A Estabilidade Espiritual – 3

Imprimir

Nota do site: Esta é uma série de quatro preciosas mensagens sobre a estabilidade espiritual do cristão. Veja os links dos outros sermões no fim deste texto.


Vamos abrir nossas Bíblias ao texto da nossa mensagem esta manhã, Filipenses capítulo 4, versículos 1 a 9. O nosso assunto é a estabilidade espiritual.
Quando Paulo escreveu à igreja de Corinto, ele disse: “Sede firmes e constantes, sempre abundantes na obra do Senhor” (I Coríntios 15:58), ele estava se referindo à estabilidade espiritual.
Quando Tiago escreveu que o “homem de coração dobre é inconstante em todos os seus caminhos” (Tiago 1:8), foi também uma chamada à estabilidade espiritual.
Quando Pedro escreveu que “Deus mesmo vos aperfeiçoará, confirmará, fortificará e fortalecerá” (I Pedro 5:10), ele estava falando de estabilidade espiritual.
E quando João disse que “não tenho maior gozo do que este, o de ouvir que os meus filhos andam na verdade” (III João 1:4), ele falou da estabilidade espiritual.

Essas são algumas amostras para nos indicar como o tema “estabilidade espiritual” é presente em todo o Novo Testamento.
Somos chamados, como filhos de Deus, à fidelidade, coerência, a sermos fortes, ousados, corajosos, firmes, intransigentes na defesa da verdade, ou seja, a termos uma posição estável.
Temos que ser estáveis, firmes e fortes diante dos ataques do mundo, da carne e do diabo. E é aí que reside a batalha espiritual.
A perseguição, a hostilidade, a rejeição, os testes, as provas e as tentações vêm a nós para nos derrubar, para nos tornar instáveis. Mas a chamada do Evangelho é para sermos estáveis.

Agora, estamos aprendendo sobre como ser estável. Uma coisa é entender que somos chamados à estabilidade espiritual, mas, outra coisa completamente diferente, é entender o que esse chamado envolve.
Quando olhamos para os primeiros nove versículos de Filipenses, capítulo 4, é nos dado um padrão da verdade que produz a estabilidade espiritual.
Penso ser óbvio que todos os que conhecem e amam ao Senhor Jesus Cristo desejam ser estáveis. Penso que não desejam sofrer derrotas nesta área.
Penso que há um desejo dentro de nós para experimentarmos a plena expressão da nossa identidade como um vencedor, como alguém estável.

Queremos ser um vencedor, triunfar espiritualmente, ter vitórias espirituais diante das batalhas espirituais.
Mas a pergunta é: Como podemos ser estáveis? Como triunfar espiritualmente? Como podemos não estarmos deprimidos? Como ter a alegria interior independente das circunstâncias? Como caminhar acima das ondas que vêm contra nós?

Bem, creio que Paulo nos dá a resposta a essa pergunta muito importante nesta maravilhosa passagem.
A chave está no versículo 1: “Permanecei firmes no Senhor”. E, então, ele passa a dar uma série de disciplinas, princípios pelos quais nós, como crentes, podemos desfrutar de estabilidade espiritual.

Agora, você se lembra dos cinco princípios que já vimos sobre como obter estabilidade espiritual. Vamos relembrar rapidamente.

Primeiro princípio: Cultivar a paz na comunhão. Olhamos para os três primeiros versículos de Filipenses 4 e vemos como Paulo desejava a unidade da igreja.
Por quê? A estabilidade espiritual individual é o resultado da harmonia e paz corporativa. Quando há paz e harmonia na igreja, os membros da igreja são estabilizados. Por outro lado, quando há discórdias e conflitos na igreja, é gerada a insegurança.

Segundo princípio: A segunda está em Filipenses 4:4, que diz: “Regozijai-vos sempre no Senhor; outra vez digo, regozijai-vos”.
Ou seja, a manutenção de um espírito de alegria. A alegria é no Senhor e não nas circunstâncias. Esta alegria independe das circunstâncias, seu alicerce é o Senhor.
Você aprende a se alegrar na sua união privilegiada com Cristo, que transcende as circunstâncias, por mais difíceis que sejam.

Terceiro princípio: A estabilidade espiritual vem para aqueles que aprendem a aceitar menos daquilo que pensam que merecem: “Seja a vossa moderação notória a todos os homens”. Ou seja, “seja vosso contentamento, ou humilde graciosidade, conhecido de todos”.
É a atitude de uma pessoa que não busca nada para si. Então, quando ela não recebe nada, não se preocupa e nem fica instável por isto.

Quarto princípio: Descanso em uma relação de confiança no Senhor: “Perto está o Senhor… Não estejais inquietos por coisa alguma” (Filipenses 4:5-6).
Se você entende quem é Deus, crê Nele, crê em seus propósitos santos, crê em sua soberania e bondade, então qual a razão de se preocupar?
Tendo atitudes assim, você entenderá que Deus está no controle, e isto lhe trará conforto no meio da tempestade. Tremendo é confiar em Deus e saber que Ele está no comando e que tudo contribui para o bem daqueles que o amam.

Quinto princípio: Reagir aos problemas com oração em ação de graças, com gratidão: “Antes as vossas petições sejam em tudo conhecidas diante de Deus pela oração e súplica, com ação de graças” (Filipenses 4:6).
Não importam quais sejam as lutas, perseguições e tribulações, se eu confio no Deus Soberano e que Ele converge todas as coisas para o seu propósito, desenvolvo uma atitude de dar graças a Ele por tudo (I Tessalonicenses 5:18).
Creio plenamente que, em todas as coisas, Ele está cuidando de seus filhos, preparando-os para a glória eterna. Que maior estabilidade poderia ter diante desta tremenda verdade! Que glorioso fundamento nos foi dado pela bondade e misericórdia de Deus!

Esta oração cheia de ações de graças, fruto de uma fé inabalável, tem um resultado: “A paz de Deus, que excede todo o entendimento, guardará os vossos corações e os vossos sentimentos em Cristo Jesus” (Filipenses 4:7).
A estabilidade espiritual é vivida por esses meios: Paz, alegria, humildade, fé e gratidão. E quando sua vida é caracterizada por essas atitudes espirituais, você será capaz de atravessar as dificuldades, não perder o equilíbrio e não ser abalado.

Vamos avançar hoje para o sexto princípio de uma vida estável: Uma vida centrada nas virtudes divinas.

Você deve se concentrar em virtudes divinas. Você não pode experimentar virtudes divinas, a menos que você se concentre nas virtudes divinas. Verso 8 diz:
“Quanto ao mais, irmãos, tudo o que é verdadeiro, tudo o que é honesto, tudo o que é justo, tudo o que é puro, tudo o que é amável, tudo o que é de boa fama, se há alguma virtude, e se há algum louvor, nisso pensai” (Filipenses 4:8).
Aqui o apóstolo Paulo resume o que ele está dizendo. A expressão “quanto ao mais” indica que ele atingiu um clímax neste momento particular, em certo sentido, a grande soma de tudo, a grande chave para todos os outros elementos.
Estabilidade espiritual é o resultado de como você pensa.

A psicologia moderna diz que se você quer ser estável, você precisa olhar para o seu passado, ou seja, mergulhar na lata de lixo do seu passado, revolver as escórias.
Você precisa reencontrar seus velhos pecados, suas velhas mágoas, fracassos, os abusos e maus tratos, todo o caos de seu passado, o lixo de sua vida.
Ou seja, a psicologia diz que você precisa regurgitar todas as escórias do passado e lidar com elas de novo.
Eles podem até mesmo ir ao extremo, quando um psiquiatra, através de técnicas, manipula a mente do homem a voltar ao passado remoto.
Assim, eles creem que estão ajudando o ser humano a obter estabilidade.

Isto, naturalmente, tem invadido o cristianismo também. No entanto, à luz do versículo 8, parece-me ser absolutamente obtuso e ridículo, pois aqui somos animados a concentrar nossa atenção totalmente em coisas que são verdadeiras, honestas, corretas, puras, amáveis e de boa reputação.
O foco do cristão é estar longe das escórias do passado, “porque noutro tempo éreis trevas, mas agora sois luz no Senhor; andai como filhos da luz” (Efésios 5:8).
Esta é uma chamada para o pensamento certo. Usar suas faculdades para considerar a validade e as implicações destas coisas. Em outras palavras, desenvolver este tipo de hábito de pensamento.

Agora, eu quero que você ouça com atenção o que eu digo. Isso parece óbvio. Você, como um crente, é um produto do seu pensamento. “Como um homem pensa em seu coração, assim ele é” (Provérbios 23:7). Você é o produto de seus pensamentos.
Agora, o que é particularmente assustador é que me parece que o pensamento não é realmente tão importante hoje.
Nós não estamos tão preocupados com o pensar como nós somos preocupados com a emoção e o pragmatismo.

O cristão não deve ser vítima de seus sentimentos, das armadilhas de desejar sucesso. O pecado tem seus mais tenebrosos efeitos no nosso sentir.
A tradicional e pagã psicologia/psiquiatria humanista vê o homem no final de um processo de evolução no qual somos animais que apenas respondem aos estímulos. Há até experimentos com cães, para se conhecer reações humanas.
A noção de que o homem não é controlado por respostas previsíveis aos estímulos, mas a partir do seu interior, predeterminado pelo que influenciou o seu pensamento, não é aceita pelos humanistas.
Assim, vivemos um total desprezo e descuido quanto ao pensar. E isto está no meio da igreja.

Agora, a partir da perspectiva bíblica, torna-se muito claro o quão importante é o pensamento, e isso é precisamente o que Paulo está pedindo neste verso.
Ele está dizendo que você tem que aprender a pensar nas coisas certas. Vamos falar um pouco sobre o que a Bíblia diz sobre o pensamento.

Primeiro de tudo, Deus nos mandou pensar. Lembra-se de Isaías 1:18 ? Deus disse: “Vinde, pois, e arrazoemos, diz o Senhor…”. Em outras palavras: “Vamos pensar sobre isto”.
Em Mateus 16:1, os fariseus e saduceus pediram a Jesus por um sinal do céu, para que pudessem crer. Jesus lhes respondeu:
“Hipócritas, sabeis discernir a face do céu, e não conheceis os sinais dos tempos? Uma geração má e adúltera pede um sinal, e nenhum sinal lhe será dado, senão o sinal do profeta Jonas. E, deixando-os, retirou-se” (v.3-4).
Em outras palavras: “Eu não vou dar-lhes algum show espetacular no céu, considerem e pensem nos fatos aos quais vocês já têm acesso”.

Sempre a Bíblia exorta os homens a pensar. É por isso que a Bíblia é um livro. Quando Deus nos deu a Sua revelação, Ele não nos deu um filme e vídeos musicais.
Ele nem sequer embutiu um fundo musical quando você lê a Bíblia. Não há nada para tocar suas emoções, exceto a contemplação da verdade.
Não há qualquer estímulo diferente da verdade, o que requer pensamento. Então, a Bíblia pressupõe que a primeira prioridade é pensar, visto que é um livro.
Você não vê como isso é diferente do movimento carismático, onde todo mundo está correndo por aí, não à procura da verdade, mas olhando a experiência, emoção e sentimento?
A Bíblia, por sua própria natureza, chama os homens a pensarem.

Salmo 32:8-9 diz: “Instruir-te-ei, e ensinar-te-ei o caminho que deves seguir; guiar-te-ei com os meus olhos. Não sejais como o cavalo, nem como a mula, que não têm entendimento, cuja boca precisa de cabresto e freio para que não se cheguem a ti”. Ou seja: Pense!
No Salmo 73:22, o salmista admite: “Eu estava embrutecido e ignorante; era como um irracional à tua presença”.
Não seja assim. Pense. Escute agora, o pensamento cuidadoso é aquele que caracteriza a nossa fé revelada. Deixe-me dizer isso novamente: o pensamento cuidadoso é o distintivo da nossa fé revelada.

Um escritor disse certa vez: “Se há uma religião que exalta o ofício de pensar, essa é o cristianismo”.
O cristianismo é uma revelação da verdade. E, então, ele diz: “Quando a igreja deixa de pensar e raciocinar, vai buscar algo fora da Palavra para satisfazer a si mesma, trazendo para si aquilo que é estranho à fé genuína”.

Agora, quando você considera este assunto da mente, a Bíblia tem muito a dizer sobre o pensamento. Deixe-me falar um pouco da teologia de pensar.
Antes de experimentar o novo nascimento, como é a mente do homem? Depravada e perversa (Romanos 1:28); cega (II Coríntios 4:4); fútil, sem valor, inútil (Efésios 4:17); ignorante (Efésios 4:18) e tola (I Coríntios 2:14).
Esta é a mente do incrédulo. Tão depravada que não escolhe o que é bom, tão cega que não sabe o que é bom, tão inútil que não executa o que é bom, tão ignorante que nem sequer sabe o que está fazendo. Então, tudo é tolice. Esta é a mente do homem caído.

O que acontece com a mente na salvação? Você se lembra do que temos estudado em 1 Pedro 3, onde Pedro diz: “Estai sempre preparados para responder com mansidão e temor a qualquer que vos pedir a razão da esperança que há em vós” (v.15)?
Por outro lado, temos aquele que não entende a mensagem. O que acontece com ele? “Ouvindo alguém a palavra do reino, e não a entendendo, vem o maligno, e arrebata o que foi semeado no seu coração…” (Mateus 13:19).
A mensagem do evangelho exige razão e compreensão.

Um elemento da salvação ocorre dentro da mente, quando uma pessoa tem uma compreensão adequada da verdade, a verdade sobre si mesmo, sobre o seu pecado, sobre Deus, sobre Cristo, sobre a obra de Cristo, sobre o futuro. Isso tudo vem à mente.
[Deus trabalha na mente do ser humano, transformando seus pensamentos. Não se trata de uma habilidade do homem, por si mesmo, mas de uma ação sobrenatural do Espírito Santo na mente do homem. Mas é na mente e no pensamento que Deus age].
É por isso que em Romanos 10:17 diz que “a fé é pelo ouvir, e o ouvir pela palavra de Deus”.
A fé não é algo esotérico, emotivo. Não. A fé vem por meio da mente, através da razão. O evangelho atinge a mente. Isso foi o que fizeram os nobres de Bereia (Atos 17:11), que procuravam a verdade nas Escrituras. Eles pensavam sobre isso.

Os homens são salvos para ser adoradores, certo? João 4:23-24 diz que o Pai procura verdadeiros adoradores, e um verdadeiro adorador adora em espírito e em verdade.
Então, se somos salvos para adorar em verdade, logo a verdade é crucial. A salvação é obra de Deus sobre a mente.

É inaceitável adorar a Deus separadamente da verdade sobre Deus. É por isso que Paulo chateou-se, em Atos 17:22-23, quando encontrou um grupo de filósofos gregos eruditos, que construíram um altar para o ‘deus desconhecido’.
Isso não agrada a Deus. Ele não é o Deus desconhecido. Ele é adorado somente de acordo com a verdade de quem Ele é.
A pessoa de Deus está intimamente vinculada a seus atributos. E Paulo os informou imediatamente quem Deus realmente era.

Em Lucas 10:27, Jesus diz: “Amarás ao Senhor teu Deus de todo o teu coração, e de toda a tua alma, e de todas as tuas forças, e de todo o teu entendimento…”.
Você vê, a salvação é uma resposta inteligente para a auto revelação de Deus na Escritura inspirada pelo Espírito Santo.
A verdadeira fé não é um salto irracional, não é um mistério, um encontro irreproduzível, indizível.
A verdadeira fé é uma confiança na verdade revelada sobre o Deus verdadeiro. É um processo de pensar. A salvação é impossível sem pensar.

Em uma seção notável de seus estudos, sobre o Sermão do Monte, Dr. Martyn Lloyd-Jones destaca que:

O problema dos discípulos era que eles não conseguiram pensar. Em vez disso, permitiram-se serem controlados por suas circunstâncias.
Fé, segundo o ensinamento de nosso Senhor, neste sermão, é principalmente pensar, e todo o problema com um homem de pouca fé é que ele não pensa.
A Bíblia está cheia de lógica, e nunca devemos pensar em fé como algo puramente místico. Nós não podemos apenas sentar em uma poltrona e esperar que coisas maravilhosas aconteçam. Isso não é fé cristã.
A fé cristã é essencialmente pensamento. Olhai para as aves, pense sobre elas, e tire suas conclusões. Olhe para os lírios do campo, pense (Mateus 6:25-31).

O que ele quer dizer com isso? Significa que se você está tomado pela ansiedade, é porque você está sendo carregado pelas circunstâncias e não está pensando em Deus, Seus propósitos, Suas promessas e Seus planos.
A fé não é otimismo, auto-hipnose e ilusão. A fé é uma resposta fundamentada na verdade revelada.
A mente de alguém que experimentou o novo nascimento foi transformada. O cristão tem uma nova mente.
O Espírito de Deus invadiu seus processos de pensamento. Ele não mais pensa apenas como um cérebro humano, mas como um cérebro humano mesclado com o Espírito do Deus vivo, que vive dentro dele.

Veja Romanos 8:5, que diz: “Porque os que são segundo a carne inclinam-se para as coisas da carne; mas os que são segundo o Espírito para as coisas do Espírito”.
Ou seja, as pessoas que não nasceram de novo têm uma mentalidade carnal. Elas pensam sobre as coisas carnais.
Mas as pessoas que nasceram de novo têm suas mentes inclinadas para as coisas do Espírito. Elas têm uma nova mente.
Versículo 6 diz: “Porque a inclinação da carne é morte; mas a inclinação do Espírito é vida e paz”.

Você tem uma mente totalmente nova, ou seja, uma nova forma de pensar. Não um novo cérebro, mas uma nova maneira de pensar.
Há uma substituição do pensamento carnal e humano por um pensamento divino e sobrenatural.
O Espírito de Deus se move em seu pensamento. A mente que era depravada, cega, inútil, ignorante e tola torna-se totalmente diferente. Já não pensa no nível carnal, mas no nível espiritual.

Olhe para 1 Coríntios 30, que diz: “Mas vós sois dele, em Jesus Cristo, o qual para nós foi feito por Deus sabedoria, e justiça, e santificação, e redenção”.
Quando pensamos sobre o que Cristo nos dá na salvação, o que Ele traz para nós, o que Ele nos concede, é absolutamente emocionante. Isso não é uma realidade maravilhosa?
De repente, agora temos a sabedoria de Deus, e o salmista no Antigo Testamento diz: “Mui profundos são os teus pensamentos” (Salmo 92:5).
Agora, de repente, podemos mergulhar nos pensamentos profundos do Deus eterno. Agora pensamos de uma maneira totalmente nova.

Veja I Coríntios 2:11-12, que diz:

Porque qual dos homens sabe as coisas do homem, senão o seu próprio espírito, que nele está? Assim, também as coisas de Deus, ninguém as conhece, senão o Espírito de Deus. Ora, nós não temos recebido o espírito do mundo, e sim o Espírito que vem de Deus, para que conheçamos o que por Deus nos foi dado gratuitamente.

Apenas o Espírito de Deus conhece a Deus. Temos recebido o Espírito de Deus, portanto, temos o conhecimento de Deus. Portanto, temos a sabedoria de Cristo e o conhecimento de Deus, que nos é concedido pelo Espírito Santo.

Veja o versículo 15-16: “Porém o homem espiritual julga todas as coisas, mas ele mesmo não é julgado por ninguém. Pois quem conheceu a mente do Senhor, que o possa instruir? Nós, porém, temos a mente de Cristo”.
Grande declaração! Isso não é incrível? Nós não somos como o homem natural, que não sabe nada sobre Deus, tudo é loucura para ele.
Temos a mente de Cristo, agora entendemos a sabedoria de Deus, o Espírito de Deus nos traz conhecimento sobre Deus, que de outra maneira nunca teríamos.

Em I Coríntios 10:15, Paulo diz: “Falo como a sábios; julgai vós mesmos o que digo”.
Ele está dizendo que, pela graça de Deus e através da salvação, aqueles irmãos tinham a sabedoria divina para avaliar cada coisa.

Em Colossenses 3:10, ele diz: “E vos vestistes do novo, que se renova para o conhecimento, segundo a imagem daquele que o criou”.
Em outras palavras, que nos foi dada uma nova mente.

Em II Coríntios 10:4-5 diz que “as armas da nossa milícia não são carnais, mas sim poderosas em Deus para destruição das fortalezas. Destruindo os sofismas, e toda a altivez que se levanta contra o conhecimento de Deus, e levando cativo todo o entendimento à obediência de Cristo”.
Não é incrível? Podemos ir pelo mundo e, literalmente, levar cativo todos pensamentos, ideias, especulações, raciocínios, filosofias e falsas religiões para a verdade em Cristo. Temos uma nova mente. Uma mente dominada pelo Espírito Santo, capaz de levar a verdade libertadora.

Assim, a vida cristã, então, é caracterizada por uma nova mente. Temos uma nova mente. Mas posso desafiá-lo? Você já reparou que, por vezes, sua mente fica suja? Você já percebeu que precisa fazer uma limpeza periódica? Bem, vejamos alguns textos:

Rogo-vos, pois, irmãos, pela compaixão de Deus, que apresenteis os vossos corpos em sacrifício vivo, santo e agradável a Deus, que é o vosso culto racional. E não sede conformados com este mundo, mas sede transformados pela renovação do vosso entendimento, para que experimenteis qual seja a boa, agradável, e perfeita vontade de Deus (Romanos 12:1-2).

E vos renoveis no espírito da vossa mente (Efésios 4:23).

Examinai tudo. Retende o bem. Abstende-vos de toda a aparência do mal. E o mesmo Deus de paz vos santifique em tudo; e todo o vosso espírito, e alma, e corpo, sejam plenamente conservados irrepreensíveis para a vinda de nosso Senhor Jesus Cristo (I Tessalonicenses 5:21-23).

Por isso, cingindo o vosso entendimento, sede sóbrios e esperai inteiramente na graça que vos está sendo trazida na revelação de Jesus Cristo (I Pedro 1:13).

Portanto, se já ressuscitastes com Cristo, buscai as coisas que são de cima, onde Cristo está assentado à destra de Deus. Pensai nas coisas que são de cima, e não nas que são da terra (Colossenses 3:1-2).

Esses textos estão dizendo: Cuide de sua mente. Devemos estar comprometidos com o pensamento e pensar nas coisas certas.
John Owen, um grande escritor puritano, disse o seguinte:

A mente natural não pode conhecer a Deus pessoalmente para salvação, e é incapaz de ver, isto é, de discernir as coisas espirituais. Abrir esse olho é obra do Espírito da graça (Lucas 4:18; Atos 26:18). Ele primeiramente faz isso ao nos conceder o Espírito de sabedoria e revelação. Em segundo lugar, nos dá um coração para conhecê-Lo (Jeremias 24:7). Há, portanto, na conversão, um ato eficaz, poderoso e criativo do Espírito Santo nas mentes dos homens, que os capacita a ver ou discernir as coisas espirituais de forma espiritual. É o que se chama de renovação das nossas mentes (Efésios 4:23; Colossenses 3:10; Romanos 12:2; Tito 3:5). Por meio dela é que Deus concede luz às nossas mentes (2 Coríntios 4:6).

Se você for para a instrução de Provérbios capítulo 2:1-6, o texto diz:

Filho meu, se aceitares as minhas palavras e esconderes contigo os meus mandamentos, para fazeres atento à sabedoria o teu ouvido e para inclinares o coração ao entendimento, e, se clamares por inteligência, e por entendimento alçares a voz, se buscares a sabedoria como a prata e como a tesouros escondidos a procurares, então, entenderás o temor do Senhor e acharás o conhecimento de Deus. Porque o Senhor dá a sabedoria, e da sua boca vem a inteligência e o entendimento.

Em outras palavras, você tem que buscar o entendimento. Você tem que se esforçar para obter o entendimento. E deve se esforçar como se estivesse perseguindo um tesouro muito valioso.
E se você for fiel em fazer este esforço máximo, dizendo ao Senhor “Dá-me entendimento, e guardarei a tua lei; de todo o coração a cumprirei” (Salmo 119:34), Deus lhe dará a compreensão.
A mentalidade cristã moderna tragicamente sucumbiu à deriva secular e nós temos um Cristianismo hoje que não pensa. Tornou-se um tanto histérico, melancólico e melodramático, ele não pensa. É realmente trágico.
Nós estamos fazendo as perguntas erradas. Estamos perguntando: “Como isto me fará sentir?”, “Será que funciona?”. Em vez de “É verdade?”, “É correto?”. Temos que aprender a pensar nas coisas certas.

Agora, quais são elas? Vamos olhar para o nosso texto. Muito simples.

Finalmente, irmãos, tudo o que é verdadeiro, tudo o que é respeitável, tudo o que é justo, tudo o que é puro, tudo o que é amável, tudo o que é de boa fama, se alguma virtude há e se algum louvor existe, seja isso o que ocupe o vosso pensamento. O que também aprendestes, e recebestes, e ouvistes, e vistes em mim, isso praticai; e o Deus da paz será convosco (Filipenses 4:8-9).

Eu nem preciso comentar sobre elas, na verdade, você pode vê-las por si mesmo.
Primeiro ele diz: “Finalmente, irmãos, tudo o que é verdadeiro”. Agora, se você quer saber o que é verdade, onde você a achará? Na Palavra de Deus.
Em João 17:17, Jesus diz: Santifica-os na tua verdade; a tua palavra é a verdade.
O Salmo 119:151 diz: “Tu estás perto, ó Senhor, e todos os teus mandamentos são a verdade”.
E tantos outros textos. Se você quer saber a verdade, você deve ir apenas para a Palavra de Deus. Ela expressa a verdade.
Então, se eu quiser pensar sobre o que é verdade, eu me debruçarei sobre a Palavra de Deus em primeiro lugar.

Ele diz: Tudo o que é honroso, que significa “digno de respeito, honesto”. Tudo o que é nobre, tudo o que é digno, tudo o que é reverente, não inútil, não banal, não comum.
A palavra realmente vem de um termo que significa ‘para a adoração’. Tudo o que é digno de admiração, tudo o que é tido em alta consideração, qualquer que seja muito respeitado, digno de adoração, nisto eu devo pensar.

Ele diz: Tudo o que é justo. Ou seja, tudo que esteja em perfeita harmonia com o eterno e imutável padrão de um santo Deus revelado nas Escrituras.
Eu vou pensar sobre o que é verdade, digno de adoração e absolutamente consistente com a santidade de Deus.

Ele diz: Tudo que é puro, ou seja, moralmente limpo e imaculado. Não trarei as escórias do mundo para minha mente.
Ele diz: Tudo que é amável. Isso significa tudo o que é doce ou gentil ou generoso ou paciente. Vários sentidos.
Ele diz: Tudo o que é de boa fama, ou seja, tudo o que é altamente considerado, é onde eu devo colocar meus pensamentos.

Se eu olhar para o mundo, encontrarei a verdade? Se eu olhar ao meu redor, encontrarei o que é nobre, justo, puro, agradável e de boa fama?
Se eu ligar a televisão, encontrarei coisas com essas virtudes? Se eu for ao teatro ou ao cinema, é isso que encontrarei lá?
Nas minhas leituras de revistas ou livros mundanos, é isto que eu encontro? Nas conversas com amigos, é isto que experimento?
Você tem que proteger a sua mente. O que você faz quanto a isto determinará sua vida.

E, então, ele diz: “Se há alguma virtude, e se há algum louvor, nisso pensai”.
Sua mente é o maior tesouro que você tem, em termos da vida humana, e agora como um crente, a sua mente trabalha em conjunto com o Espírito de Deus.
Você deve proteger sua mente. A maneira que você deve protegê-la é através do que você pensa.
Você deve evitar assuntos que influenciam negativamente o seu pensamento. Não há nenhuma solução rápida para isso. Não há nenhuma fórmula fácil de estabilidade espiritual que você possa obter em sessões de aconselhamento.
Não há qualquer pequeno livro que você possa escrever e dizer: aqui está. Você não pode engarrafá-la e dizer-lhes para tomar uma dose por dia.

Estabilidade espiritual é um resultado de se cultivar a paz na comunhão, mantendo um espírito de alegria, aprendendo a aceitar menos do que você pensa que lhe é devido, descansando em uma relação de confiança ou fé no Senhor, reagindo a problemas com uma atitude de gratidão e tudo isto flui em virtudes divinas que começam a dominar seus padrões de pensamento.
Isso é o que produz a paz, a alegria, a humildade, a fé e a gratidão que fazem a sua vida estabilizada.

Então, Paulo diz: “O que também aprendestes, e recebestes, e ouvistes, e vistes em mim, isso fazei; e o Deus de paz será convosco” (v.9).
Diante de todas as terríveis perseguições e dificuldades que ele padeceu, ele manteve a estabilidade espiritual. Ele, então, os convoca a imitá-lo. E por isto ele fornece esta “receita” em Filipenses 4:1-9.

Amado, como um homem pensa em seu coração, assim ele é. Temos de aprender a cuidar das nossas mentes.
Você não pode esperar ter a plenitude da alegria espiritual, a menos que você deseje as coisas certas, porque é isso que move o seu comportamento.
Seus desejos são um reflexo direto de suas influências. Então, irmãos, nisso pensai. Vamos nos inclinar em oração.

Pai, com gratidão agradecemos por ter ministrado a nós esta manhã, em muitos aspectos.
Tu nos deste o privilégio de sentarmos, por assim dizer, aos pés do Espírito de Deus, para sermos ensinados.
Ajuda-nos, Senhor, a entender o privilégio inacreditável de ter a mente de Cristo, a sabedoria de Deus dispensada a nós pelo Espírito de Deus, para que possamos adequadamente conhecer o que é certo.
Ajuda-nos, Senhor, a protegermos nossa mente, aprendermos a pensar, definirmos as coisas que importam.
Obrigado, ó Deus, pelo rico repertório da Tua Palavra e todos os muitos livros que falam da Tua palavra, que fornecem para nós um poço inesgotável de clara, fresca, doce, refrescante água da verdade, para que possamos verdadeiramente sermos saturados com o que é verdadeiro, o que é nobre, o que é certo, o que é puro, que é adorável, que é de boa fama.
E que pensemos naquilo que é excelente e digno de louvor. Guarda-nos, Senhor, para que possamos ser ainda mais para Tua glória. Amém.


Esta é uma série de sermões sobre estabilidade espiritual, conforme textos listados abaixo.

01. Estabilidade espiritual – Parte 1 
02. Estabilidade espiritual – Parte 2
03. Estabilidade espiritual – Parte 3
04. Estabilidade espiritual – Parte 4    


Este texto é uma síntese do sermão “Spiritual Stability, Part 5: Godly Thinking”, de John MacArthur, em 01/10/1989.

Você poderá ouvi-lo integralmente (em inglês) no link abaixo:

https://www.gty.org/resources/sermons/50-41/spiritual-stability-part-5-godly-thinking

Tradução e síntese feitos pelo site Rei Eterno


Pensamento atribuído a Lucas

Vigie seus pensamentos
Porque eles se tornarão suas palavras

Vigie suas palavras
Porque elas se tornarão seus atos

Vigie seus atos
Porque eles se tornarão seus hábitos

Vigie seus hábitos
Porque eles se tornarão seu caráter

Vigie seu caráter
Porque ele será seu destino.


Você pode gostar...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *