Considere seus caminhos – 1

Imprimir
AGEU 1
1 No segundo ano do rei Dario, no sexto mês, no primeiro dia do mês, veio a palavra do SENHOR, por intermédio do profeta Ageu, a Zorobabel, filho de Sealtiel, governador de Judá, e a Josué, filho de Jozadaque, o sumo sacerdote, dizendo:
2 Assim fala o Senhor dos Exércitos, dizendo: Este povo diz: Não veio ainda o tempo, o tempo em que a casa do Senhor deve ser edificada.
3 Veio, pois, a palavra do Senhor, por intermédio do profeta Ageu, dizendo:
4 Porventura é para vós tempo de habitardes nas vossas casas forradas, enquanto esta casa fica deserta?
5 Ora, pois, assim diz o Senhor dos Exércitos: Considerai os vossos caminhos.
6 Semeais muito, e recolheis pouco; comeis, porém não vos fartais; bebeis, porém não vos saciais; vestis-vos, porém ninguém se aquece; e o que recebe salário, recebe-o num saco furado.
7 Assim diz o Senhor dos Exércitos: Considerai os vossos caminhos.
8 Subi ao monte, e trazei madeira, e edificai a casa; e dela me agradarei, e serei glorificado, diz o Senhor.
9 Esperastes o muito, mas eis que veio a ser pouco; e esse pouco, quando o trouxestes para casa, eu dissipei com um sopro. Por que causa? disse o Senhor dos Exércitos. Por causa da minha casa, que está deserta, enquanto cada um de vós corre à sua própria casa.
10 Por isso retém os céus sobre vós o orvalho, e a terra detém os seus frutos.
11 E mandei vir a seca sobre a terra, e sobre os montes, e sobre o trigo, e sobre o mosto, e sobre o azeite, e sobre o que a terra produz; como também sobre os homens, e sobre o gado, e sobre todo o trabalho das mãos.
12 Então Zorobabel, filho de Sealtiel, e Josué, filho de Jozadaque, sumo sacerdote, e todo o restante do povo obedeceram à voz do Senhor seu Deus, e às palavras do profeta Ageu, assim como o Senhor seu Deus o enviara; e temeu o povo diante do Senhor.
13 Então Ageu, o mensageiro do Senhor, falou ao povo conforme a mensagem do Senhor, dizendo: Eu sou convosco, diz o Senhor.
14 E o Senhor suscitou o espírito de Zorobabel, filho de Sealtiel, governador de Judá, e o espírito de Josué, filho de Jozadaque, sumo sacerdote, e o espírito de todo o restante do povo, e eles vieram, e fizeram a obra na casa do Senhor dos Exércitos, seu Deus,
15 Ao vigésimo quarto dia do sexto mês, no segundo ano do rei Dario.

Ageu é um excelente livro para começarmos o ano. Este livro é frequentemente negligenciado. Os judeus consideravam os livros chamados de ‘Profetas Menores’ como um único livro. Então, Ageu não era visto separadamente, mas no conjunto com os outros livros proféticos, principalmente com o livro de Zacarias, pois ambos retratam a mesma época e as profecias são semelhantes.

Mesmo no meio cristão, Ageu não é um tema frequente nas pregações, bem como não é comumente estudado. Então, Ageu é um dos nossos mais negligenciados livros.

Ageu viveu numa época difícil da história de Israel. Um tempo de dúvida, de perigos, de um povo apático quanto ao Senhor, em que ele se levanta para despertar Israel para retornar ao Senhor.

O objetivo de olharmos para Ageu neste momento é lançar o desafio de cada um de nós considerarmos nossos caminhos, assim como Ageu desafiou o povo de Deus no seu tempo. Avalie sua maturidade espiritual, examine seu coração e avalie se você tem amado ao Senhor com o coração inteiro.

O contexto de Ageu é importante. Ele se encontra no final do Velho Testamento, quando o povo de Israel deveria estar reconstruindo o templo. Lembre-se que no capítulo 7 do livro de 2 Samuel, o rei Davi demonstra a intenção de ser o encarregado de construir o templo do Senhor. E qual a resposta do Senhor? Não! (vv. 5-7).

Mas, após a morte de Davi, Salomão é autorizado a construir o templo. E ele o constrói, e o dedica ao Senhor e o Espírito do Senhor encheu o templo. E a presença do Senhor estava lá. Então, não importa onde a pessoa estivesse naquele tempo, se ela desejasse ouvir a respeito do Deus de Israel, o único verdadeiro Deus, teria que ir ao templo em Jerusalém, pois nesse sentido era onde Deus habitava.

Mas, Israel não obedeceu ao Senhor. Israel se afastou do Senhor. E mesmo Salomão, que tinha construído o templo, se tornou infiel ao Senhor, tendo caído na idolatria, sob a influência de suas centenas de esposas e concubinas. E, diante da desobediência de Israel, as janelas de bênçãos foram fechadas e eles se tornaram alvo da ira de Deus.

O Senhor enviou profetas para confrontá-los, inimigos para capturá-los, mas mesmo os reis eram muito maus em sua maioria, e a nação foi ficando cada vez pior. Então, no final de 2 Reis, o povo foi sendo levado cativo. Família após família foi exilada na Babilônia. Israel se tornou cativo. O povo se foi. O templo foi destruído, devastado, incendiado pelos babilônios. Foi-se o Reino. Foi-se o rei, que foi pego como um peixe num anzol. Foi-se o povo. E o cativeiro duraria setenta anos.

Mas, então, os babilônios foram subjugados pelos persas. E estes tinham um jeito diferente de lidar com os povos conquistados. O estilo dos babilônios era destruir, devastar totalmente o reino conquistado. Mas, os persas tinham uma abordagem diferente. Preferiam administrar o vasto império permitindo que os povos conquistados ficassem em suas terras e que conservassem sua cultura e religião.

E, assim, o rei Ciro autorizou a volta dos judeus a sua terra. Isso foi profetizado por Isaías dois séculos antes de acontecer. Mesmo muito antes de o rei Ciro nascer, Isaías já tinha profetizado o retorno do cativeiro e deu o nome do rei que proporcionaria esse retorno: Ciro. (Is. 44:28). E o profeta Daniel, que foi exilado no início do cativeiro babilônico, profetizou sobre o tempo em que Israel voltaria a sua terra: após setenta anos.

O problema era que nem todos judeus retornaram. Quinze mil retornaram, segundo o registro de Esdras. Mas, muitos permaneceram em terras estrangeiras onde já tinham se estabelecido. Assim, Israel não tinha um número suficiente de homens para formar um exército, a fim de se defender, não tinha como repovoar todo o seu território.

Mas, a despeito das dificuldades, Esdras traz a ordem do Senhor para que aqueles que estavam retornando à terra de Israel reconstruíssem logo o templo. No Velho Testamento o templo era muito importante. Ali era onde estava a presença de Deus, era também o local dos sacrifícios, era onde estava o Santo dos Santos, era o centro da vida espiritual de Israel. Sendo assim, a tarefa número um para os que estavam retornando à terra de Israel era reconstruir o templo.

E essa não era uma tarefa fácil. Havia oposição. Os povos vizinhos temiam que a reconstrução do templo servisse para fortalecer Israel de tal modo que se tornasse uma ameaça para tais nações. As dificuldades estão descritas no livro de Esdras.

Mas, mesmo com todas as dificuldades enfrentadas, eles conseguiram terminar as fundações do templo (Esdras 3). E quando terminam as fundações, eles choraram se lembrando da glória do primeiro templo que havia sido destruído. O templo de Salomão era imenso, glorioso. E o que eles tinham agora, com muito esforço, era apenas uma fundação.

Então, eles pararam o trabalho nesse ponto. E dezesseis anos se passaram. Nesse tempo, nenhuma obra foi feita na construção do templo. Eles se tornaram indiferentes, apáticos. E Deus responde a essa apatia enviando dois profetas: Ageu e Zacarias.

Enquanto a maior parte do ministério profético de Zacarias está relacionado a visões celestiais e apocalípticas, Ageu é diferente. O seu ministério é confrontador. Ele lidou com a apatia do povo. Ele os confronta a terminar a obra. O livro de Ageu contém 4 sermões ou discursos exortativos dirigidos ao povo. Esses sermões foram pregados num período de quatro meses. Iremos analisar esses sermões e vamos estudá-los, dividindo-os da seguinte forma:

● CONSIDERE SEUS CAMINHOS
● CONSIDERE AS PROMESSAS DE DEUS
● CONSIDERE SEUS PECADOS
● CONSIDERE SEU DEUS

É o primeiro desses quatro sermões que nós iremos ver nessa manhã. Ele está contido no capítulo primeiro do livro de Ageu.

CONSIDERE SEUS CAMINHOS

CONSIDERE SUAS PRIORIDADES:

Ageu introduz esse sermão conclamando o povo a considerar suas prioridades. O versículo 1 do capítulo 1 começa dizendo: “No segundo ano do rei Dario, no sexto mês, no primeiro dia do mês…”. Bem, Ageu não está apenas fornecendo uma data aqui. Na verdade, ele está usando uma linguagem provocativa.

Se você está familiarizado com o modo de os profetas datarem suas mensagens no Velho Testamento, saberá que eles forneciam as datas tendo como referência o reinado de um rei israelita, fosse do Reino de Israel ou de Judá. Eles não apresentavam como referência um governo de um rei estrangeiro, ou persa (como é o caso aqui).

O que Ageu está provocando o povo a lembrar é: vocês perderam o seu rei!! Vocês não têm mais um rei nem para tomar como referência para o seu calendário! Vocês têm que se servir do nome de um rei persa! Ele os estava lembrando que tinham sido exilados por determinação de Deus.

“… veio a palavra do SENHOR, por intermédio do profeta Ageu, a Zorobabel, filho de Sealtiel, governador de Judá, e a Josué, filho de Jozadaque, o sumo sacerdote…”. A má notícia era que eles não tinham mais um rei. Mas, a boa notícia era que, apesar de o Senhor ter lhes tirado o rei, Ele lhes deu três líderes: um profeta (Ageu), um sacerdote (Josué) e um governante, que apesar de não ser um rei davídico em realidade, era a sombra de um descendente de Davi à frente de Israel (Zorobabel).

Eles perderam seu país, mas eles ainda tinham um profeta, para lhes falar as palavras do Senhor, tinham um sacerdote para lhes transmitir o perdão de Deus e tinham um governador, que era uma sombra da promessa do reinado davídico. Sabemos que a promessa da aliança davídica, em que um Rei voltará ao trono de Israel será cumprida na segunda vinda de Cristo, que é o Rei Eterno. Mas, a figura do governante aqui representava apenas uma sobra dessa promessa.

Isto é o que Deus lhes disse: “Este povo diz…”. Bem, se Deus vem a você e a primeira coisa que Ele fala é repetir o que você disse… você está encrencado. Quando Ele diz: “Eu ouvi o que você disse”… esse não é um bom começo de conversa para você. E o que o povo estava dizendo? Isso: “Não veio ainda o tempo, o tempo em que a casa do Senhor deve ser edificada.”

Em outras palavras, ‘não temos tempo para construir o templo agora, pois temos coisas mais urgentes para fazer’. A construção era de fato difícil. Havia a necessidade de suprimentos e eles tinham que enfrentar a oposição das nações vizinhas. Havia uma série de dificuldades. Eles tinham consciência que teriam que reconstruir o templo. Mas, julgavam que não tinha chegado o tempo de fazê-lo.

E assim, dezesseis anos se passaram desde que concluíram a fundação da construção. E aí aparece Ageu lhes dizendo: ‘por que vocês pensam que não chegou a hora de construírem o templo?!? Ele lhes diz: “Porventura é para vós tempo de habitardes nas vossas casas forradas, enquanto esta casa fica deserta?”(v.4). Ele os estava confrontando: ‘vocês não têm tempo para construírem o templo, mas puderam construir suas próprias casas! Não têm tempo para os interesses de Deus, mas o têm para seus próprios negócios!’

E assim Ageu traz o recado de Deus: “considerem seus caminhos!” (v.5). ‘Vocês têm que definir o que é mais importante em suas vidas, se vocês mesmos ou seu Deus!’ Deus estava dizendo a eles: ‘o problema de vocês são suas prioridades’. “Minha casa, que está deserta, enquanto cada um de vós corre à sua própria casa.” (v.9).

E quanto a você, irmão? Você tem esse tipo de desculpas em sua vida? Você diz: não posso ser generoso, porque não tenho dinheiro suficiente? Veja o que Ageu fala no versículo 6: “Semeais muito, e recolheis pouco; comeis, porém não vos fartais; bebeis, porém não vos saciais; vesti-vos, porém ninguém se aquece; e o que recebe salário, recebe-o num saco furado.” Essa é a realidade daqueles que nunca têm o suficiente para dar, para dividir. O Senhor dá a eles, mas nunca é o suficiente, nunca lhes satisfaz. Se você crer que nunca tem o suficiente para ser generoso, você nunca terá o suficiente.

Alguém assim pode dizer: ‘eu ganho U$30.000, não tenho como ser generoso, pois tenho que colocar comida na mesa.’ E, então, ele passa a ganhar U$40.000, ele se desculpará dizendo: ‘tenho que dar lazer a minha família!’. E se ele passa a ganhar U$50.000, dirá: ‘veja, preciso de mais de um carro, minha esposa tem que levar as crianças para a escola e precisa de um carro!. Mas, então, ele passa a ganhar U$80.000 e a desculpa será: ‘minha casa está pequena e ultrapassada, preciso de uma casa nova.’ E aí vai, até ele ganhar muito mais e achar que precisa ter o próprio avião…

Pessoas assim nunca terão o suficiente. A resposta de Deus para eles é: ‘não há nada que satisfaça vocês. Vocês nunca terão contentamento. Nunca se fartarão. Vocês colocam seu dinheiro em sacos furados.’ (v.6).

Calvino disse que há duas maneiras de Deus punir os não generosos: uma é a fome e a outra é abundância, mas sem satisfação. Podemos ver essas duas punições no texto de Ageu. A insatisfação (v.9) e a privação (vv. 10-11):

“Por isso retém os céus sobre vós o orvalho, e a terra detém os seus frutos. E mandei vir a seca sobre a terra, e sobre os montes, e sobre o trigo, e sobre o mosto, e sobre o azeite, e sobre o que a terra produz; como também sobre os homens, e sobre o gado, e sobre todo o trabalho das mãos.” (vv. 10-11).

Ou seja, a sua insatisfação, insaciedade era uma consequência natural para a sua negligência, seu egoísmo, mas os versos 10 e 11 nos falam de consequências sobrenaturais (a exemplo do que diz Deuteronômio 28). Ações de Deus. E por que Deus estava os disciplinando? “Por causa da minha casa, que está deserta, enquanto cada um de vós corre à sua própria casa.” (v.9). Eles eram tão centrados em si mesmos…

E quanto a você. Quais são as suas prioridades? Você também não tem o suficiente para ser generoso? O modo americano de pensar é sempre ganhar mais. A visão de que o que você tem pertence a você não é uma visão cristã, mas pagã. A visão cristã é de que sou apenas um mordomo. Tudo que tenho pertence a Deus. E Ele examina e julga como usamos os recursos que Ele nos confiou. E a nossa fidelidade abre a porta para que Ele nos confie mais recursos, mais talentos.

Quais são suas prioridades? Sua escala é: você primeiro, sua família em segundo lugar e Deus depois? Embora você e sua família sejam importantes, Deus tem que ocupar o primeiro lugar.

Ageu não estava pregando o sermão da pobreza, não estava os chamando a viver como monges, mas os estava alertando que o que eles possuíam se tornou um engano em suas vidas. Embora eles tivessem muito, eles sempre julgavam não ter o suficiente.

E as palavras do profeta Ageu, deram início a um reavivamento entre o povo. Esse é o segundo ponto: considere suas devoções.

■ CONSIDERE SUAS DEVOÇÕES:

“Então Zorobabel, filho de Sealtiel, e Josué, filho de Jozadaque, sumo sacerdote, e todo o restante do povo obedeceram à voz do Senhor seu Deus, e às palavras do profeta Ageu, assim como o Senhor seu Deus o enviara; e temeu o povo diante do Senhor.” (v. 12).

Deus enviou Ageu e trouxe Sua palavra a Ageu. A resposta do povo foi de arrependimento. Sua obediência demonstrou isso. Ouça: não há como servir a Deus e desobedecer Sua Palavra. Se você ignora a Palavra, você ignora Deus. Quando Deus fala, aí está a Palavra. Quando a Palavra fala, é Deus falando. Se você pensa ter alguma devoção a Deus, mas desobedece Sua Palavra, você está se enganando.

Deixe-me situá-lo um pouco mais acerca disso. Quando Davi expressou a Deus seu desejo de construir-Lhe o templo, a resposta de Deus foi: “Não preciso de seu templo!”. Mas, aqui em Ageu estamos vendo Deus exortando e punindo o povo por sua negligência em construir o templo. Como entender isso? A explicação é: o assunto de Deus com o povo não era o templo, mas o coração do povo.

E é por isso que o Senhor enviou Ageu. E quando ele prega, o povo se arrepende. E o sinal desse arrependimento está em sua devoção, sua obediência à Palavra do Senhor. Então, a questão aqui não se centrava no templo, mas na Palavra do Senhor e na obediência.

A palavra ‘reverência’ muitas vezes é traduzida na Bíblia como ‘temor’. Por exemplo, em Hebreus 12:28, quando se diz: “sirvamos a Deus agradavelmente, com reverência e piedade”, a palavra aí pode ser substituída por temor. Então, o pecado do povo era não temer (reverenciar) ao Senhor, nem à Sua Palavra. O seu arrependimento consistiu em temer ao Senhor e à Sua Palavra, em obedecê-la.

E eu pergunto a você: quais as suas devoções? O que ocupa seu coração? Você vive o que diz Mateus 6:33, “Busque em primeiro lugar o Reino de Deus e a sua justiça e as demais coisas lhe serão acrescentadas?” Ou você inverte a ordem, buscando as coisas que na verdade devem ser acrescentadas, não buscadas?

Você deve começar buscando a Deus, buscando-O através da Sua Palavra e as outras coisas não sào para ser buscadas, mas apenas acrescentadas. E quando você busca a Palavra de Deus, ela produzirá santo temor em você.

Onde está a sua devoção? Você age como aquele povo, negligenciando a Palavra de Deus? Bem, quando se fala em generosidade, a desculpa é nunca ter o suficiente. Mas, quando se fala em devoção, a desculpa sempre será falta de tempo.

Há tanta ocupação! Tanto para fazer, você diz. Vamos traçar um quadro do que seria essa falta de tempo nos dias de hoje? Bem, quando você é confrontado em ter uma vida devocional diária, você se desculpa: ‘estou tão atarefado… estou muito ocupado nessa fase da minha vida com trabalho, filhos, projetos… não tem sobrado tempo para orar, meditar na Palavra… mas é temporário, em dois anos vou estar menos ocupado…’. Alguns só vão ter tempo para uma vida devocional quando se aposentarem… sério? Realmente não têm tempo?

Ageu assistiu ao povo daquela época se desculpando por dezesseis anos. Pense se você fosse observado por dezesseis minutos na sua rotina… Isso seria mais ou menos dessa forma? Bem, você acorda e pega sua Bíblia e decide buscar ao Senhor meditando na Palavra e orando. Mas, antes, você precisa checar seus emails, porque pode ter algum urgente, importante. E há mesmo alguns importantes. Então você decide que precisa respondê-los imediatamente. E assim vai…

Mas, aí você se lembra que não checou seu facebook e, pode ter acontecido algo importante enquanto você estava dormindo e você precisa checar. Nisso, alguém respondeu um email seu e você precisa checar e responder de volta. E aí, quando você olha o relógio, está na hora de tomar o seu café da manhã e seguir seu dia de muitos afazeres. O tempo de estar com Deus se foi…

E, qual o motivo de tanta negligência de sua parte? A resposta é que você confia mais no homem do que em Deus. A final de contas, se você não responder logo a um email, você poderá desapontar alguém… Deus que espere… Posso ler a Bíblia amanhã.

Ouça o que diz Ageu: considere seus caminhos! A solução está em você temer a Deus e não ao homem. Está em você valorizar a Palavra do Senhor mais do que a sua própria vida.

Quando o povo ouviu as palavras de Ageu e se arrependeu e voltou a temer ao Senhor, veja o que o Senhor lhes diz através do profeta: “Eu sou convosco, diz o Senhor.” (v. 14). O ponto central aqui é Deus dizendo: ‘como você se arrependeu, eu estarei com você’. Que palavra de encorajamento para eles!

■ CONSIDERE SEU EVANGELISMO

O primeiro sinal de que Deus estava com o povo foi a obediência ao comando de Deus. “E o Senhor suscitou o espírito de Zorobabel, filho de Sealtiel, governador de Judá, e o espírito de Josué, filho de Jozadaque, sumo sacerdote, e o espírito de todo o restante do povo, e eles vieram, e fizeram a obra na casa do Senhor dos Exércitos, seu Deus,” (v.14).

Como você sabe se Deus está trabalhando em sua vida? Através da sua obediência a Ele. Qual a primeira bênção que o povo recebeu por ter se arrependido? Eles passaram a obedecer. Deus disse que estaria com eles (v.13), e então lhes enviou o Espírito (v.14) que lhes capacitou a obedecer. Isso é uma figura do que está em Filipenses 2:12,13: “assim também operai a vossa salvação com temor e tremor; Porque Deus é o que opera em vós tanto o querer como o efetuar, segundo a sua boa vontade.”

Você supõe que é você que está operando sua salvação e que é você que se conduz à obedecê-Lo, mas na verdade é o Senhor que está operando em sua vida e te levando a obedecê-Lo. O sinal de que Deus está trabalhando na vida de alguém é a obediência.

O falso evangelho da prosperidade afirma que se alguém obedece, será abençoado. Mas, não é isso que vemos no texto de Ageu. O que vemos aqui é que a bênção é a própria obediência. Pois se há obediência é porque Deus está trabalhando no seu coração.

O templo no Velho Testamento era onde Deus se manifestava. Ele habitava com o Seu povo, na Velha Aliança, através do templo. Mas, isso mudou com a vinda de Jesus. O Evangelho de João (cap. 2:19) relata que quando Jesus estava diante do suntuoso e magnífico templo, construído por Herodes, Ele declara: “Derribai este templo, e em três dias o levantarei.”

Jesus não estava falando de uma construção material, mas estava falando de Si mesmo. Ele é o templo. Assim como no Velho Testamento o templo era a manifestação de Deus, Jesus é a manifestação de Deus. Mas, os homens mataram seu corpo. Porém, Ele ressuscitou ao terceiro dia e ascendeu ao Céu. E, agora, a manifestação de Deus, o Seu templo, é a igreja. Paulo diz que nosso corpo é templo do Espírito Santo.

A igreja é o conjunto dos santos. É o templo do Senhor. É onde Ele habita. Pedro diz que somos as pedras que formam o edifício, a igreja. O mundo pode ver o amor de Deus quando observa o amor de um irmão para com o outro na igreja.

Essa construção em que estamos reunidos agora não é a igreja. Mas, nós somos. Você é. E se somos pedras na construção desse edifício e se devemos expandi-lo, a única maneira de o fazermos é através do evangelismo. Através da pregação do Evangelho, as pessoas virão a Cristo.

Você tem feito isto? Você valoriza o evangelismo? Ou há desculpas também para não fazê-lo, assim como aqueles israelitas davam desculpas para a sua negligência em construir o templo? Você evangeliza seus colegas de trabalho? Ou você se desculpa dizendo que não é uma atitude tolerada no lugar onde você trabalha? Sua carreira é tão importante, que você não pode correr o risco de perdê-la? Se é assim, posso te dizer que você não fala de Cristo em seu trabalho, porque sua profissão é mais importante do que Cristo.

Então, você só gasta seu dinheiro consigo mesmo, porque seu dinheiro é mais importante do que o Senhor. Você negligencia sua vida devocional, porque seu tempo é mais precioso que o Senhor. Você não evangeliza, porque não quer arcar com as consequências de falar de Cristo e ser perseguido.

Você vive para o Senhor ou para si mesmo?

Assim, como diria Ageu: ‘considere seus caminhos!!’.


Este estudo está dividido em 2 partes:

Considere seus caminhos – Parte 1
Considere seus caminhos – Parte 2


Este texto é uma transcrição e tradução do sermão “Consider your Ways”, de Jesse Johnson, em 03/01/2016.
Você poderá ouvi-lo integralmente (em inglês) no link abaixo:
https://youtu.be/_u-Q297u1Zo

Tradução e transcrição feitos pelo site Rei Eterno


Jesse Johnson é pastor da Immanuel Bible Church, em Springfield, Virgínia, EUA.
Site: http://immanuelbible.net/


Você pode gostar...

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.