Satanás e os Anjos Caídos – 1

Imprimir

Esta é uma série sobre Satanás, os anjos e os demônios (veja os links dos sermões no final deste texto). John MacArthur “mergulha” nas Escrituras Sagradas e nos mostra o que Deus deixou registrado para que soubéssemos sobre este assunto. Tudo que está nas Escrituras Sagradas é importante, não temos qualquer outra fonte para buscar entender os anjos e o próprio Satanás. Infelizmente, muitos abandonaram as Escrituras Sagradas e estão correndo atrás de superstições e enganos de homens fraudulentos.


Nessas últimas semanas de verão, decidi fazer uma pequena série, nas manhãs de domingo, sobre Deus, Satanás e os anjos. E assim, hoje à noite, e nas próximas duas semanas, vamos estar olhando para o personagem Satanás. Eu acho que é muito importante que tenhamos uma compreensão acerca de Satanás.

Eu me lembro, quando eu estava na faculdade, que uma das coisas que nós fazíamos no futebol como preparação para um jogo era copiar as estratégias do adversário e aplicá-las contra nosso próprio time nos treinos. Ou seja, fazíamos nos treinos o que o nosso oponente faria, para melhor conhecermos o inimigo. Ser capaz de prever o que seu oponente vai fazer é muito importante.

No futebol profissional, e até mesmo na faculdade agora, essa estratégia de preparação é desenvolvida por sofisticados programas de computador. E eles podem prever exatamente o que um adversário vai fazer. Eles sabem quantas vezes uma determinada equipe executa um determinado jogo em um determinado ponto no jogo. O único fator imprevisível é o erro humano.

Esta estratégia é também usada em outras modalidades esportivas. Um boxeador se prepara para uma luta descobrindo onde está a vulnerabilidade de seu oponente e o ataca nesse ponto. Isto é verdade em tudo o que fazemos em termos de concorrência ou de combate a um inimigo. Bem, não é menos verdade na área espiritual.

Se vamos entender como melhor obter vitória, devemos saber quem e como é nosso inimigo. Quanto melhor compreendermos o nosso inimigo, melhor compreendemos suas inabilidades. E é isso que queremos fazer ao olhar para Satanás. Certamente não para glorificá-lo, mas para desmascará-lo, a fim de que possamos vê-lo nesse corrompido e derrotado caráter que ele possui.

Agora, todos estamos conscientes do relato da criação, em Gênesis 1 e 2. “No princípio, Deus criou os céus e a terra, e a terra era sem forma e vazia, e as trevas estavam sobre a face do abismo, O Espírito de Deus pairava sobre as águas…” e, em seguida, a criação começou. Estamos todos cientes de que havia seres vivos no universo. Quem eram eles?

Abra sua Bíblia em Jó 38 e descubra quem estava por perto quando Deus criou o mundo. Jó 38, verso 4. Agora, aqui encontramos o Senhor fazendo algumas declarações interessantes a Jó. No versículo 4 de Jó 38, Ele diz: “Onde estavas tu, quando eu fundava a terra? Faze-mo saber, se tens inteligência.” E a implicação, é claro, é que Jó não estava em lugar algum. Jó não tem nenhuma resposta, porque não estava lá para ver.

‘Onde estavas tu, quando Eu fundava a Terra, Jó? Você não estava em lugar nenhum.’ Versos seguintes: “Quem lhe pôs as medidas, se é que o sabes? Ou quem estendeu sobre ela o cordel? Sobre que estão fundadas as suas bases, ou quem assentou a sua pedra de esquina?”  Deus estava requerendo que Jó descrevesse o processo da criação.

Jó estava lá? Não, ele não estava, obviamente. Mas, onde estavas, Jó  “quando as estrelas da alva juntas alegremente cantavam, e todos os filhos de Deus jubilavam?” (v. 7). Agora, aqui, veja isto, Deus identifica as estrelas da manhã cantando juntas e todos os filhos de Deus gritando de alegria no tempo da criação. Você vê? As ‘estrelas da manhã’ não podem ser verdadeiras estrelas. O que são? Elas são os mesmos que os ‘filhos de Deus’ mencionados no VT.

O que eles são? Resposta: anjos. Os anjos já haviam sido criados quando Deus fez o mundo. Essa é a implicação deste texto. Anjos são chamados ‘ben haElohim’, em Jó 1: 6, 2:1 e 38:7,  que significa ‘filhos de Deus’ – Jó 2: 1. Como vimos nesta manhã, o termo “filhos de Deus” é reservado para aqueles que foram criados por um ato direto de Deus.

Agora, nós não sabemos quando os anjos foram criados, mas eu acho que é seguro dizer que eles estavam por perto quando o mundo foi feito. Nós não sabemos exatamente por quanto tempo já existiam, porque não há nenhuma revelação disso nas Escrituras. Mas, o importante é que eles estavam lá. Agora, Colossenses 1:16 diz: “Porque nele foram criadas todas as coisas que há nos céus e na terra, visíveis e invisíveis, sejam tronos, sejam dominações, sejam principados, sejam potestades. Tudo foi criado por ele e para ele.

Uma observação importante: tronos, domínios, principados e poderes são todos títulos para anjos. Essas são todas as categorias dos seres angélicos. E diz lá em Colossenses 1:16 que Deus criou anjos. É usado no texto, no original, um verbo aorista que significa ‘em um ponto na história passada, Deus fez os anjos.’ Aliás, parece-me claro na Palavra de Deus que todos os anjos foram criados ao mesmo tempo. Todos eles criados por um ato direto de Deus. De fato, foi Sua Palavra que os fez. Sua Palavra é que criou tudo, e com os anjos não foi diferente.

O Salmo 148, versículo 2, diz: “Louvai-o todos os seus anjos. Louvai-o todas as suas hostes. Louvai-o sol e lua. Louvai-o todas as estrelas de luz. Louvem-lhe os céus dos céus, as águas que estão acima dos céus, que louvem o nome do Senhor, porque Ele ordenou e foram criados.” Tudo, inclusive os anjos, devem louvar a Deus, porque foram criados por Seu comando . E, tão instantaneamente quanto Deus criou tudo no Gênesis, Ele criou todos os anjos.

Você poderia dizer: ‘Bem, como você sabe que Ele não criou um par de anjos e eles começaram a se reproduzir?’ Porque os anjos não podem fazer isso. Os anjos não procriam. Você diz: ‘De onde vem isso?’ Vem de Mateus 22, versículo 28, que diz: “Portanto, na ressurreição, de qual dos sete será a mulher, visto que todos a possuíram?” Você sabe, eles estavam tratando do assunto da Lei de que com a morte do marido seu irmão deve tomar sua esposa. Assim, se o irmão não fosse casado, ele deveria se casar com a viúva e continuar a família.

Mas, nesse caso hipotético que trouxeram a Jesus, o marido morreu, o seu irmão veio e se casou com a viúva, mas então este também morre.  E veio o irmão seguinte e se casou com ela, mas também morreu. E isso aconteceu repetidamente, de modo que ela se casou com os sete irmãos. E a pergunta vem ao Senhor: “na ressurreição, de qual dos sete será a mulher, visto que todos a possuíram?

E, claro, esta é realmente uma situação bizarra, de qualquer maneira. Os saduceus fizeram essa pergunta a Jesus tentando embaraçá-Lo, porque não acreditavam na ressurreição. O cerne da pergunta era: ‘de quem a mulher será  esposa quando todos, ela e os sete maridos, ressuscitarem?’Jesus respondeu nos versículos 29 e 30: “Errais, não conhecendo as Escrituras, nem o poder de Deus. Porque na ressurreição nem casam nem são dados em casamento; mas serão como os anjos de Deus no céu.

Os anjos não se casam e não procriam. Todos eles foram criados instantaneamente através de uma palavra falada no passado, um ato de Deus na criação. Evidentemente, foram criados antes da criação do mundo, já que eles estavam todos cantando juntos enquanto Deus criava o Universo. Eles foram criados com o propósito de servir e glorificar a Deus. Esse é o propósito para o qual todos os anjos foram feitos: servir e glorificar a Deus, louvá-Lo e obedecê-Lo.

Se você ler Apocalipse, descobrirá no capítulo 4, que é exatamente o que eles fazem. Eles O louvam. Se você ler Hebreus, no capítulo 1, você descobrirá que é exatamente o que eles fazem, eles O servem. Os anjos são chamados em Hebreus 1, “espíritos ministradores”. A palavra significa ‘servir’. Eles servem aos propósitos de Deus, cumprindo Suas ordens, honrando-O, louvando-O e glorificando-O.

Agora, é interessante especular sobre quantos anjos existem. E não estou tentando voltar à antiga pergunta teológica: “Quantos anjos Deus pode colocar na cabeça de um alfinete?”, o que, claro, é irrelevante. [Nota do tradutor: o filósofo Mortimer Adler tratou desta famosa questão em seu livro “The Angels and Us” (“Nós e os Anjos”), em um capítulo intitulado “Ocupação Angélica de Espaço e o Movimento Nele”]. Não é isso que estamos dizendo.

Mas, é interessante imaginar, do ponto de vista dos números, quantos anjos realmente existem. Jesus, em Sua crucificação, disse que, se quisesse, poderia chamar 12 legiões de anjos. Uma legião romana era de 6.000 homens. Agora, um anjo já teria sido mais do que suficiente, sem dúvida. Um anjo sozinho matou 185.000 homens no Velho Testamento! Então, você realmente não precisaria de muitos deles.

E quantos deles existem? Em Apocalipse, capítulo 5, é dito no versículo 11: “E eu vi e ouvi a voz de muitos anjos ao redor do Trono…” Quantos?  “… e era o número deles milhões de milhões, e milhares de milhares…“. O que João está tentando fazer aqui não é ser exato, mas ser inexato, é apenas mostrar que realmente eles estão além da capacidade de contar. De fato, Hebreus 12:22 diz: “Mas chegastes ao monte Sião, e à cidade do Deus vivo, à Jerusalém celestial, e aos muitos milhares de anjos“.

Você sabe quantos anjos existem? Há tantos que não se pode contar. Você diz: ‘Você crê que haja bilhões deles?’ Alguns acreditam que são iguais às estrelas do céu, porque eles são chamados de estrelas. Dizem que isso é uma inferência de que provavelmente haja tantos anjos quanto estrelas. Quantas estrelas existem? Não me pergunte isso, pois existem bilhões delas.

Outras pessoas presumiram que, porque nosso Senhor alude a “seu anjo”, aparentemente em referência a cada indivíduo, que haja um anjo para cada indivíduo que já viveu. Eu não estou muito certo de que essa conclusão esteja correta, porque um anjo só teria 60 anos ou mais de algo para fazer, e então, ele estaria andando por aí o resto do tempo, ou sei lá como isso funcionaria…

Mas, o ponto é que há anjos, gente, e há muitos anjos. Há tantos anjos que não é possível serem contados. Assim, quando Deus criou anjos, Ele fez algo. Foi um ato poderoso. Você sabe, nós pensamos na criação como uma coisa simplista: Deus fez o homem. Ele pegou um pouco de barro e moldou. Bem, se você quiser pensar sobre a criação em sua vastidão, imagine apenas Deus falando uma palavra e milhares de seres chegando instantaneamente à existência!

Todos eles belos, todos sábios, poderosos, todos glorificando e servindo a Ele. E Ele os chamou à existência através de Sua palavra. Agora, você pode dizer: ‘bem, em algum lugar ao longo do tempo, antes de Gênesis 3, algo aconteceu para corromper esses anjos, porque um deles realmente é a própria corrupção, quando você chegar a Gênesis 3, esgueirando-se no jardim como uma cobra…”  Você está certo. Sabe o que aconteceu? Os anjos caíram. Uma tragédia aconteceu – um grande grupo de anjos no céu se rebelou.

Uma das questões mais difíceis em toda a teologia é o que chamamos de problema da teodiceia. De onde veio o pecado? Bem, nós dizemos que veio dos anjos, pois eles pecaram primeiro. Eles caíram. De onde veio o pecado deles, então? A melhor resposta é que não sabemos. Mas, acredite, o pecado chegou até nós através dos anjos. Isso é tudo o que nós sabemos. Isso é evidente.

E você sabe, eu me pergunto: como os anjos puderam se rebelar? Contra o que eles estavam se rebelando? Contra um Deus absolutamente santo? Contra uma situação absolutamente feliz? Eles tinham inteligência. Eles conheciam a situação em que existiam. Eles devem ter visto que era uma situação absolutamente gloriosa. Eles tinham a capacidade de se comunicar. Eles tinham a capacidade de responder a Deus e  Deus responder a eles. Eles tinham emoções. Eles passavam seu tempo louvando a Deus. Eram criaturas responsáveis, dotadas de vontade. Não eram robôs. Eles eram inteligentes, emocionais. Mas, a despeito de tudo isso, eles se rebelaram.

