Criar sombras para os filhos – 3

Imprimir

Esta é o terceiro de uma série de quatro sermões pregados em janeiro de 2016 pelo pastor John MacArthur (veja os links no final deste texto).
O título remonta a um antigo provérbio chinês, que diz: ‘uma geração planta as árvores e a geração seguinte desfruta de sua sombra.’
Nestes sermões, o pastor John MacArthur ensina, à luz da Palavra de Deus, como podemos ser plantadores destas ‘árvores’, através da prática dos princípios bíblicos na criação dos nossos filhos.
Neles, John MacArthur passeia pelas Escrituras, tratando do caráter cristão. E, assim, são sermões que devem ter a atenção não só daqueles que estão criando filhos ou pretendem fazê-lo. Mas, é um banquete espiritual para todo o servo de Deus que queira aprender na Palavra a como purificar seu caminho (Sl.119:9).


Vamos continuar o nosso estudo da Bíblia sobre o tema ‘Criando Sombra para seus Filhos’. Estamos falando de pais, falando sobre o que é essencial, o que é fundamental para os pais, a fim de proporcionarem um futuro para os seus filhos em um mundo tão hostil.

Gostaria de examinar particularmente o livro de Provérbios. Então, eu peço que você tenha a sua Bíblia aberta em Provérbios e peço que você esteja pronto para se mover através dele comigo, porque vamos estar olhando e lendo vários trechos das Escrituras.

Não há muito o que explicar no livro de Provérbios, pois é auto explicativo em sua maior parte, e nele está contida a instrução que é fundamental para o exercício da paternidade.

Estamos analisando o que Deus ordenou aos pais para que fizessem na criação dos seus filhos. Nós começamos em Efésios, capítulo 6. Os filhos devem obedecer aos pais e honrar seus pais. E é o primeiro mandamento com promessa de uma vida longa e plena. Essa é a responsabilidade, o dever dos filhos.

Os pais não devem provocar a ira de seus filhos ou desanimá-los, mas devem criá-los na instrução e disciplina do Senhor. Foi onde paramos na última semana.

Hoje à noite quero falar um pouco mais sobre como os pais devem instruir seus filhos, focando em alguns pontos específicos da Palavra de Deus. Agora, lembre-se, o princípio básico sobre o qual temos nos fundamentado nos foi dado através de Deuteronômio 6:4-9, quando os filhos de Israel estavam prontos para ir para a Terra Prometida, e Deus disse a eles:

Ouve, Israel, o Senhor nosso Deus é o único Senhor. Amarás, pois, o Senhor teu Deus de todo o teu coração, e de toda a tua alma, e de todas as tuas forças.E estas palavras, que hoje te ordeno, estarão no teu coração; E as ensinarás a teus filhos e delas falarás assentado em tua casa, e andando pelo caminho, e deitando-te e levantando-te.Também as atarás por sinal na tua mão, e te serão por frontais entre os teus olhos. E as escreverás nos umbrais de tua casa, e nas tuas portas.”

Em outras palavras, Deus estava lhes ordenando que vivessem no reino da verdade Divina, a fim de que conduzissem seus filhos a amar o Senhor seu Deus de todo o coração, alma, mente e força.

Na nossa mensagem na semana passada incluímos algumas considerações acerca de o quão importante é começar a ensinar a seus filhos o Evangelho. E eu lhes sugeri algumas histórias bíblicas, começando em Gênesis, que vocês podem usar para ensinar seus filhos. Também algumas passagens do Novo Testamento para usarem nesta instrução.

Hoje à noite quero começar voltando a esse ponto da instrução de seus filhos no Evangelho e da questão da salvação. Mas, ao invés de olharmos para passagens específicas, eu quero falar um pouco sobre doutrina. Então, deixem-me dar-lhes um pouco de um resumo doutrinal sobre o que você precisa ensinar a seus filhos.

Isto é muito, muito importante. Aqui estão os princípios que se relacionam com a salvação de seus filhos:

  1. Você deve ensinar a seus filhos que Deus é Santo e que Ele exige santidade perfeita. Se alguém quer ter um relacionamento com Deus, certamente um relacionamento eterno com Deus, essa pessoa deve ser santa, porque Deus é Santo.
  1. Porque Ele é santo, Ele odeia o pecado.
  1. E porque Ele odeia o pecado, Ele sempre pune o pecado. Seus filhos precisam saber que Deus é Santo, Sua lei exige santidade perfeita. Santidade perfeita é necessário para qualquer um ter um relacionamento com Ele. Ele odeia o pecado. Ele sempre pune o pecado.
  1. A próxima coisa que você quer ter certeza de que seus filhos saibam é que somos pecadores e, portanto, não podemos estar diante de Deus com base na nossa própria santidade, com base em nossa própria justiça. Nós temos violado a lei de Deus. Temos ofendido a Deus. Temos escandalizado Deus. Nós não temos base em nós mesmos para entrarmos em Sua presença e ter um relacionamento com Ele.
  1. Você precisa dizer a seus filhos que o pecado torna impossível para nós a paz com Deus e ainda destrói a paz com os outros homens – por isso, obviamente, vivemos em um mundo sem paz.
  1. Seus filhos também precisam saber que todos estamos nessa condição. Todo mundo está sob o julgamento de Deus, porque todos nós somos profanos, pecadores. Todos vivemos em uma situação de alienação de Deus. Ter paz com Deus é impossível, e a paz com outras pessoas é quase impossível também.
  1. Todos nós somos dignos de morte. Nós somos dignos da morte física e dignos da morte eterna. As crianças precisam entender isso. Há consequências graves e eternas para o pecado.
  1. E, então, elas precisam saber que os pecadores não podem fazer nada para mudar isso. Nada. Seja para obter um futuro diferente, seja para alcançar a reconciliação com Deus. Não podemos fazer nada. Essa é uma mensagem crítica, porque cada religião falsa no mundo diz que nós podemos fazer alguma coisa, e você vai protejer suas crianças de uma religião falsa, se elas compreenderem a sua total separação de Deus e que não há nada que elas possam fazer por si mesmas para se reconciliar com Deus.
  1. Além disso, ensine-as que não podemos mudar nossa natureza. Nós não podemos consertar a nós mesmos. Não podemos nos tornar diferentes. Somos impotentes.
  1. Estamos caminhando para o julgamento eterno. Nós estamos indo para o inferno. Essa é a nossa condição. E esse é o nosso destino simplesmente porque Deus é Santo e nós não somos.
  1. E depois vem a boa notícia: existe um remédio para esta doença terrível, e o remédio vem através do Filho de Deus, o Senhor Jesus Cristo. Em seguida, seus filhos precisam saber quem Ele é:

■ Ele é eternamente Deus e Senhor de tudo. Ele é Deus.

■ Mas tornou-se homem, nascido de uma virgem.

■ Na forma de homem, viveu uma vida pura e sem pecado.

■ Deus O designou como aquele que iria morrer em nosso lugar, tomar o juízo divino por nós. Ele era o único que seria um sacrifício aceitável por  nossos pecados.

■ Então, Jesus morreu, não sob o julgamento de Pilatos, não sob o julgamento de Herodes, e não sob o julgamento de Anás e Caifás, e não sob o julgamento dos fariseus e do Sinédrio. Ele morreu sob o julgamento de Deus. Deus O castigou em nosso lugar.

■ E, então, Ele ressuscitou dos mortos em triunfante vitória. Jesus pagou o preço por nossos pecados e conquistou a morte em nosso lugar.

  1. Seus filhos precisam saber que para escapar dos horrores da condição em que todos os pecadores estão, temos que colocar nossa fé Nele, Jesus. Se nós apenas crermos em Jesus como Senhor, confessá-Lo como nosso Senhor e Salvador, somos perdoados, somos salvos, somos reconciliados, somos adotados na família de Deus, e temos a promessa de céu eterno.
  1. Em seguida, sua próxima tarefa é falar com seus filhos sobre uma resposta. Diga aos seus filhos que eles precisam se arrepender de seu pecado. Eles precisam virar as costas para tudo o que desonra a Deus, e eles precisam ir a Cristo, confiar Nele como Salvador e Senhor e segui-Lo em obediência, não importa a que custo.

Esses são os assuntos principais que as crianças precisam entender e elas precisam ser CONTINUAMENTE lembradas dessas coisas.

Agora, Deuteronômio 6, como lemos, nos fala sobre ensinar aos filhos de forma diligente. Ou seja, é um trabalho de tempo integral. É um chamado para vida. E esta é, realmente, uma importante razão pela qual, em uma família cristã, a mãe deve estar em casa com os filhos.

Isso é tão crítico, tão vital que Paulo declara em 1 Timóteo 2:15, sobre as mulheres: “Salvar-se-á, porém, dando à luz filhos, se permanecer com modéstia na fé, no amor e na santificação.” Que significa que as mulheres são literalmente salvas do estigma da queda* , ou seja, da maldição que foi trazida como juízo de Deus no Éden após o pecado, quando elas criam uma geração de filhos piedosos.

*[Pregando sobre Gênesis, o pr. Macarthur explica que, antes da queda, era fácil e natural para a mulher ser submissa a seu marido e criar seus filhos com dedicação e amor. Mas, depois que o pecado entrou, isso passou a ser desafiador para ela, na verdade, esse foi o seu castigo: se submeter e gerar filhos com dor. Agora, a natureza da mulher resistiria a se submeter, assim como a do homem resistiria amá-la e dar a vida por ela. A mulher geraria filhos com dores físicas e dores emocionais, pois não geraria filhos santos, mas corruptos pecadores. O papel da mulher na família, então, tornou-se um estigma. Apenas o Evangelho trouxe junto com ele a boa notícia de que essa maldição pode ter seus efeitos muito diminuídos na vida de uma mulher, pois através do Espírito ela recebe poder para se submeter e, ao cumprir bem seu papel de mãe, diminuirá muito a força da maldição, pois seus filhos serão fonte de alegria para ela, e ela terá uma imensa realização em cumprir seu papel. Notem que Paulo está falando justamente sobre a queda no Éden e logo após aborda o que está no verso 15.]’

Grande é a  influencia de uma mãe cristã nos primeiros anos de vida dos seus filhos: sendo diligente, em tempo integral, vinte e quatro horas por dia, sempre ensinando estas verdades para as crianças; chamando-as a arrepender-se toda vez que desonrarem a Deus; chamando-as a colocarem sua confiança em Jesus Cristo, o Salvador e Senhor, Aquele que deu Sua vida por eles; chamando-as a segui- Lo em obediência, não importa o que o custe.

Essa obra deve ser feita continuamente. Isto é o que significa você criá-los na disciplina e na instrução do Senhor. Você tem o dever de ensiná- los a observar todas as coisas que o Senhor ordena. Isso é cumprir a ‘Grande Comissão’ (Mt 28:19-20) na vida de seus filhos.

Ensiná-los sobre a salvação é apenas o início. Além disso, você também tem a responsabilidade de ensinar-lhes todas as coisas ordenadas por Deus em Sua Palavra.

Você deve ensiná- los toda a sabedoria de Deus. Além do Evangelho, existem várias verdades que eles precisam saber, verdades vitais sobre caráter, integridade, justiça, virtude, discernimento, relacionamentos, trabalho. Enfim, todas as questões de sabedoria prática que formam suas vidas de modo a honrarem a Deus.

Provérbios é o livro inspirado que contém os princípios para viver uma vida de sabedoria. Então, vamos olhar para o livro de Provérbios. Seus filhos devem conhecer bem esses princípios que estão no livro de Provérbios.

Eles vivem em um mundo corrupto. A tragédia da corrupção e lideranças más contamina as gerações subsequentes. Lemos em Êxodo, Deuteronômio e Números que os pecados do pais são visitados na terceira e na quarta geração. Quando há paternidade corrompida espiritualmente, quando há uma liderança corrupta, o resultado danoso disto é tão profundo, que ele poderia atingir três ou quatro gerações posteriores.

Temos que lutar a todo custo contra essa semente de corrupção. Então, nós, como pais, e, principalmente, os homens, devemos liderar esta instrução para trazer a sabedoria divina, a fim de nossas casas buscarem um viver santo e honrar a Deus.

Provérbios 29:15, diz: “A vara e a repreensão dão sabedoria, mas a criança entregue a si mesma, envergonha a sua mãe.”

Provérbios 22:15, diz: “A estultícia está ligada ao coração da criança, mas a vara da correção a afugentará dela.” Isso é para evitar que você tenha um filho tolo. A estultícia deve ser expulsa. Você não pode deixar suas crianças agirem por sua vontade própria, porque eles acabam sempre envergonhando seus pais.

O dever de instruir e disciplinar os filhos é também da mãe, mas o primeiro responsável é o pai. Vejamos Provérbios 1: 8, e veja como a figura do ‘pai’ é enfatizada: “Filho meu, ouve a instrução de teu pai, e não deixes o ensinamento de tua mãe…”. Sim, é claro, ambos estão envolvidos, mas o pai tem a principal responsabilidade.

Capítulo 2:1-2, “Filho meu, se aceitares as minhas palavras, e esconderes contigo os meus mandamentos, para fazeres o teu ouvido atento à sabedoria; e inclinares o teu coração ao entendimento…”.

Capítulo 3:1,“Filho meu, não te esqueças da minha lei, e o teu coração guarde os meus mandamentos.” Capítulo 4:1, diz: “Ouvi, filhos, a instrução do pai, e estai atentos para conhecerdes a prudência.”

Agora, capítulo 4:10, diz: “Ouve, filho meu, e aceita as minhas palavras, e se multiplicarão os anos da tua vida.” O versículo 20: “Filho meu, atenta para as minhas palavras; às minhas razões inclina o teu ouvido.”

Capítulo 5, mais uma vez,“Meu filho, dar atenção à minha sabedoria; inclinação do ouvido à minha compreensão.” Capítulo 6:20, diz: “Filho meu, guarda o mandamento de teu pai, e não deixes a lei da tua mãe…”.

Todos esses textos que acabamos de ler em Provérbios são instruções para os pais, e em particular, de um pai para seu filho. Embora o casal deva estar totalmente envolvido na formação de seus filhos, é o pai, no entanto, que tem a liderança.

O Capítulo 7 começa da mesma forma: “Filho meu, guarda as minhas palavras, e esconde dentro de ti os meus mandamentos.” (v. 1). E mais abaixo, no versículo 24: “Agora pois, filhos, dai-me ouvidos, e estai atentos às palavras da minha boca.”

Agora, posso dizer algo que é realmente óbvio aqui? Não há melhor forma de colocar a verdade de Deus na vida de uma criança do que ler a Palavra de Deus para essa criança. Você não precisa de mecanismos inteligentes; não precisa de vídeos ou de impressões sutis. Você fala diretamente a Palavra de Deus; isso é por desígnio de Deus.

Cabe aos pais fazê-lo e às mães. Mas, o pai deve assumir a liderança também quanto ao ensino da Palavra, porque assim também ele vai ensinar seus filhos homens a serem futuros líderes. E é por isso que, a propósito, há uma tentativa satânica feminista constante para destruir a liderança de homens na sociedade.

Isso acontece o tempo todo. Tudo começou no jardim, quando Satanás conseguiu fisgar Eva num momento em que ela não estava sob a influência da liderança de Adão. Depois Adão, literalmente, sucumbiu à liderança de sua esposa, e o conflito começou.

Você está vivendo em uma sociedade que está, constantemente, sob um ataque maciço por parte das mulheres se esforçando para anular os homens e roubar-lhes a liderança. E elas têm sido muito, muito bem sucedidas nisso.

Porém, o padrão de liderança masculina tem que ser mantido na família que honra a Cristo. O homem é o cabeça. Ele é o instrutor no topo. “Mas quero que saibais que Cristo é a cabeça de todo o homem, e o homem a cabeça da mulher; e Deus a cabeça de Cristo.” (1 Coríntios 11:3).

Há uma profunda necessidade de pais fortes para ensinarem os seus filhos. Esta é a única esperança de ‘criarmos sombra’ para as crianças da próxima geração.

Assim, Deus deu aos pais e mães, é claro, um livro fundamental, a Bíblia, que contém as verdades que devemos  ensinar, e estas verdades estão resumidas neste incrível livro de Provérbios, um livro de sabedoria, que trata de como viver a vida para agradar a Deus.

Todo esse ensino é destinado para aqueles que conhecem a Deus, para os salvos.  Tudo foi  escrito para as pessoas que pertencem a Deus. Todos os princípios espirituais de vida foram compilados neste livro. Tudo é muito simples de entender. Ele contém regras concisas, simples.

Seria justo dizer que todos os princípios tratados em Provérbios são simples na forma e são sábios no conteúdo. Se quisermos criar uma geração de filhos piedosos, que podem levar a próxima geração ao conhecimento de Cristo, o conhecimento de Deus e da piedade, então estas são as verdades que devem ser ensinadas.

E, a propósito, grande parte da instrução contemporânea para os pais é irremediavelmente trivial: ser um amigo para o seu filho, ouvir o seu filho, ir a lugares em conjunto com os seus filhos, se divertir, seguir os seus interesses… Muito superficial. Não é que seja errado. Mas, se você estiver fazendo tudo isso, certifique-se que use todo o tempo que estiver junto com seus filhos para incorporar neles os princípios divinos.

Mantenha sua conversa nesse nível. O que Provérbios diz é muito mais profundo do que falar sobre as atividades das crianças, jogos para crianças. O dever principal de um pai não se resume a levar o lixo para fora, ou, como um menino disse, ‘ trazer para casa o bacon e consertar o que está quebrado’. A principal responsabilidade de pais e mães é ensinar princípios de vida santa para os seus filhos.

Agora, vamos voltar para o capítulo 2 por um momento. Você deve ensinar a seus filhos que a sabedoria espiritual é a mais nobre busca da vida. Mais do que qualquer outro recurso, eles precisam de sabedoria. Essa afirmação por si só é contrária a tudo o que esta atual geração de jovens tem sido incentivada a buscar em suas vidas.

O principal foco e objetivo na vida de um jovem deve ser buscar obter sabedoria divina e para isto ele deve ser direcionado pelos pais. Vejamos o que diz o capítulo 2 de Provérbios, versos 1 a  9:

“Filho meu, se aceitares as minhas palavras, e esconderes contigo os meus mandamentos, para fazeres o teu ouvido atento à sabedoria; e inclinares o teu coração ao entendimento; se clamares por conhecimento, e por inteligência alçares a tua voz, se como a prata a buscares e como a tesouros escondidos a procurares, então entenderás o temor do Senhor, e acharás o conhecimento de Deus. Porque o Senhor dá a sabedoria; da sua boca é que vem o conhecimento e o entendimento. Ele reserva a verdadeira sabedoria para os retos. Escudo é para os que caminham na sinceridade, para que guardem as veredas do juízo. Ele preservará o caminho dos seus santos. Então entenderás a justiça, o juízo, a equidade e todas as boas veredas.”

Haveria qualquer outro bem ou valor ou conquista que você desejaria mais para seus filhos do que um coração compreensivo, discernimento, conhecimento, sabedoria, a verdadeira sabedoria, integridade, justiça, retidão, equidade, todo bom juízo?

Se é isso o que você deseja para  seus filhos, ouça quais serão as consequências em suas vidas:

“Pois quando a sabedoria entrar no teu coração, e o conhecimento for agradável à tua alma, o bom juízo te guardará e a inteligência te conservará; para te afastar do mau caminho, e do homem que fala coisas perversas; ” (vv. 10-12).

Não é apenas o efeito positivo da sabedoria trazendo bênção, há também o lado protetor da  sabedoria, protegendo-o de mentiras e enganos e erros:

“Para te afastar do mau caminho, e do homem que fala coisas perversas; dos que deixam as veredas da retidão, para andarem pelos caminhos escusos; que se alegram de fazer mal, e folgam com as perversidades dos maus, cujas veredas são tortuosas e que se desviam nos seus caminhos”. (vv. 12-15).

Você precisa de sabedoria. Você precisa de sabedoria divina. Você precisa da sabedoria de Deus. Você precisa de discernimento, de conhecimento, de entendimento. Todas essas palavras são repetidas ao longo do livro de Provérbios.

No capítulo 8, há uma espécie de personificação da própria sabedoria, como se a sabedoria, na verdade, falasse. Isso acontece em alguns trechos na primeira parte de Provérbios.

Isto é o que cada pessoa deve procurar: sabedoria. Sabedoria produz prudência, conhecimento, poder, o temor do Senhor, humildade, uma boca pura, conselho sábio, justiça, julgamento correto, amor.

E os versículo 18 a 21 do capítulo 8, dizem:

 “Riquezas e honra estão comigo; assim como os bens duráveis e a justiça. Melhor é o meu fruto do que o ouro, do que o ouro refinado, e os meus ganhos mais do que a prata escolhida. Faço andar pelo caminho da justiça, no meio das veredas do juízo. Para que faça herdar bens permanentes aos que me amam, e eu encha os seus tesouros.”

Não é apenas espiritualmente benéfico ser sábio, é benéfico em todos os sentidos da vida, todos os sentidos. Os Versículos 32 a 36, capítulo 8, fecham o assunto com chave de ouro:

Agora, pois, filhos, ouvi-me, porque bem-aventurados serão os que guardarem os meus caminhos. Ouvi a instrução, e sede sábios, não a rejeiteis. Bem-aventurado o homem que me dá ouvidos, velando às minhas portas cada dia, esperando às ombreiras da minha entrada. Porque o que me achar, achará a vida, e alcançará o favor do Senhor. Mas o que pecar contra mim violentará a sua própria alma; todos os que me odeiam amam a morte.

Então, qual é a primeira responsabilidade dos pais? Primeiro de tudo, conhecer a sabedoria, e depois passá-la a seus filhos. Se quisermos que haja qualquer sombra para os nossos filhos no futuro, isto é o que devemos fazer.

Essa sabedoria não se adquire no mundo, pois o mundo se levantará para combatê-la. Ela não se adquire em qualquer sistema educacional operante no mundo, em qualquer nível, desde a escola primária até o doutorado. A sabedoria de Deus não está em seus currículos. Transmiti-la a seus filhos será sua responsabilidade, sendo auxiliado pela igreja de Jesus Cristo.

A igreja está junta nisso. Todos devemos nos ajudar, como pais, a aprendermos a sabedoria e a transmitirmos aos nossos filhos. E eu preciso dizer isso, apesar de ser muito óbvio. Mas eu só preciso dizê-lo, porque eu quero ter certeza de estar fixo em sua mente: a sabedoria de Deus não é complicada.

Quando você lê Provérbios, percebe logo que tudo é simples, direto, quase exclusivamente com duas linhas. Não é esotérico. Não há verdade escondida aqui. Não é místico. É apenas simples sabedoria divina.

Agora, há muitos princípios de sabedoria que são ditos em Provérbios, mas eu quero resumi-los em dez lições cruciais que os pais têm de ensinar aos filhos. Você pode dizer de outra forma: dez lições cruciais que os pais têm de saber para que eles possam ensinar aos filhos.

Você já me ouviu dizer que é importante evangelizar seus filhos. Isso é essencial, pois eles não vão ser capazes de abraçar a sabedoria de Deus e viver a sabedoria de Deus, a menos que eles estejam em Cristo e conheçam a Deus, a menos que eles sejam capacitados pelo Espírito de Deus.

PRIMEIRA LIÇÃO: ENSINE SEUS FILHOS A TEMEREM A DEUS

Tudo começa a partir disso. Provérbios 1: 7 diz: “O temor do Senhor é o princípio da sabedoria.” Isso é repetido em Provérbios 9:10. Esta é a primeira lição, esta é a prioridade, este é o princípio controlador primário. Sem ele, nenhum dos outros princípios fará sentido.

Provérbios 9: 10 adiciona o seguinte: “O temor do Senhor é o princípio da sabedoria, e o conhecimento do Santo a prudência.” A primeira lição a ensinar para seus filhos é a de temerem o seu Deus, de conhecerem o seu Deus.E isso traz a tona novamente a questão do relacionamento com Deus, que só é possível através da salvação.

O que queremos dizer com “temer a Deus”? Não quer dizer ter medo de Deus. Embora que, se você rejeitar o Evangelho, é melhor que tenha medo de Deus, com certeza. Mas, quando falamos de temor, estamos falando de respeito, estamos falando sobre um temor reverente.

Os pais devem ensinar seus filhos a respeitarem a Deus, a terem reverência a Deus por quem Ele é. Devem respeitá-Lo, bem como ter respeito por Sua Palavra, por Sua lei, pelo Seu poder, por sua autoridade; pelo Seu julgamento, disciplina, por tudo aquilo que O desagrada. Em outras palavras, ter respeito pelo caráter e atributos de Deus.

Ensine seus filhos a adorarem a Deus, a entenderem quem Deus é, que só Ele é Deus e não há outro (Dt. 6:4). Ensine seus filhos sobre Deus, todos os Seus atributos, todas as Suas características, tudo o que Ele é, tudo o que Ele tem feito. Seus filhos precisam conhecer sobre o caráter de Deus.

E, em seguida, ensine a seus filhos sobre os sábios mandamentos contidos em Provérbios 3, que são:

■ “Confia no Senhor de todo o teu coração, e não te estribes no teu próprio entendimento.” (v.5).

■ “Reconhece-o em todos os teus caminhos, e ele endireitará as tuas veredas.” (v. 6).

“Não sejas sábio a teus próprios olhos; teme ao Senhor e aparta-te do mal.” (v. 7).

“Honra ao Senhor com os teus bens, e com a primeira parte de todos os teus ganhos.” (v. 9)

É tudo sobre o Senhor, sobre honrar o Senhor. É onde tudo começa. No versículo 5, “Confia no Senhor de todo o teu coração…”, a palavra hebraica usada para ‘confiar’ originalmente significa ‘deitar-se no chão com o seu rosto para baixo’. Literalmente: ‘coloque-se no nível mais baixo que você puder, em respeito a quão glorioso Deus é.’

“Não se apoie no seu próprio entendimento.” Aqui está uma palavra interessante. Você primeiro deve se inclinar ao nível mais baixo, como falamos acima. Mas, a ideia do texto é que você apoie todo o peso do seu corpo, lance seu corpo em terra. Coloque todo o seu peso em Deus.

Caia em seu rosto diante Dele. Coloque todo o seu peso sobre Ele e reconheça-O, conheça-O, esteja ciente Dele. Um verdadeiro temor de Deus produz um verdadeiro medo do pecado. Um verdadeiro temor de Deus produz um verdadeiro medo do juízo.

Provérbios nos fala muito sobre essa lição inicial, de temer ao Senhor. Capítulo 10:27, diz: “O temor do Senhor aumenta os dias, mas os perversos terão os anos da vida abreviados.Capítulo 15:16: “Melhor é o pouco com o temor do Senhor, do que um grande tesouro onde há inquietação.”

Provérbios 19:23, diz: “O temor do Senhor encaminha para a vida; aquele que o tem ficará satisfeito, e não o visitará mal nenhum.” Capítulo 16:6: “Pela misericórdia e verdade a iniquidade é perdoada, e pelo temor do Senhor os homens se desviam do pecado.

Provérbios 22:4: “O galardão da humildade e o temor do Senhor são riquezas, honra e vida.” Provérbios está repleto de mandamentos sobre temer ao Senhor, indicando as consequências para os que assim vivem.

Em síntese, diz que aqueles que temem ao Senhor: dormem satisfeitos (3:24);  são intocados pelo mal (3:25); têm confiança (3:23); serão louvados por outros (3:35); têm suas orações respondidas (3:26).

Tudo começa com ‘temer a Deus’,  ser um adorador do verdadeiro Deus. Agora, obviamente, não podemos ser um adorador verdadeiro, enquanto não nos rendermos ao governo de Cristo. Isso está em João 4:23, Jesus declarou que: “…os verdadeiros adoradores adorarão o Pai em espírito e em verdade; porque o Pai procura a tais que assim o adorem.”

O Pai procura verdadeiros adoradores que O adorem em espírito e em verdade. E a única maneira pela qual você pode se tornar um verdadeiro adorador é pela fé em Cristo. Então Filipenses 3:3, diz: “Porque a circuncisão somos nós, que servimos a Deus em espírito, e nos gloriamos em Jesus Cristo, e não confiamos na carne.”

Então, ensine a seus filhos que temam ao seu Deus. Que temam o Seu julgamento, a Sua ira, que temam pecar contra Ele, temam também as consequências do pecado. Mas, o mais importante, que tenham verdadeiro temor no sentido de adoração e reverência a Deus. Que entendam que devem honrá-Lo, respeitá-Lo, amá-Lo.

Isso é ser um verdadeiro adorador. Ensine seus filhos a serem adoradores de Deus. E a melhor maneira de ensiná-los, é claro, é através da Palavra de Deus; e a melhor maneira de incentivá-los é sendo você mesmo um verdadeiro adorador.

SEGUNDA LIÇÃO: ENSINE SEUS FILHOS A GUARDAREM SEU CORAÇÃO (MENTE)

A segunda lição que você deve ensinar a seus filhos é a guardarem seus corações (mentes). Isto é repetido várias vezes nos primeiros dez capítulos de Provérbios. Mas, não dispomos de tempo agora para vermos todos esses textos.

Porém, vejamos o capítulo 3:3, que diz: “Não te desamparem a benignidade e a fidelidade; ata-as ao teu pescoço; escreve-as na tábua do teu coração.” A palavra ‘coração’ aqui significa ‘mente’.

Mais diretamente, capítulo 4:23, um texto bem familiar: “Sobre tudo o que se deve guardar, guarda o teu coração, porque dele procedem as fontes da vida.” Mais uma vez, ‘coração’ é a maneira hebraica de expressar a ‘mente’.

A Palavra está ordenando: vigie sua mente,  guarde-a com toda diligência, porque é a partir dela que fluem as fontes da vida! Guarde sua mente, porque você vive do que você pensa. Seu modo de vida, literalmente, flui de seus pensamentos. Guarde sua mente!

Sua conduta advém de como você pensa. Este princípio é repetido em muitas outras partes nas Escrituras. Paulo escreveu: “Quanto ao mais, irmãos, tudo o que é verdadeiro, tudo o que é honesto, tudo o que é justo, tudo o que é puro, tudo o que é amável, tudo o que é de boa fama, se há alguma virtude, e se há algum louvor, nisso pensai.” (Fp. 4:8).

Paulo também fala sobre “ter uma mente renovada.” (Rm. 12:1-2). Jesus disse em Mateus 12: 34b: “…Pois do que há em abundância no coração [mente], disso fala a boca.” E completa com uma colocação impactante: “O homem bom tira boas coisas do bom tesouro do seu coração [sua mente], e o homem mau do mau tesouro tira coisas más.” (v. 35). Vemos isto em toda parte.

Vamos voltar ao capítulo 1, versículos 8-9 de Provérbios: “Filho meu, ouve a instrução de teu pai, e não deixes o ensinamento de tua mãe, porque serão como diadema gracioso em tua cabeça, e colares ao teu pescoço.” Está, literalmente, dizendo que envolvam sua cabeça e seu pescoço com sabedoria, com a verdade. Isso é o que deve controlar a sua vida.

Agora, o capítulo 2:10-12:  “Pois quando a sabedoria entrar no teu coração, e o conhecimento for agradável à tua alma, o bom juízo te guardará e a inteligência te conservará; para te afastar do mau caminho, e do homem que fala coisas perversas.

Mais uma vez, no capítulo 3:1: “Filho meu, não te esqueças da minha lei, e o teu coração [mente] guarde os meus mandamentos.”

Capítulo 4:2 a 5, reafirma: “Pois dou-vos boa doutrina; não deixeis a minha lei. Porque eu era filho tenro na companhia de meu pai, e único diante de minha mãe. E ele me ensinava e me dizia: Retenha no teu coração [mente] as minhas palavras; guarda os meus mandamentos, e vive. Adquire sabedoria, adquire inteligência, e não te esqueças nem te apartes das palavras da minha boca.”

Versículos 6 a 8: “Não a abandones e ela te guardará; ama-a, e ela te protegerá. A sabedoria é a coisa principal; adquire pois a sabedoria, emprega tudo o que possuis na aquisição de entendimento. Exalta-a, e ela te exaltará; e, abraçando-a tu, ela te honrará.”

Não abandone a sabedoria. Ela vai te guardar. Ame-a e ela vai cuidar de você. O princípio da sabedoria é adquirir sabedoria. Com ela se adquire o entendimento. Ela vai te honrar, se você abraçá-la.

Capítulo 4, versículos 10-13: “Ouve, filho meu, e aceita as minhas palavras, e se multiplicarão os anos da tua vida. No caminho da sabedoria te ensinei, e por veredas de retidão te fiz andar. Por elas andando, não se embaraçarão os teus passos; e se correres não tropeçarás. Apega-te à instrução e não a largues; guarda-a, porque ela é a tua vida.”

Desça aos versículos 20-21: “Filho meu, atenta para as minhas palavras; às minhas razões inclina o teu ouvido. Não as deixes apartar-se dos teus olhos; guarda-as no íntimo do teu coração [mente].”

Ainda, o capítulo 7:1-3: “Filho meu, guarda as minhas palavras, e esconde dentro de ti os meus mandamentos. Guarda os meus mandamentos e vive; e a minha lei, como a menina dos teus olhos. Ata-os aos teus dedos, escreve-os na tábua do teu coração [mente].

Temos a tarefa de ensinar a uma criança que a mente é a fonte de tudo o que é bom e de tudo o que é mau. Você deve programar a mente de seus filhos com bondade, amor, lealdade, fidelidade. Isso é o que a Palavra está dizendo no capítulo 4 e versículo 23.

Ensine a verdade às crianças, para que os valores da Verdade sejam inscritos, impressos, gravados nos seus corações (mentes). Essa é uma responsabilidade vitalícia. E esta responsabilidade cabe aos pais. E o próprio Senhor é quem dá vida a essa instrução de Sua Palavra, porque a Sua Palavra é viva e poderosa.

TERCEIRA LIÇÃO: ENSINE SEUS FILHOS A OBEDECER.

Uma terceira e óbvia lição – e já falamos sobre isso, mas eu quero incluir nesta lista: ensine seus filhos a obedecerem aos pais. Não terá efeito na vida deles receber qualquer instrução dos pais, se eles não sentirem a responsabilidade de obedecerem o que os pais dizem.

Lemos diversas vezes em Provérbios:  ‘Ouça, meu filho. Ouça as instruções de seu pai. Não abandone o ensino de sua mãe.’ Seus filhos precisam ser ensinados sobre a autoridade dos pais. Reforce a eles que obedecer aos pais é o primeiro mandamento com uma promessa. Eles devem se submeter à autoridade de seus pais.

Isso é fundamental, é crítico, porque a obediência começa em coisas pequenas, como não bater na mesa ou não escrever nas paredes… Mas, ela deve alcançar dimensões mais amplas, espirituais.

Porém, você tem que possuir  a mesma atitude submissa que está ensinando a seus filhos. Você deve ser alguém pronto para ouvir e ouvir.

No capítulo 10, verso 13, temos algo que vai nos ajudar a ajudá-los a aprender a obedecer: “Nos lábios do entendido se acha a sabedoria, mas a vara é para as costas do falto de entendimento.

Assim, você primeiro deve falar, ensinar a seus seus filhos. Quando eles violam este ensino, você é auxiliado com o recurso bíblico da disciplina, que trará a eles uma consequência ruim, negativa, dolorosa, por causa da desobediência.

Os pais têm em Deus o modelo de um Pai que corrige seus filhos:  “Filho meu, não rejeites a correção do Senhor, nem te enojes da sua repreensão. Porque o Senhor repreende aquele a quem ama, assim como o pai ao filho a quem quer bem.” Isso é repetido no livro de Hebreus (12:6).

Então, vocês devem ensinar seus filhos a obedecerem, e devem reforçar a exigência de obediência com a possibilidade da disciplina. Sem abusos,  sem lesões, mas um razoável lembrete de que existem consequências negativas e sofridas para desobediência, que irá instruir as crianças a fazerem o que é direito, a fim de escapar da punição.

Você gostaria de pensar que eles seriam motivados a obedecer pelo simples fato de que isso é o certo a fazer, não é? Mas eles não são motivados dessa forma. A estultícia (tolice) está amarrada a seus corações, como nos nossos.

Agora, Provérbios é muito cuidadoso acerca da disciplina. Capítulo 19, verso 18 diz: “Castiga o teu filho enquanto há esperança, mas não deixes que o teu ânimo se exalte até o matar.” Não é para ser feita com raiva, mas com amor. Veja novamente Provérbios 3:11-12. É um ato de amor.

É algo gratificante para um pai fazer, porque ele sabe que o objetivo é o benefício da criança. Então, você não disciplina com raiva, ira, mas disciplina com amor. Você disciplina, não porque está frustrado com o seu filho, não porque você simplesmente quer controlar a criança, mas porque você quer ela aprenda a agir e reagir de modo sábio.

“O açoite é para o cavalo, o freio é para o jumento, e a vara é para as costas dos tolos.” (Pv. 26:3). A vara é para parte de trás daquele que carece de entendimento. Você está conduzindo seu filho no caminho do entendimento. Então, a finalidade da disciplina é levar seu filho a agir de acordo com a sabedoria.

Agora, isso não é fácil de fazer, porque o coração de seu filho é rebelde. E nós sabemos que deve haver uma quebra dessa rebelião. Provérbios 23: 13-14, diz: “Não retires a disciplina da criança; pois se a fustigares com a vara, nem por isso morrerá. Tu a fustigarás com a vara, e livrarás a sua alma do inferno.”

Se você não disciplinar seu filho, e não quebrar sua vontade própria, ele estará caminhando rumo ao inferno. Capítulo 22:15, diz: “A estultícia está ligada ao coração da criança, mas a vara da correção a afugentará dela.” A disciplina tem um impacto duradouro em uma criança. É extremamente significativa.

Ouça o que diz Provérbios 29: 17, “Castiga o teu filho, e te dará descanso; e dará delícias à tua alma.” Ninguém quer uma criança indisciplinada. Por isso, discipline, mas não em raiva, sempre no amor. Nós disciplinamos porque o delicioso resultado é que teremos um filho que nos trará descanso e alegria.

Nós disciplinamos nossos filhos para quebrar sua vontade própria, para remover loucura (estultícia, tolice). Disciplinamos para livrar a criança da morte espiritual. Nós ensinamos nossos filhos a obedecer. Nós usamos a vara para reforçar este ensino, pois desde que o castigo físico seja feito em amor, é uma boa correção.

O filho deve aprender a ter obediência para com seus pais, para que ele possa aprender a obedecer à lei de Deus, possa se submeter às autoridades em sua vida, a fim de que ele possa viver no mundo e não se tornar antissocial e um criminoso. Uma criança desobediente muitas vezes acaba sendo um criminoso adulto.

Hoje em dia, a desobediência e rebeldia em certas crianças é vista como uma doença pela medicina e é tratada com drogas para inibir seu comportamento hiperativo. A criança vai viver usando estas drogas que lhe trarão certa diminuição de atividade.

Mas, isso tem se repetido muitas vezes, quando os remédios são retirados da vida dessa pessoa, ela é um completo antissocial. Você tem a responsabilidade de instruir e disciplinar seus filhos. Isso não se faz ministrando drogas a eles.

QUARTA LIÇÃO: SELECIONAR BEM SUAS COMPANHIAS

Escolha bem seus companheiros. Isso é algo que Patricia e eu conversávamos muito quando estávamos criando nossos filhos. É muito, muito importante.

Nós instruímos nossos filhos acerca de como eles deveriam avaliar suas companhias, amizades. Volte para capítulo 1:10: “Filho meu, se os pecadores procuram te atrair com agrados, não aceites.”

Eu tenho uma viva memória de quando eu era muito pequeno. Algumas crianças me cercaram, acho que eram umas nove, nós fomos para uma loja da Sears e eles me desafiaram a roubar algo de uma prateleira, e eles me atraíram. Na minha loucura, peguei algo, outra pessoa pegou alguma coisa, e nós saímos recheados de coisas em nossos bolsos…

Então, ao sair pela porta, o segurança da loja agarrou os nossos pescoços…  A próxima coisa que eu soube, é que eu estava na delegacia… Meu pai foi chamado e ele veio me levar para casa. Quando eu cheguei em casa, eu recebi a vara de correção.

Foi uma importante lição para mim: não deixar os pecadores me seduzirem. Ensine seus filhos a escolherem como companheiros pessoas que elevem seus valores, que sejam boas influências para eles.

“Filho meu, se os pecadores procuram te atrair com agrados, não aceites.” (1:10). Os versículos seguintes do capítulo 1 mostram que esse é um caminho para a morte. Ensine a seu filho: “você é quem tem que selecionar seus companheiros e não eles selecionarem. Você não pode simplesmente atender a qualquer convite de ‘junte-se a nós!’. Se você tem sabedoria, ela irá protegê- lo” (cap. 2:11-15).

Agora, o lado positivo: “Para andares pelos caminhos dos bons, e te conservares nas veredas dos justos. Porque os retos habitarão a terra, e os íntegros permanecerão nela. Mas os ímpios serão arrancados da terra, e os aleivosos serão dela exterminados.”

Ouça, deixe-me dizer-lhe alguma coisa, muito simples: não deixe que seus filhos façam amizade com pessoas que possam corrompê-los. “Não se deixem enganar: “as más companhias corrompem os bons costumes” (1 Cor. 15:33).

Você deve estar certo de que orienta seus filhos na escolha de seus companheiros. “Não entres pela vereda dos ímpios, nem andes no caminho dos maus. Evita-o; não passes por ele; desvia-te dele e passa de largo.” (Pv 4:14-15). Os ímpios não sabem onde tropeçam (4:19).

Conduza seus filhos a fazerem amizades com as pessoas que amam a Cristo, que amam a Palavra de Deus. Os pais têm que ensinar a seus filhos a selecionar os seus companheiros.

Em Provérbios 18:24, há uma declaração interessante: “O homem de muitos amigos pode chegar à ruína, mas há um amigo mais chegado do que um irmão.” Uma análise superficial desse texto pode fazer com que ele pareça estranho.

Mas, a primeira palavra “amigos” e a segunda palavra “amigo” são duas palavras diferentes no hebraico. A primeira é rea’. O sentido do texto é “Um homem que tem muitas conexões, muitos conhecidos, irá à ruína.”

A palavra hebraica para ‘amigo’ é ‘aheb’, que significa um companheiro amoroso, mais achegado do que um irmão. É esse tipo de amigo que você deve buscar. Amizades entre irmãos e irmãs nutridas de amor e carinho. Alguns próximos, amigos queridos, que sejam leais, honestos e edificantes. Esses são preciosos.

Agora, relacionamentos superficiais, baseados em raso conhecimento, podem ser mortais. Vivemos em um mundo muito patético também quando se trata de amizade. As pessoas vivem cercadas de amigos via internet, que certamente não se encaixam no amigo aheb de Provérbios 18:24.

Você precisa de amigos queridos, e não de amigos do facebook. Estar em relacionamentos variados através das redes sociais levará você a se conectar com conhecidos que podem te arrastar para o mal. Talvez não necessariamente para o crime, mas para a autopromoção, autoexaltação, orgulho, frivolidade, tolice.

Portanto, é dever dos pais ensinar seus filhos a selecionar seus companheiros.

Agora, isso nos leva à quinta lição: ‘ensine seu filho a ter controle sobre o próprio corpo’. Mas, este assunto é tão extenso nos primeiros capítulos de Provérbios, que eu vou falar sobre ele na próxima semana.

Abordaremos a questão da moralidade. E eu sei que quando pensamos em criar os filhos nesta cultura, uma das coisas que nos atinge de maneira mais espantosa é a imoralidade dominante desta cultura.

Com certeza, você pode concluir a partir de tudo o que já tratamos até aqui que a paternidade é um trabalho em tempo integral. A boa notícia: você tem o manual aqui na Palavra de Deus. E se você está disposto a gastar o tempo e esforço, poderá proporcionar sombra para os seus filhos. E podemos, pela graça de Deus, levantar uma geração que irá fazer o mesmo para a próxima e assim sucessivamente. Esse deve ser o nosso compromisso.

Porém, alguns de vocês que têm ouvido todas essas verdades e ainda são solteiros por opção e podem estar pensando: ‘Eu não estou pronto para ter filhos.’ Mais uma vez, eu não sei o que você está esperando. Acho que o que você precisa dizer é, se você é homem: ‘Senhor Jesus, eu quero compartilhar minha vida com uma jovem para amá-la como Cristo ama a Igreja, protegê-la, apoiá-la, para que eu possa desfrutar de um casamento segundo Tua vontade, e que Tu permitas que ela seja uma esposa idônea, para que possamos criar  filhos para Tua glória e Tua honra’.

E se você é uma jovem fiel a Cristo, só precisa dizer: ‘Eu te peço um homem que me ame assim como Cristo ama a Igreja, e que, juntos, possamos honrar a Cristo, como um casal e como pais.’

Não usem critérios superficiais para escolher com quem se casar, para formar uma família. Casamento é a graça da vida e filhos são uma bênção do Senhor.

Pai, nós Te agradecemos que nos foi dado o poder do Espírito Santo para nos ajudar nesta difícil tarefa de criar  filhos em um mundo hostil, e que nos foi dada a Palavra, a revelação que temos em nossas mãos, que quando a lemos, ela assume os nossos pensamentos e, portanto, governa nossas vidas.

Temos o Teu poder em nós, internamente, e temos a Palavra, externamente.

E com a Palavra e o Espírito, podemos realizar essa tarefa; e não apenas realizá-la como se fosse algum exercício doloroso, mas podemos fazê-la com alegria e bênção, para que os filhos se tornem um conforto e uma delícia para nossas almas.

Oramos para esse fim, e oramos para que a partir de pessoas aqui na Grace Comunity Church, Tu possas levantar uma geração piedosa.

Comprometemo-nos com esta verdade. Que Teu Espírito trabalhe em nossos corações para a Tua glória. Amém.


Este sermão é uma série de 4:

Criar sombras para os filhos (1)
Criar sombras para os filhos (2)
Criar sombras para os filhos (3)
Criar sombras para os filhos (4)


Este texto é uma síntese do sermão “Creating Shade for Your Children, Part 3”, de John MacArthur em 24/01/2016.

Você pode ouvi-lo integralmente (em inglês) no link abaixo:

https://www.gty.org/resources/sermons/90-481/creating-shade-for-your-children-part-3?Term=Creating%20shade%20for%20your%20children

Tradução e síntese feitos pelo site Rei Eterno


Você pode gostar...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *