Vencendo as tentações

Imprimir
“…Para que não sejamos vencidos por Satanás; Porque não ignoramos os seus ardis”. (II Cor. 2:11)

“E Jesus, respondendo, disse-lhe: Dito está: Não tentarás ao Senhor teu Deus. E, acabando o diabo toda a tentação, ausentou-se dele por algum tempo”. (Lucas 4: 12-13)

Há muitas coisas que podemos compreender nas tentações que Satanás lançou sobre Jesus no deserto.

Muitos imaginam que somente após 40 dias é que Satanás investiu contra Ele. Não. Em todo momento Satanás tentou desvia-lo da vontade do Pai.
Mas, após tanto tempo sem se alimentar e enfrentando as durezas do deserto, Satanás considerou ter chegado o momento ideal para fazer suas maiores investidas contra Jesus.
O inimigo sempre procura momentos em que somos mais frágeis para tentar nos enlaçar com seus enganos.

Ele ofereceu a Jesus a satisfação da concupiscência da carne, quando mandou que Ele transformasse pedras em pães.
Ofereceu a satisfação da concupiscência dos olhos, quando lhe mostrou os reinos do mundo e lhe ofereceu em troca de sua traição ao Pai.
E, por fim, ofereceu também a soberba da vida, ao convidá-lo a fazer uma exibição pública de auto-glorificação, sugerindo que ele pulasse do pináculo do templo para que os anjos viessem exibir um espetáculo de poder.
Por isso a Palavra diz:

“Não ameis o mundo, nem o que no mundo há. Se alguém ama o mundo, o amor do Pai não está nele. Porque tudo o que há no mundo, a concupiscência da carne, a concupiscência dos olhos e a soberba da vida, não é do Pai, mas do mundo. E o mundo passa, e a sua concupiscência; mas aquele que faz a vontade de Deus permanece para sempre”. (I João 2: 15-17)

O Senhor Jesus nos ensinou a orar para não cairmos em tentação (Lc. 22:40; Mc 14:38 etc.). A queda diante da tentação é resultado de sermos conduzidos por nossos próprios desejos carnais (Tg 1: 14).

“Bem-aventurado o homem que suporta a tentação; porque, quando for provado, receberá a coroa da vida, a qual o Senhor tem prometido aos que o amam”. (Tg. 1: 12).

Após vencer o inimigo e suas sugestões, Jesus gozou da presença santa do Senhor, quando os anjos vieram servi-lo (Mat. 4:11).
Mas, Satanás não havia desistido de atacá-lo, apenas ausentou-se dele por algum tempo (Lc. 4:13). Não podemos reduzir a vigilância diante de uma vitória contra Satanás, a carne, o mundo ou nosso ego.
Enquanto habitarmos neste corpo corruptível, temos que vigiar todos os dias, o dia todo.

“Sede sóbrios; vigiai; porque o diabo, vosso adversário, anda em derredor, bramando como leão, buscando a quem possa tragar.” (I Pe 5:8)

Devemos orar para não sermos tentados, mas se for necessário para nossa maturidade, para crescermos em graça, para consolidação das virtudes divinas em nós e para a glória de Deus que sejamos tentados, devemos sempre clamar ao Senhor para nos livrar do mal e do próprio maligno.
Também devemos ter a sólida segurança em andarmos dentro da Palavra de Deus. Ela nos guia nos altos caminhos do Senhor. Uma obediência incondicional às Escrituras Sagradas é uma posição inviolável contra o inimigo.
Ao crermos e obedecermos a ela, teremos o escudo e a espada para a luta contra Satanás (Ef. 6: 14-18). Sem fé e obediência, seremos alvos fáceis dos dardos inflamados do inimigo.

“Lâmpada para os meus pés é tua palavra, e luz para o meu caminho.” (Sl. 119:105)
“Escondi a tua palavra no meu coração, para eu não pecar contra ti.” (Sl. 119:11)
“Ordena os meus passos na tua palavra, e não se apodere de mim iniqüidade alguma.” (Sl. 119:33)
“A minha alma está pegada ao pó; vivifica-me segundo a tua palavra.”(Sl. 119:25)
“Com que purificará o jovem o seu caminho? Observando-o conforme a tua palavra.” (Sl 119:9)

Se andarmos na fé e obediência, haverá um limite para ação de Satanás. O Senhor não permite que seus filhos sejam tentados além do que podem suportar (I Cor. 10:13).
O inimigo sabe quando estamos fortalecidos pela graça divina e fechamos-lhe as portas. Mas ele também sabe quando estamos vulneráveis, fracos na fé, olhando para o mundo, vacilantes no relacionamento com Deus e sua Palavra e com inclinação à desobediência.
Quando estamos neste estado, abrimos-lhe as portas para que ele tente fazer o que mais sabe: Matar, roubar e destruir (João 10:10). Satanás ronda buscando a quem possa destruir, tal como um ladrão em busca de presas fáceis.

Momentos de paz e quietude não são garantias que o inimigo desistiu de nós. Ele é obstinado e seu prazer é destruir a obra de Deus em nossas vidas. Quando ele não pode fazer isto, ele buscará criar todo tipo de dificuldades, buscando atrasar ou diminuir o impacto da vontade de Deus em nós. Durante toda sua vida como homem, Jesus enfrentou Satanás de forma intensa, desde tentativas de glorificações humanas aos escárnios e morte. Jesus o venceu por nunca ter se afastado da vontade do Pai.

Charles Spurgeon citava, em seus sermões, algumas situações usadas por Satanás para nos atacar:

• Quando estamos ociosos
• Quando estamos sozinhos
• Quando estamos entregues à tristeza e depressão
• Quando estamos na companhia de pessoas não piedosas
• Quando uma enfermidade nos conduz ao desespero
• Quando estamos em dificuldades financeiras e perdemos a fé na provisão do Senhor
• Quando estamos em momentos de fartura e confiamos no que é perecível
• Quando experimentamos uma graça especial de Deus e sentimos segurança em nós mesmo
• Quando pecamos e tratamos o pecado superficialmente, sem confissão, e arrependimento
• Quando vencemos uma tentação e consideramos ter forças para vencer outras

Satanás ronda procurando ganhar vantagem sobre nós. Só temos uma alternativa: Vigiar. Que esta seja a minha e a sua atitude. Amém.

“Assim, sabe o Senhor livrar da tentação os piedosos, e reservar os injustos para o dia do juízo, para serem castigados; Mas principalmente aqueles que segundo a carne andam em concupiscências de imundícia, e desprezam as autoridades; atrevidos, obstinados, não receando blasfemar das dignidades” (II Ped 2: 9:10)

“Como guardaste a palavra da minha paciência, também eu te guardarei da hora da tentação que há de vir sobre todo o mundo, para tentar os que habitam na terra. Eis que venho sem demora; guarda o que tens, para que ninguém tome a tua coroa”. (Apoc. 22: 10-11)

Você pode gostar...

1 Resultado

  1. Joaquim Kassosso disse:

    Ajudou-me bastante, muita força.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.