Eu não sei por quê. Eu não sei como. Eu não sei como a tentação poderia ter sido gerada na mente de Lúcifer, mas eu sei que foi gerada, porque eu sou um produto dos resultados disso. O líder da rebelião é Satanás e, em Mateus 25:41, nosso Senhor fala das hostes de Satanás como “seus anjos”, ou “Satanás e seus anjos”.

Agora, ouça-me. Quantos anjos caíram? De acordo com Apocalipse, capítulo 12, temos uma resposta clara. Gostaria de chamar sua atenção para isso e mostrar-lhe. Apocalipse, capítulo 12, nos versos 3 e 4, fala sobre Satanás. Ele é chamado de dragão, mais precisamente o grande dragão vermelho. O versículo 4 fala sobre a sua queda: “E a sua cauda levou após si a terça parte das estrelas do céu…“. Quantos dos anjos estavam na rebelião? Um terço deles.

Agora, um terço dos anjos se rebelaram com Satanás. Você diz: “Todos esses anjos estão soltos, andando pela Terra como os ‘anjos de Satanás’, que chamamos de demônios?” Não, nem todos estão vagando por aí. Alguns deles estão trancados. Você sabia disso? Você sabia que alguns desses demônios estão presos? Alguns deles estão trancados por um tempo e alguns deles estão presos para sempre.

Deixe-me dar-lhe um pequeno diagrama, como se estivéssemos diagramando uma frase. Assim, temos os anjos e podemos inicialmente dividi-los em dois grupos: os anjos santos ou anjos eleitos e os anjos caídos. Dos anjos caídos, há dois tipos: os que estão soltos e os presos. Os soltos chamamos de demônios. Os presos existem de dois tipos: os permanentemente presos e os temporariamente presos.

Os que estão permanentemente presos nos são mostrados nas epístolas de Judas e Pedro, onde é revelado que estão reservados em cadeias eternas. E nós cremos que esses são os que pecaram em Gênesis 6, coabitando com mulheres, produzindo gigantes na terra e que foram destruídos no dilúvio. Aqueles que estão temporariamente presos podem ser os que foram lançados no abismo. E em Apocalipse 9, eles são vistos saindo do poço do abismo durante a tribulação. Mas, há um monte deles soltos agora.

Assim, há bilhões de demônios, alguns presos temporariamente, alguns permanentemente e muitos, muitos deles estão soltos. Eles são os anjos de Satanás. Agora, essa é uma breve introdução ao conceito de um ser vivo real que é chamado de diabo. Ele é o líder dessa rebelião dos anjos.

Agora, é verdade? E essa é uma pergunta justa. Satanás existe realmente? Algumas pessoas pensam que a única coisa que é muito real sobre o diabo é o fato de ele ser uma fantasia de Halloween e nada mais. Que a caricatura de Satanás é simplesmente algo que alguém inventou para assustar crianças pequenas, a fim de que façam o que seu pai lhes diz. Existe alguma evidência para acreditar que há um anjo caído, um ser ativo pessoal oposto ao plano de Deus?

Bem, certamente, se você olhar cuidadosamente para a razão, para a filosofia, vai concluir que deve haver um adversário. Do ponto de vista filosófico, há um Deus, Ele fez o mundo. Ele é poderoso o suficiente para fazer o mundo da maneira que Ele quis fazer. No meio do mundo que Ele fez, a harmonia absoluta não existe. Há uma dicotomia confusa de felicidade e tristeza, de sabedoria e estupidez, de realização e fracasso, de bondade e crueldade, de vida e morte.

Parece haver duas realidades opostas correndo lado a lado. Sempre que dizemos a alguém que é ímpio que “Deus é um Deus bom e amoroso”, geralmente a resposta que teremos é:  “Oh, realmente? Bem, como pode existir esse Deus e existir tanta tragédia?” O próprio fato de que toda essa oposição a Deus existe é evidência suficiente de que exista também algum outro ser pessoal ativamente empenhado em tentar sufocar o plano de Deus.

Poderia o mesmo Deus criar o bem e, então, criar seu oposto, o mal, e lutar contra Si mesmo e então ficar frustrado com essa luta que Ele mesmo criou? Não. Isso é como a velha pergunta: “Poderia Deus fazer uma pedra tão grande Ele não pode levantá-la?” Não faz sentido. Dr. Vaughn Gertile diz, falando do universo criado: “Por um lado, [o universo] demonstra demasiada inteligência, muita sabedoria e felicidade que não poderiam justificar uma negação de Deus. Por outro lado, [o mesmo universo] demonstra demasiada falta de inteligência, mal e infelicidade,  que podem fazer crer em um Deus provável.

Eric Sauer diz em seu livro ‘Homem, O Rei da Terra’ que: “A existência da tristeza e do mal em todo o mundo prova a existência de um poder dinâmico transcendental real não desejado por Deus.” Porque Deus nunca criaria tudo e, então, se transformaria em oposição àquilo que Ele mesmo criou. Isso seria como se um homem estivesse construindo um portão e levantando um muro para fechá-lo ao mesmo tempo. Você não pode fazer isso.

Sauer diz: “O fato é que o diabo é um ser espiritual cuja existência não pode de modo algum ser contestada pela filosofia ou pelas ciências naturais, pois é justamente no nosso mundo e no nosso universo que nos rodeia que observamos a desarmonia, a morte , a destruição. Até mesmo uma contemplação puramente especulativa da natureza se concentra na conclusão de que este mundo, e presumivelmente o sistema solar conectado com ele, são o domínio deste governante mundial e poderoso.” É óbvio que existe um ser que combate os propósitos de Deus.

Agora, além da necessidade filosófica, há uma abundância de evidências bíblicas que atestam que o diabo existe. E eu creio que a evidência mais forte, pelo menos em minha mente, é a evidência provinda de nosso Senhor Jesus Cristo. Ele atestou a existência de um ser pessoal demoníaco. Ele atestou que o diabo existe.

Olhe comigo  Mateus, capítulo 4: “Então foi conduzido Jesus pelo Espírito ao deserto, para ser tentado pelo diabo. E, tendo jejuado quarenta dias e quarenta noites, depois teve fome; e chegando-se a ele o tentador, disse: Se tu és o Filho de Deus, manda que estas pedras se tornem em pães.” (vv. 1-4). Jesus respondeu: “Nem só de pão viverá o homem, mas de toda a palavra que sai da boca de Deus.” E você conhece a conversa inteira…

O Senhor passou dez versículos registrados ali, pelo menos, conversando com o diabo. Não há dúvida de que nosso Senhor estava convencido da realidade de Satanás. Durante todo Seu ministério, Ele falou a respeito de Satanás. Ele expulsou demônios. Ele andou por toda parte desfazendo as obras que Satanás estava tentando fazer. João 12:31: “Agora é o juízo deste mundo; agora será expulso o príncipe deste mundo.” Nosso Senhor está dizendo: ‘Eu estou em conflito com Satanás, eu vou para a cruz para obter a vitória.’

