A derrocada do Brasil

Imprimir
Neste ano de 2016, estamos contemplando mais um capítulo da derrocada irreversível do Brasil.
Não estou falando da gravíssima crise econômica e seus nefastos impactos.
Refiro-me às trevas espirituais patrocinadas por governantes malignos, por setores perversos da sociedade e por uma nuvem de falsos cristãos que transformaram o Santo Evangelho em um conto de fadas.

Se você é um “cristão politizado”, cheio de argumentos humanos, que interpreta a história de uma forma humanista, não leia este texto. Ele vai te aborrecer.
Aliás, se você tivesse vivido na época em que Jesus estava na terra, certamente você seria mais um daqueles que clamaria por sua morte.

Jesus nunca interpretou as coisas humanamente.
Ele estava diante de terríveis questões políticas, econômicas e sociais, mas não disse uma só palavra sobre esses assuntos.
Ele sabia que Israel não precisava de libertação de Roma, mas do príncipe das trevas.
Ele apenas disse que seu reino não era deste mundo e que seus discípulos deveriam buscar este reino acima de tudo e em detrimento de tudo, até mesmo de suas próprias vidas.
Esta foi sua vida, pregação e o chamamento que fez a todos os seus discípulos. Este é o evangelho.

Minha infância aconteceu entre as décadas de 1970 e 1980.
Não entendia o porquê de a TV exibir uma tela de liberação e classificação da “censura federal” antes de cada programa.
Ouvia “cristãos politizados” repudiarem aquilo. Eles queriam liberdade de expressão, assim como o mundo queria.
Naquela época a Bíblia podia ser pregada sem qualquer censura ou limites, em qualquer lugar. Não havia patrulhamento do que se chama hoje de “politicamente correto”.
A moral bíblica ainda prevalecia na sociedade, mesmo entre aqueles que não haviam nascido de novo.
Mesmo as imundas novelas da Rede Globo terminavam com um casamento entre um homem solteiro e uma mulher solteira.

Bem, hoje temos a tão sonhada “liberdade de expressão” que uma geração de cristãos desejava.
Qual foi o resultado? A pornografia, a violência, o homossexualismo, os ataques estrondosos à família, o feminismo maligno, o rebaixamento do papel do homem e a tirania infantil e dos adolescentes são exibidos em todos os canais, todos os dias, o dia todo.
A Bíblia é repudiada e atacada ferozmente. Deus é blasfemado sistematicamente.

Tornou-se crime o simples ato de se mencionar princípios bíblicos elementares, principalmente quando se referem à família.
A censura está presente mais do que nunca, só que agora disfarçada do “politicamente correto”, com aval dos pretensos “defensores da liberdade”, sustentada pela justiça e voltada essencialmente contra Deus.
A TV transformou-se definitivamente em um esgoto a céu aberto, que tem escandalizado até mesmo aos ímpios.
E a cada dia que passa, este esgoto está ainda mais podre e cumprindo um papel determinante em destruir todo o resto de herança bíblica na sociedade.

Na TV surgiram os marreteiros da fé. Homens fraudulentos que distorcem as verdades bíblicas para fins obscuros.
Eles estão alinhados com o sistema maligno e gozam de prestígio social, poder politico e financeiro.
Satanás uniu os inimigos declarados e os inimigos disfarçados do Evangelho de Cristo.
Esta estratégia tem sido eficaz e conduziu o Brasil a ser uma nação inimiga de Deus e com um cristianismo apóstata.

Bem, o que ganhamos no campo político?
Tiramos os militares do poder e os substituímos por homens nefastos, corruptos e inimigos de Deus.
Não há distinção de partidos políticos quanto a isto. Todos são inimigos de Deus.

Por fim, desde 2002, o país pôs no poder os grupos esquerdistas, que são, notadamente, mais aguerridos e organizados no combate à Palavra de Deus.
Os mesmos grupos que se preparavam para dar um golpe em 1964 e receberam um contragolpe em resposta às suas intenções.
Em todos os países em que eles chegaram ao poder, os verdadeiros cristãos sofreram duras perseguições. E até mesmo cristãos nominais foram perseguidos.
Após três mandatos consecutivos, temos uma tragédia instalada no País.
Não falo dos milhões de desempregados, mas na crise moral irreversível que assolou a nação.

A corrupção foi institucionalizada em todos os níveis de poder.
A justiça está sob suspeita de manipulação. O Congresso Nacional manchado por uma relação obscura com o executivo.
A presidência da república tornou-se suspeita de crimes aberrantes, contínuos e bem entrelaçados em toda a máquina pública.
Ou seja, um quadro estúpido e vergonhoso. A sociedade contempla este terrível exemplo de seus líderes.
O que esperar dela? Seus líderes são de origem da mesma sociedade.

Pior que tudo isto, as agendas de diversos grupos anticristãos ganharam explosivos avanços nos últimos anos.
Estamos assistindo a uma nação apagando toda e qualquer herança bíblica. O pecado foi institucionalizado.
O governo tornou-se o mais poderoso agente em prol da destruição da família, que é seu alvo principal.
Aliado com os demais poderes da república, grande parte da sociedade, da imprensa, meios artísticos, científicos etc., a Bíblia está sendo banida da nação.
Estão sendo construídas as bases para prisões legais daqueles que manterão sua fé na Palavra.

A delinquência juvenil aumenta o terror de um país em que 57.000 pessoas são assassinadas por ano.
Temos índices de mortes violentas superiores a todos os países em situação de guerra.
A maior parte desses jovens criminosos é oriunda da desagregação familiar.
Seus pais ficam impunes e os delinquentes juvenis ainda ganham a proteção de “ficha limpa” após os 18 anos de idade.
Por outro lado, o governo caça, como criminosos perigosos, os pais que decidiram educar seus filhos em casa, formando-os em todos os sentidos, produzindo cidadãos pacíficos, respeitadores e capacitados.
O braço satânico estatal é avassalador contra quem não segue os ditos de seu príncipe.

Olhando para frente, sabemos que este é um quadro irreversível.
Estamos em tempos do fim. Satanás está avançando até ser aniquilado por Cristo em sua volta.
Não fomos chamados a participar de um combate político. Jesus não fez isto e nem nos ensinou a isto.
Fomos chamados à oração, à obediência ao Evangelho e ao cumprimento da missão que Jesus nos deu.

O futuro do Brasil não é diferente do futuro do mundo: Destruição total.
Seus governantes são apenas agentes do inferno que estão trabalhando para patrocinar os projetos satânicos.
Esperamos apenas pelo cumprimento da profecia que Daniel interpretou do sonho de Nabucodonosor:

“Mas, nos dias desses reis, o Deus do céu levantará um reino que não será jamais destruído; e este reino não passará a outro povo; esmiuçará e consumirá todos esses reinos, mas ele mesmo subsistirá para sempre” (Daniel 2:44)

Maranata! Ora vem Senhor Jesus!

Você pode gostar...

1 Resultado

  1. Osman Santos disse:

    Amém! Que Deus nos conceda graça e fé, nesses últimos dias.
    Nos ajudando a perseverarmos até o fim.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *