei, que não podem salvar (Gálatas 2 e 3). Existem as obras da carne (Gálatas 5:19 a 21). Há as obras das trevas (Romanos 13 e Efésios 5). Há as obras mortas (Hebreus 6). Estes não são o tipo de obras de que estamos falando. Não estamos falando de obras que salvam, porque nenhuma delas pode fazer isso.

Estamos falando sobre as obras que são o resultado da salvação, o que acontece depois. Olhe para o versículo 10: “Pois somos feitura dele, criados em Cristo Jesus para boas obras, as quais Deus de antemão preparou para que andássemos nelas”. Ouça, antes de Deus ordenar que você caminhe em boas obras, Ele também lhe deu o poder de fazer isso quando você foi salvo. Esse é o ponto. Você não precisa de alguém para provar a você o poder de Deus, a excelsa grandeza de Seu poder em relação a nós. Tudo que você precisa fazer é olhar para sua própria ressurreição, sua própria exaltação e seu próprio poder para fazer aquelas coisas que são boas obras aos olhos de Deus. Você deve ser estar cheio com boas obras, diz Paulo neste versículo.

A palavra “feitura”, no verso 10, é uma palavra grega. As primeiras quatro letras da palavra grega são ‘p-o-e-m’, poema, somos o poema de Deus. E a palavra realmente significa “uma obra-prima”. Somos a obra-prima de Deus. E Ele projetou desde antes da eternidade para nos conformar com Cristo, para nos moldar para boas obras e Ele o faz, pelo Seu poder.

Escute, o poder de Deus está no trabalho em sua vida, moldando você à imagem de Jesus Cristo. O mesmo poder que você viu quando você foi salvo. E você vê isso todos os dias enquanto vive sob Sua pressão para se conformar com Cristo. Você é a obra-prima Dele.

Você diz: ”Eu não sou uma obra-prima”. Deus fez, mas Ele ainda não acabou. E em nenhum de nós Ele já terminou. Mas a moldagem está acontecendo. E as boas obras são parte disso. Ouça: quem é o verdadeiro cristão? Aquele que faz as boas obras. E você vê em suas vidas boas obras sendo produzidas pelo poder de Deus e para a glória de Deus. Porque a salvação é para as boas obras.

Espero que você conheça mais do que apenas uma religião. Espero que você realmente conheça esta salvação. Que você conheça e recite o Salmo 23 sem que isto não signifique nada para sua vida. Mas, se você conhece o Pastor a que se refere o Salmo 23, você tem tudo. E essa é a diferença.

Conhecer o Cristo de Deus significa estar vivo e essa é a mensagem que Paulo quer dar nesses versículos. E se você foi feito vivo em Jesus Cristo, nunca precisa questionar o poder de Deus disponível em sua vida agora. Vamos orar.

Pai, obrigado por esta manhã. Traga, Pai, para você mesmo aqueles que o Espírito está cortejando. Que todos nós estejamos mais agradecidos e mais conscientes do tremendo poder já exibido em nossas vidas. Nós Te daremos o louvor e pediremos que Tu tragas para Ti mesmo aqueles que não Te conhecem, atraia-os para o lugar de oração, Pai. E nos reencontre novamente esta noite com emoção em nossos corações enquanto adoramos e compartilhamos o batismo e a comunhão. Nós te daremos o louvor em nome de Jesus, Amém.


Esta é uma série de sermões sobre Efésios. Links dos sermões já publicados:


Este texto é uma síntese do sermão “Coming Alive in Christ , de John MacArthur em 26/02/1978 (com duas pequenas citações da Bíblia de Estudos MacArthur).

Você pode ouvi-lo integralmente (em inglês) no link abaixo:

https://www.gty.org/library/sermons-library/1908/coming-alive-in-christ

Tradução e síntese feitos pelo site Rei Eterno


 

Você pode gostar...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *