O Caminho, A Verdade e A Vida é uma pessoa

Imprimir
“Eu sou o caminho, a verdade e a vida” diz o Senhor Jesus. Somos informados de forma clara que o caminho que Deus provê é Cristo, a verdade que Deus revela é Cristo e que a Vida que Deus concede, é , do mesmo modo, Cristo. Jesus é o nosso caminho, nossa verdade e nossa Vida. É através de Jesus que vamos ao Pai. No coração de Deus, aquilo que está relacionado a Ele é Jesus. Ele não nos deu muita coisa fora de Jesus.

Em assuntos espirituais,freqüentemente lidamos com questões que se tornam vazias e sem qualquer utilidade espiritual para nós. Precisamos então pedir a Deus que abra nossos olhos de modo que possamos conhecer Jesus. A essência do cristianismo reside no fato de sua fonte, profundidade e riqueza estarem vinculadas ao conhecimento do Filho de Deus. Não importa o quanto sabemos de doutrinas, métodos ou poder; o que realmente importa é conhecer o Filho de Deus.

O CAMINHO

Disse Jesus ; “Eu sou o caminho”. A palavra caminho também significa método. Então Jesus é o caminho pelo qual chegamos a Deus e o método que também alcançamos a Deus. Tendo a Ele, temos o caminho; possuindo-O, possuímos o método. Esse caminho nada mais é do que o próprio Cristo. Não é um método qualquer fora dele.

Alguns cristãos estão à procura de novos métodos espirituais. Certa vez, depois de ouvir uma mensagem a respeito da vitória através de Cristo e não por esforço próprio, um irmão disse ao pregador: “Por muitos anos tenho sido constantemente derrotado mas hoje está resolvido”. Ao que o pregador perguntou : “E como você sabe disso?”. O irmão respondeu : “Porque agora creio Ter achado um caminho para a vitória, Louvado seja Deus porque achei um método! A vitória é através do Senhor, não através de mim mesmo”. O pregador respondeu : “Se tudo que você achou foi um caminho para a vitória, então você vai ser derrotado novamente, porque o caminho e o método é o próprio Jesus. Deus não nos dá um caminho, Ele nos dá Jesus”.

Pela graça de Deus, um cristão tem seus olhos abertos para ver que tipo de pessoa ele é; portanto, ele se submete e crê no Senhor, confiando que o Senhor fará aquilo que ele não pode realizar sozinho. Mais tarde, porém, um outro cristão, ao ouvir o testemunho do primeiro, também pede a Deus para iluminá-lo para descobrir sua incapacidade. Ele também sabe que deve crer em Deus e que humildemente deve abandonar seu eu. No entanto, estranhamente ele não recebe a libertação que o primeiro experimentou. Como se explica isso? A razão é que o primeiro irmão possui uma fé viva que o capacita tanto a tocar como crer no Senhor, enquanto segundo está meramente copiando uma fórmula, ou seja, ele tem um método e não o Senhor.

Todas as coisas espirituais fora de Cristo são mortas. Não é porque alguém tenha aprendido uma série de métodos, que tal pessoa é um cristão, uma vez que as pessoas se tornam filhas de Deus através do novo nascimento, e não pelo aprendizado.

A VERDADE

A verdade não se refere a palavras a respeito de Cristo; Ele próprio é que é a Verdade. Freqüentemente, os cristãos consideram o ensino como verdades, embora a verdade seja uma pessoa e não algo mais.

“E conhecereis a verdade e a verdade vos libertará (Jo 8:32). Se verificarmos nossa experiência, verificaremos que jamais alguma verdade nos libertou. Podemos Ter falado de doutrinas anos a fio, e, ainda assim não enxergarmos nada. Se nossas palavras se resumem a mera doutrina, estamos manuseando algo morto, tendo como resultado algo artificial, sem vida.

Certa vez um irmão ficou ofendido com outro. Ele não tolerou uma ofensa e repreendeu furiosamente o irmão que o ofendera. Sentiu que deveria procurar o irmão e pedir perdão. Mas quando se lembrava da ofensa e fúria reacendia. Mesmo assim considerava que deveria pedir perdão. Começou a Escrever uma carta e por muitas vezes parou com a fúria em seu coração. Ate que um certo dia conseguiu terminá-la e postar no correio, porém a ira ainda estava em seu coração. Se ele encontrasse aquele irmão, poderia até mesmo cumprimentá-lo e apertar sua mão, mais no sue íntimo o problema estava lá. Ou seja, sua ação foi resultado da doutrina e não de vida.

A VIDA

Devemos deixar bem claro aqui que as obras não são vida porque vida não resulta de esforço, a vida é o próprio Cristo. Como as pessoas se esforçam para serem cristãs! Como nos cansamos com este esforço diário. Quão pesadas são as doutrinas que cobram de nós humildade, mansidão, perdão, paciência e santidade. Elas nos esgotam, literalmente. Muitos consideram que ser cristão é uma tarefa difícil. Quanto mais eles tentam, mais difícil a tarefa se torna. Depois de haver tentado por algum tempo, ainda não agem como cristãos. Irmãos, se Cristo não for a nossa vida, nós mesmos teremos que realizar as obras; mas se Ele for a vida para nós, não viveremos em esforço contínuo e vão.

Um erro muito grave é considerar a vida com algo que devemos conseguir por esforço. Devemos deixar bem claro que a vida flui naturalmente resultando em obras, mas as obras não substituirão a vida. Temos pessoas que tem um bom temperamento, raramente causam problemas, são gentis e nunca discutem; mas não se pode dizer que tenham vida espiritual rica. Se essas virtudes procedem de sua natureza humana, não são vida, pois elas não vêm de Cristo.

O que é a Vida? A vida é mais profunda que pensamentos e emoções. Tanto pensamento quanto emoções são coisas externas, O que é então a vida? O senhor Jesus disse : “Eu sou a vida”.

Não devemos nos precipitar em concluir que encontramos a vida quando tudo o que encontramos é uma atmosfera espiritual excitante. A experiência tem mostrado que muitos daqueles que são especialistas em criar um atmosfera excitante conhecem muito pouco ao Senhor. Muitas pessoas se emocionam facilmente, na verdade, conhecem muito pouco o Senhor. Somente Cristo é a vida, nada mais.

À medida que O conhecemos, tocamos a vida. Na presença de Deus devemos ver o significado de Cristo como a nossa vida. Aqueles que se emocionam facilmente ou que são demasiamente inteligentes não são necessariamente pessoas que conhecem o Senhor. Conhecê-lo requer uma visão espiritual.


Nota: Este texto é atribuído a Watchman Nee (1903-1972). Embora ele tenha escrito apenas um livro, há diversos livros com coletâneas de textos atribuídos a ele.  Alguns realmente duvidosos, pois também existem réplicas de textos atribuídas a outros autores. Há pontos doutrinários heréticos em alguns textos atribuídos a Watchman Nee, como, por exemplo: o Pai, o Filho e o Espírito Santo como sendo uma mesma pessoa. Porém, não sabemos se, de fato, foi ele quem defendeu tais ensinos.


 

Você pode gostar...

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.