Nosso Senhor sabia o que estava fazendo. Ele sabia que estava em conflito com uma pessoa real. Por quê? Porque Ele tinha conhecido este ser na eternidade desde o tempo em que Ele o criou. Ele o conheceu antes da queda e depois dela. Ele sabia exatamente com quem estava lidando. E há uma pessoa que o diabo nunca enganará, e esse é o Deus que o fez.

Jesus disse, em João 14:30: “Já não falarei muito convosco, porque se aproxima o príncipe deste mundo, e nada tem em mim.”  Jesus falou de em uma atividade consciente de Satanás na terra. Em João 16:11, Ele diz: “O príncipe deste mundo é julgado.” Não há dúvida sobre o fato de que nosso Senhor estava em conflito com Satanás.

Em João 8:44, Jesus diz: “Vós tendes por pai ao diabo…“. Em Efésios 2: 2, Paulo diz: “O espírito que agora opera nos filhos da desobediência“. Paulo cria na existência de Satanás. João também. Em 1 João, capítulo 3:8, estudamos isso recentemente em nosso estudo de I João: “Quem comete o pecado é do diabo; porque o diabo peca desde o princípio. Para isto o Filho de Deus se manifestou: para desfazer as obras do diabo.

Ouça-me: alguém dizer que crê em Cristo, como alguns fazem, mas não crê no diabo, é fazer uma zombaria quanto ao que Cristo estava fazendo. Você tem que crer em ambos, ou você não entende mesmo o Novo Testamento. De fato, diz I João 5:19: “O mundo inteiro jaz no maligno.” Tiago cria na existência de Satanás. “Resisti ao diabo e ele fugirá de vós“, ele disse, no capítulo 4, versículo 7. Pedro também cria. Capítulo 5, versículo 8, de 1 Pedro, ele diz acerca do diabo: “Ele anda como um leão rugindo, procurando a quem possa devorar“.

Todo o Novo Testamento está cheio disto. Eles conheciam o propósito de Deus em enviar Cristo para lidar com o diabo. Se você estuda a Bíblia, você tem que acreditar que o diabo existe. Apenas ouça. Ele tentou Eva em Gênesis 3. Ele tentou Cristo em Mateus 4. Ele perverteu a Palavra em Mateus 4. Ele se opôs à obra de Deus em Zacarias 3. Ele impediu os servos de Deus em 1 Tessalonicenses 2. Ele impede o evangelho, Mateus 13.

Em 2 Coríntios 4, Ele enlaça os ímpios. Em 2 Timóteo 2, engana as nações. Em 1 Reis 22 e Apocalipse 16:20,  Ele é um anjo de luz. Em 2 Coríntios 11,  ele promoveu a entrada do pecado e a queda da raça humana, em Gênesis 3. Ele aparece diante de Deus, em Jó 1. Ele caminha como um leão que ruge, em 1 Pedro 5. Ele é o acusador dos irmãos, em Apocalipse 12. Ele tinha o poder da morte, Hebreus 2. O mundo inteiro está em seu colo [jaz nele], em 1 João 5.

Bastante óbvio na Bíblia que ele existe. Na verdade, ele age bastante no mundo. Se alguém pudesse negar a existência do diabo, também poderia negar a existência de Cristo, pois eles são igualmente apresentados como pessoas existentes na Bíblia.

Não só a especulação filosófica e a revelação bíblica indicam que o diabo existe, mas também a experiência humana. Qualquer um que viva hoje em nosso mundo, no século XX, e nega a existência do diabo, como um ser pessoal, apenas não está realmente lendo nos jornais o que está acontecendo. O diabo se manifesta muito nos dias de hoje. Há pessoas, inclusive, que estão tão obviamente asseguradas de que ele existe, que abertamente o adoram. E há ações de curas e maravilhas que ele está fazendo em nosso meio no mundo e que dão evidência de sua existência. É ele? Sim, é.

Agora, a segunda coisa que queremos considerar sobre ele é: quem é ele? Assim como fizemos acerca de Deus, nesta manhã, consideramos primeiro a Sua existência e, depois, quem Ele é, vamos fazer a mesma abordagem acerca de Satanás. Quem é ele? Bem, já vimos que ele é um anjo. Ele é um anjo corrompido. Ele é um caído. Mas ele é um anjo. Ouça isto: os anjos têm personalidade. Nós tendemos a olhar os anjos como seres etéreos: algo que é branco, com um par de asas e não tem uma personalidade. Porém, os anjos têm personalidade.

Você já percebeu que os anjos têm nomes? Isso mesmo, nomes próprios. Deus conhece todos os nomes dos anjos. Quando Ele chama um anjo, Ele não diz: “Anjo número um milhão quatrocentos!” Não. Ele os chama pelos nomes. Deus sabe seus nomes. Deus sabe que eles têm caráter pessoal. Os anjos são pessoas. Eles têm todas as propriedades da personalidade. Eles sentem, pois se alegram. Eles louvam a Deus. E eles defendem a Deus,  lutam contra os demônios.

Olhamos para Satanás, e sabemos que ele é uma pessoa por muitas razões. Assim como Deus é uma pessoa, assim é o diabo. Número um: ele tem os traços de personalidade. Você sabe qual é um dos traços mais comuns da personalidade? A capacidade de planejar. Você já conheceu um cão que estabeleceu um plano? Já viu um cão no canto, mapeando sua estratégia? Claro que não. Uma das características da personalidade é a capacidade de fazer um plano, ou um esquema. Os animais não fazem isso. Os animais não fazem planos. Pessoas fazem.

Leia 2 Coríntios e você vai descobrir, e não só isso, leia todo o Novo Testamento e você vai descobrir que Satanás está ocupado fazendo planos. Uma das razões pelas quais acredito que ele é uma pessoa é por causa das coisas que ele está fazendo. Segundo Coríntios 11: 3: “Mas temo que, assim como a serpente enganou Eva com a sua astúcia, assim também sejam de alguma sorte corrompidos os vossos sentidos, e se apartem da simplicidade que há em Cristo.” Ouça, ele está ocupado imaginando maneiras de chegar às pessoas, e essa é uma característica da personalidade, ou seja, inventar esquemas.

Não só isso, mas outro traço de personalidade é a capacidade de se comunicar. As pessoas se comunicam. E Satanás faz isso muito bem. Ele teve uma conversa com Jesus, em Mateus 4. Ele teve uma conversa com Eva no jardim. Ele teve conversas com muitas pessoas e as tem o tempo todo.

Não só isso, mas ele quer coisas. E a capacidade de querer algo, de escolher, é um traço de personalidade. Satanás escolhe, ele quer certas coisas. Ele deseja certas coisas e dirige sua vontade na direção que ele acredita que irá cumprir esse desejo. Ele levou Jesus para a montanha e disse: ‘Agora, aqui estão os reinos do mundo, faça o que eu te digo e eu os darei a você.’ Ele escolheu tentar Cristo dessa maneira, conversou com Ele e tentou direcionar Sua mente a um determinado propósito, para aprisionar Cristo.

Satanás tem todas as características da personalidade. Além de seus traços de personalidade, eu acredito que ele é uma pessoa porque os pronomes pessoais são usados ​​para falar dele. A palavra “você” é usada em Ezequiel 28, e em todo o Novo Testamento, “ele” e “ele mesmo” são usados ​​em referência a Satanás. De fato, em 2 Coríntios 11, ambos os termos são usados.

Outra razão para atestarmos que Satanás é uma pessoa, além de traços de personalidade e pronomes pessoais, são os nomes próprios. Ele tem muitos nomes próprios. E esses só são dados a pessoas. Vamos ver isso em um minuto. Uma outra razão, que eu acho que é importante, é que Deus atribui responsabilidade pessoal a Satanás. E isso só pertence a pessoas. Os animais não são responsáveis moralmente. Não existe um padrão bíblico para o comportamento de um animal.

Mas, Deus disse: “Eu vou julgar Satanás.” Quando Deus disse que ia julgar Satanás, isso implicava que Satanás tinha violado os padrões de Deus e Satanás foi pessoalmente responsável por essa violação. Essa é uma característica de uma pessoa.

Agora, voltemos à questão dos nomes ou títulos pessoais de Satanás. Ele tem que ser uma pessoa, por causa de seus títulos pessoais. Estes são fascinantes. Deixe-me dizer-lhe como ele é chamado. Ele é chamado, por exemplo, em Ezequiel 28:14, e nós veremos isso mais tarde, mas ele é chamado lá de “o querubim ungido para cobrir“. O que isso significa é que ele é um Anjo de alto escalão. E este próprio título em si fala de personalidade.

Ele também é chamado de “o príncipe deste mundo“, novamente falando de sua posição como aquele que governa um sistema mundial do mal, incluindo anjos e homens. Ele é um governante. Ele é chamado também “o príncipe das potestades do ar“, o governante do império da atmosfera. Ele é chamado de “o deus desta era“, e a palavra para ‘era’ aí é ‘aiōn’, significando o deus que propaga seu sistema de filosofia, humanismo, materialismo e sexo.

Ele também é chamado, em Lucas 11:15, “o príncipe dos demônios” ou ‘belzebu’. Já ouviu falar desse termo? Belzebu? Esse é um termo interessante, e apenas rapidamente, o que significa é “senhor das moscas“. É o título de um deus filisteu, e foi dado não apenas como a designação desse deus, mas do Satã que estava por trás desse deus.

Agora, vejam, todos esses títulos pessoais falam de posição, eles falam de autoridade, falam de poder, de direção, falam de planejamento, proposição, realização de coisas. E ele é uma pessoa capaz de fazer tudo isso.

Satanás, quem é ele? Não só ele é uma pessoa, mas ele é um espírito. Satanás é um espírito, e como dissemos hoje de manhã, um espírito é um ser imaterial. Satanás pode estar aqui agora – eu não sei se ele está… ele provavelmente deve está fazendo outra coisa – mas se ele estiver aqui agora, nós não saberíamos. Por quê? Porque ele é um espírito. Mas, isso não significa que ele não esteja aqui.

Vocês sabem, nós vivemos neste pequeno mundo onde tudo o que sabemos são as três dimensões que existem, e talvez concebamos uma outra dimensão, mas não percebemos que agora este salão provavelmente está carregado de um bando de anjos. Alguns santos e eleitos, e alguns caídos. E não há como dizer o que está acontecendo aqui. Quer dizer, você sabe, eu realmente gostaria de saber, eu mesmo, apenas o que está acontecendo, mas eu nunca vou ser capaz de saber.

Mas, o fato é que este universo está operando sob o poder de Satanás, e há uma hoste demoníaca ativamente envolvida desejando deter a obra de Deus. Uma das razões pelas quais sei que temos autoridade sobre Satanás é porque a obra de Deus continua, mesmo com a oposição desses anjos caídos. Os anjos são espíritos, eles são imateriais. Os demônios, em Lucas 8: 2, são chamados espíritos malignos. Em Lucas 11:24, eles são chamados espíritos imundos. Eles são chamados espíritos.

Os anjos são seres espirituais imateriais – agora, note isto – mas eles não são como Deus. Deus é espírito, mas Deus está em toda parte. Os anjos têm limites espaciais. Eles são espíritos, mas são espíritos com uma linha de limite ao redor deles. Eles precisam se mover. Eles não podem estar em todos os lugares. Eles são rápidos. Eles são muito rápidos. E você quer saber algo interessante? Alguns deles são mais rápidos do que outros.

Bem, alguns deles são notificados na Bíblia pela sua velocidade, como sendo os super-rápidos . Alguns são bastante lentos. Mas, nós sabemos que eles têm limitações espaciais. De acordo com Daniel 9 e 10, há provas em ambas as passagens, claramente, que eles estão em algum lugar localizado tentando chegar a outro lugar. É por isso que quando nosso Senhor enviou demônios para os porcos, eles foram, porque podem se mover.

Eles possuem localização espacial. Eles não podem estar em toda parte ao mesmo tempo, pois não são onipresentes. Eles estão exatamente onde estão. E Satanás é assim também. E cada vez que alguém me diz: “Bem, você sabe, o diabo me fez fazer isso…”, ora, você não sabe se foi o diabo! Claro, ele é rápido, mas ele é não é tão rápido a ponto de estar em vários lugares ao mesmo tempo. Eu não sei o quão rápido ele é, mas sei que ele tem limitações espaciais.

Agora, deixe-me dizer uma coisa, pessoal. Você pode encontrar um monte deles em um espaço pequeno [como no caso do endemoniado que abrigava uma legião deles]. Eu não sei quão confinados ou quão grandes são esses espíritos. Você pode estar pensando: ‘Bem, eu achava que às vezes os anjos tivessem corpos…’. Escute-me: às vezes, esses seres imateriais podem se materializar. Eles podem se materializar. Eu não sei como eles se materializam, mas eles podem.

E eles podem colocar sobre eles um corpo. Não é um corpo como o nosso corpo, porque às vezes têm asas, não é? Como em Isaías 6. E os anjos apresentados dessa forma são muito bonitos. Em Sodoma, quando as pessoas os viram, quando se materializaram em corpos, todas as pessoas da cidade nunca viram nada parecido e, claro, Sodoma era famosa por sua homossexualidade. E quando a população homossexual de Sodoma viu esses anjos se materializarem, eles simplesmente saíram. Eles disseram: “Oh, oh, nós nunca vimos nada disso!”

E eles foram para a casa de Ló tentando chegar a eles. Foi por isso que Deus destruiu a cidade, e é por isso que nós usamos a palavra sodomia para nos referirmos à homossexualidade. Aqueles anjos eram tão bonitos, que as pessoas tão pervertidas em suas luxúrias eram atraídas sexualmente por eles.

Outra informação sobre anjos, que é interessante, é que eles são imortais. Os anjos nunca morrem. Eles viverão para sempre. A partir do momento de sua criação, eles viverão eternamente. Mas, isso também é verdade para os homens, não é? Portanto, não seria um problema, viveremos para sempre também, com Deus ou sem Ele.

O mais alto tipo de anjo que poderia ser criado é um querubim. Os querubins são seres angelicais do mais alto escalão e têm beleza e poder absolutamente indescritíveis. O caráter e a aparência desses anjos estão tão além de nossa imaginação e tão absolutamente incompreensíveis para nós, que nem sequer podemos começar a entender como eles são. Sua beleza está além de tudo o que humanamente está dentro da concepção da mente do homem.

Para que servem os querubins? Bem, eles são o mais alto escalão na hierarquia angelical, aparentemente. Ao que tudo indica, eles foram criados para serem os protetores da santidade de Deus. Eles sempre aparecem em torno da presença de Deus. Eles protegem Sua santidade, e às vezes são vistos proclamando Sua graça. São seres incrivelmente magníficos.

Conhecemos os nomes de alguns desses querubins. Na verdade, creio que provavelmente encontramos os três querubins principais na Bíblia. Número um: Gabriel. Ele parece ter uma tarefa muito específica, que é revelar e interpretar o propósito e o programa de Deus para Seu Reino. Há outro anjo de quem todos nós ouvimos falar: Miguel. Ele é o que eu gosto de chamar de “super-anjo”. Miguel é o general do exército angélico.

Porém, havia mesmo um anjo ainda maior que Gabriel e Miguel. A criatura mais gloriosa que Deus já fez. Vou apresentá-lo a ele se você se voltar para Isaías 14:12: “Como caíste desde o céu, ó Lúcifer, filho da alva!” Você dificilmente poderia imaginar um nome mais bonito do que Lúcifer, e ainda quando você diz esse nome hoje, soa quase como uma maldição. Sabe o que Lucifer quer dizer? ‘Filho do amanhecer, brilhante’. A palavra correspondente em hebraico é ‘helel’, que quer dizer ‘estrela da manhã’.

Ele era a estrela suprema da manhã, filho do amanhecer, o brilhante. Que anjo ele era! Você quer encontrá-lo em toda a sua glória? Veja Ezequiel 28. Voltaremos a Isaías 14 em um minuto. Em Ezequiel 28, você vai ter um pouco de ideia de como esse anjo era, e isso é suficiente para nos deixar perplexos. Agora, eu tenho que explicar onde estamos aqui. Ezequiel é um profeta que está falando mensagens de julgamento.

Um dos que Deus tinha projetado julgar por sua iniquidade era o rei de Tiro. Pneu é uma área muito famosa, um lugar muito famoso na história bíblica. O rei de Tiro era um homem mau, homem extremamente mau. Ele era impiedoso, cruel e ímpio, e o Senhor ia trazer julgamento sobre ele. Nos versos 1 a 10 do capítulo 28, Ezequiel estabelece uma palavra contra o rei, ou o príncipe como ele é chamado no verso 2, de Tiro.

Versículo 10: “Da morte dos incircuncisos morrerás, por mão de estrangeiros, porque eu o falei, diz o Senhor DEUS.” Versículo 9, diz: “Acaso dirás ainda diante daquele que te matar: Eu sou Deus? mas tu és homem, e não Deus, na mão do que te traspassa.”  Ele está dizendo ao rei de Tiro: ‘você será um homem e não um deus na mão daquele que vai te matar. Embora você pense que é um deus, você não será um deus para seu assassino.’

Então, aqui temos essa pessoa que estava presumindo ser Deus. Ele era cheio de orgulho. E, assim, Ezequiel está falando com o rei de Tiro, mas ele vai para além do rei de Tiro, para a fonte desse mal, Satanás, e, começando no versículo 11, ele vai se referir a Satanás, que estava por detrás do rei de Tiro.

Agora, este não é um padrão incomum nas Escrituras. Muitas vezes, nos salmos messiânicos por exemplo, você vai encontrar Davi falando sobre Davi, mas realmente está se referindo para além dele mesmo, falando sobre o Messias. Há uma ocasião em Mateus onde nosso Senhor diz a Pedro: “para trás de Mim, Satanás.” Ele está falando com Pedro, mas realmente está falando com a fonte por trás do ato mau de Pedro. E aqui, em Ezequiel, ele se dirige ao rei de Tiro, mas vai além dele, alcançando a fonte do comportamento reprovável do rei de Tiro.

Versículo 12: “Filho do homem, levanta uma lamentação sobre o rei de Tiro, e dize-lhe: Assim diz o Senhor DEUS: Tu eras o selo da medida, cheio de sabedoria e perfeito em formosura.”  Agora, o 13: “Estiveste no Éden, jardim de Deus…” Ora, é óbvio que o rei de Tiro nunca esteve lá. A palavra agora se refere a Satanás. Ainda o verso 12: “Tu eras o selo da medida...”. Você sabe o que isso significa? ‘Você está selado com a marca da perfeição. Você é a soma de toda a criação de Deus e Ele selou você como o selo de Sua perfeição. Você era a obra mais suprema que Deus havia feito.’

Ainda o verso 12: “cheio de sabedoria e perfeito em beleza”. Se você quisesse saber o que Deus pensa ser bonito, você teria que contemplar, na essência espiritual deste anjo em particular, a beleza que Deus colocou nele e você saberia o que Deus pensa ser bonito. Ele o fez absolutamente perfeito em beleza, cheio de sabedoria, a soma de perfeição e o selou como tal. Não é incrível que quando pensamos em Satanás hoje, sempre pensamos nele como feio?

Versículo 13: “Estiveste no Éden, jardim de Deus…“. Então, o texto descreve Satanás. É uma descrição quase psicodélica. Veja como ele foi descrito: “…de toda a pedra preciosa era a tua cobertura: sardônia, topázio, diamante, turquesa, ônix, jaspe, safira, carbúnculo, esmeralda e ouro…“. Agora, ouça: aqui é retratado este anjo quase psicodélico, brilhando, com uma infinidade de pedras preciosas e jóias, e eu não sei como entender isso.

O texto também diz algo mais sobre ele, agora ouça isto: “…em ti se faziam os teus tambores e os teus pífaros; no dia em que foste criado foram preparados.” Você sabia que ele era o músico supremo do céu? Você sabia que Satanás era provavelmente o diretor do coral celestial? Ele era o ser supremo da criação de Deus, e ele era a beleza de todo o céu. Ele era o selo da perfeição.

Ele era a soma de toda a perfeição de Deus, e sua música estava além da compreensão. E isso lhe dará uma pequena idéia sobre como Deus se sente sobre a boa música. Deus ama isso. Quando Deus fez a suprema criação, Ele fez de Lúcifer um músico. Versículo 14: “Tu eras o querubim, ungido para cobrir, e te estabeleci    …“. Em outras palavras: ‘Eu te fiz. Eu te fiz o anjo supremo, o querubim ungido para cobrir!’.

Agora, exatamente o que significa ‘para cobrir’ no versículo 14, eu não sei. Talvez aquele que paira sobre Deus, em algum sentido. Continuando o verso 14: “…no monte santo de Deus estavas, no meio das pedras afogueadas andavas.” Agora, exatamente o que é isso, eu também não sei, mas há algo lá no céu, alguma espécie de montanha, alguns tipos de pedras fantásticas. É interessante tentar imaginar a beleza, chamejante, gloriosa, shekinah, além da imaginação. E este anjo e Deus se moveram juntos nesse domínio.

Este é um anjo especial. Versículo 15: “Perfeito eras nos teus caminhos, desde o dia em que foste criado…” – perfeito. E aqui vem: “… até que a iniqüidade foi encontrada em ti.” Seria ruim o suficiente se Lúcifer tivesse feito isso apenas a si mesmo. Mas, você sabe o que ele fez? Ele não guardou a sua iniqüidade para si mesmo. Ele a comercializou.

Versículo 16: “Na multiplicação do teu comércio encheram o teu interior de violência, e pecaste; por isso te lancei, profanado, do monte de Deus, e te fiz perecer, ó querubim cobridor, do meio das pedras afogueadas.” Seja qual for a montanha de Deus, e tudo o que se refere a estas pedras de fogo, é exatamente ali onde Deus está. Esse é o centro de Seu céu.

Em outras palavras, Deus está dizendo no texto: “Eu vou te expulsar, não só porque você pecou, ​​mas você comercializou o seu pecado.”

Versículo 18, diz: “Pela multidão das tuas iniquidades, pela injustiça do teu comércio profanaste os teus santuários…“, ou seja, ‘você traficou, propagou o seu pecado.’  Você sabe o que Satanás fez quando ele caiu? Ele não ficou sozinho. Quantos caíram com ele? Um terço dos anjos. Ainda, verso 18: “…eu, pois, fiz sair do meio de ti um fogo, que te consumiu e te tornei em cinza sobre a terra, aos olhos de todos os que te vêem.” Deus está dizendo: ‘Você pagará, Satanás! Você pagará um preço alto!’

Agora, qual foi a iniqüidade que levou esta criatura inacreditável a descer para a corrupção que ele desceu? Vá para Isaías, capítulo 14, e vamos ver o que foi. Versículo 12: “Como caíste do céu, ó Lúcifer!” Você consegue imaginar o tamanho da queda desse ser angelical? De sua descrição em Ezequiel 28, ele caiu para se tornar o absoluto corrompido, vil, desprezível, odiado ser que ele é agora. Como isso aconteceu?

Como caíste desde o céu, ó Lúcifer, filho da alva! Como foste cortado por terra, tu que debilitavas as nações!” Aqui está o seu pecado, verso 15: “Pois disseste no teu coração…“. Agora aqui está o pecado: orgulho. A sequência do texto mostra cinco atos da vontade obstinada de Lúcifer.

Número um:Eu subirei ao céu.” Agora, o que ele está dizendo? Ele já tinha acesso à própria presença de Deus. Ele era o querubim principal. Ele não está dizendo: ‘Eu acho que irei visitar Deus’. Ele está dizendo: ‘Eu irei e vou permanecer lá, vou ocupar o trono de Deus. Eu vou subir.’ Ele queria subir de posição, deixar de ser o anjo principal para ocupar o lugar de Deus. ‘Eu tomarei o cargo de Deus’.

Segundo: “Eu exaltarei o meu trono acima das estrelas de Deus.” Em outras palavras: ‘Eu usurparei a autoridade de Deus sobre os anjos.’ Terceiro: “Eu me assentarei também no monte da congregação (ou na assembléia).” Quarto: “Eu subirei acima das alturas das nuvens.” E a maioria dos comentaristas entende que “as nuvens” aqui não se refere às nuvens brancas, fofas, mas à glória de Deus, assim como as “estrelas” se referem aos anjos. Ele está dizendo: ‘Eu vou ficar acima da glória de Deus!’

Então, ele resume tudo isso no quinto:Eu serei como o Altíssimo.” Você sabe que ‘Altíssimo’ é um título? Esse é o título de Deus, como possuidor do céu e da terra. O que Lúcifer está dizendo é: ‘Eu me tornarei possuidor do céu e da terra.’ Você vê o inacreditável egoísmo e orgulho de seu pecado? E ele caiu. Jesus disse: “Eu vi Satanás como um relâmpago caindo do céu.” Quando ele caiu, foi rápido e dramaticamente, e sua beleza foi imediatamente corrompida, de modo que, todo ser angélico que concordou com ele em sua rebelião, foi condenado junto com ele.

Você sabia que o inferno foi criado para o diabo e seus anjos? Um pecado inconcebível, uma queda inconcebível, mas aconteceu. Quais foram os resultados? Versículo 15, de Isaías 14: “E contudo levado serás ao inferno, ao mais profundo do abismo.” Ele foi banido do céu. Ele estava corrompido. Verso 16: “Os que te virem te contemplarão, considerar-te-ão, e dirão: É este o homem que fazia estremecer a terra e que fazia tremer os reinos?” Não só ele é condenado ao poço do abismo, mas ele se torna desprezado e desprezível. E a demonstração de sua fraqueza é óbvia para todos os que o contemplam.

Agora, a declaração do versículo 15, “levado serás ao inferno, ao mais profundo do  abismo” , ainda será cumprida. De acordo com Apocalipse 20, Satanás será levado e lançado no lago de fogo para sempre e sempre. Satanás desabou. Agora, quando ele caiu o mundo ainda não estava em pecado. Nós não sabemos quando a queda de Lúcifer aconteceu, se antes de Gênesis 1 ou depois.

Mas, Deus tinha duas escolhas. Uma vez que Satanás caiu e todos esses demônios, Deus poderia simplesmente ter dito uma palavra e todos eles teriam imediatamente deixado de existir. Ele poderia ter destruído Lúcifer com uma palavra. Ele poderia ter parado a rebelião. Porém,  Deus não escolheu fazer isso. Deus escolheu dar ao rebelde sua plena oportunidade de explorar cada avenida de seu poder, seguir cada ângulo possível. Ele lhe deu todo o tempo – desde Gênesis 3 até o Reino – todo esse tempo Ele deu a ele para executar sua rebelião até o limite.

Por quê? Por que Deus fez isso? Por que Ele permitiu isso? Bem, isso não nos é dito na Bíblia. Mas, uma boa razão pela qual eu acredito que Deus permitiu deixar a rebelião correr até o fim, foi para mostrar a todos os seres e a todas as criaturas, de todos os tempos, que nunca será possível destronar Deus e ninguém mais duvidará que a autoridade de Deus jamais poderá ser usurpada.

Você vê, as reivindicações soberbas de Satanás têm seu julgamento completo ao longo do tempo, e todo o universo vai ver, de uma vez por todas, que é impossível destronar  Deus. E quando você chega a Apocalipse, os anjos estão cantando em massa que Deus deve ser glorificado, que Cristo deve reinar. Eles sabem que não há outro caminho. Mas, ao longo do tempo, a rebelião está acontecendo. Porque Deus é um Deus santo, Ele tem que mostrar Seu ódio ao pecado. E porque Ele é um Deus amoroso, Ele resgata as pessoas que não querem ser uma parte nessa rebelião.

Amado, o conflito continua. Acredite, está em todos os níveis. Você sabia disso? Em todos os níveis deste universo, a guerra está em andamento. A rebelião está se desenrolando até o local do trono de Deus. De acordo com Jó, capítulo 1, Satanás tem acesso ao trono de Deus. E eles estão em conflito. De acordo com Daniel 10, no nível angélico, há conflito. Deus enviou um anjo, lembre-se, no tempo de Daniel, e esse anjo foi resistido por um demônio, e Deus disse: ‘Miguel, vá ajudá-lo!’ E o super-anjo Miguel veio e derrotou o demônio maligno, de modo que o anjo pôde terminar sua tarefa.

Há uma guerra no nível angélico, mas há também uma guerra no nível humano. Jesus disse: “Vocês são de seu pai, o diabo”, em João 8:44. Mas, Ele também disse que nós somos filhos de Deus. Os filhos de Deus e os filhos de Satanás lutam uns contra os outros. Todo este universo é um campo de batalhaEu me pergunto, às vezes, quando os cristãos simplesmente se sentam, numa atitude melancólica através da vida, se eles percebem o que realmente está acontecendo.  Satanás está lutando pelas almas dos homens, assim como Deus, e nós devemos estar na equipe de Deus, lutando com Ele.

Satanás de fato existe? Tenha certeza que sim. Quem é ele? Ele é uma pessoa. Ele é um espírito. Ele é um anjo caído. E ele é ativo e agressivo na guerra contra Deus e contra os propósitos de Deus, mesmo no mundo de hoje. Cada pessoa sentada neste auditório e cada pessoa na face do globo é um filho de Deus ou um filho de Satanás. Você está de um lado ou do outro. Jesus disse: “Aquele que não está comigo está contra mim“.

Agora, se você quiser estar alinhado com esta criatura caída que já está condenada – e todos os que têm parte com ele igualmente estão -, essa escolha é sua. Jesus mesmo disse, certamente com um coração partido, que “vocês não virão a mim para que possam ter vida.” Você pode estar do lado de Deus vindo a Cristo. E cristão, se você soube agora sobre quem é Satanás, o que ele está fazendo, quão trágica foi sua queda e do que se trata realmente seu reino, confio que isso lhe dará um novo impulso para lutar a batalha, resistir ao Diabo, para não deixá-lo ter um ponto de apoio em sua vida, para não deixá-lo ganhar uma vantagem sobre você.

Não lhe dê uma polegada. Deus merece toda a sua glória, todo o seu louvor, toda a sua vida. Satanás já foi derrotado na cruz e, bom que se diga, por um inimigo morto. Porém ele, com certeza, chuta e luta e continuará fazendo isso até o fim. Devemos nos identificar com Deus e lutar e lutar, percebendo quem é nosso inimigo, para a glória de Deus e em Seu poder. Oremos.

Pai, obrigado pelo nosso tempo esta noite, por esse tempo para estudar a Tua Palavra.  Como acabamos de começar a olhar para esta pessoa que existe, e que pode até estar ouvindo o que dizemos, nós Te agradecemos, Deus, porque maior é Aquele que está em nós do que aquele que está no mundo. Nós Te agradecemos que ele é um inimigo derrotado.
Ó Deus, impede-nos de darmos qualquer consentimento a Satanás, de nos inclinarmos diante dele, de acatarmos quaisquer de suas filosofias, seu humanismo, materialismo, sua orientação para a luxúria e sexo, e todas essas outras coisas que tão obviamente e muitas vezes se propagam.
E que possamos nos colocar à disposição totalmente Daquele que nos redimiu, que nos amou, o Deus que merece nosso louvor, nossa honra e nossas vidas.
Obrigado, Pai, por nos ajudar a conhecer melhor o nosso inimigo. Agora que o conhecemos, ajuda-nos a combatê-lo, a guerrear contra ele, a sermos fortes no Senhor e na força de Teu poder. Oramos no nome abençoado de Cristo, que é O vencedor. Amém.


Esta é uma série de diversos sermões sobre Satanás, os anjos e os demônios. Segue links dos que já foram publicados.


Este texto é uma síntese do sermão “Satan: Is He? Who Is He?”, de John MacArthur em 24/08/1975.

Você pode ouvi-lo integralmente (em inglês) no link abaixo:

https://www.gty.org/library/sermons-library/1354/satan-is-he-who-is-he

Tradução e síntese feitos pelo site Rei Eterno


Você pode gostar...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *