Conhecimento sem comunhão com Deus

Imprimir
É fácil entender o que pensava grandes homens de Deus.
Mas imitar a vida deles é algo totalmente diferente.
Havia neles uma marca: Disposição de estar a sós com Deus.

Existe todo tipo de ministro por aí. E todo tipo de menino querendo ser um ministro.
Mas é raro ver algum que ama estar a sós com Deus.
Se você é um ministro de Deus, você deve se preocupar com as pessoas.
Se você não se preocupa com as pessoas, você não pode ser um ministro do evangelho.
Jesus morreu na cruz para agradar a Deus. Mas também morreu por nós.
Mas o nosso amor pelas pessoas não pode nos conduzir a agir de uma forma não bíblica.
E nos afastar da coisa que mais as pessoas precisam de nós.

As pessoas não precisam da pessoa do pastor simplesmente como um amigo.
Não precisam de um pastor primeiramente como educador.
A Igreja precisa que Ele seja um homem de Deus.
Alguém que passa a maior parte de seu tempo com Deus e cujos pensamentos são de Deus.
Que procura ouvir a Deus e que se separa para estar com Deus. Não somente através de intermediários e bons livros.
Não alguém que esteve a sós com Deus, mas que permanece a sós com Deus.

Precisamos repousar o corpo. Mas não é este repouso que vai nos dar vida.
A vida flui do trono de Deus. É a única fonte de vida. Ela só nos é dada na solidão com Deus.
Não precisamos de nenhum refúgio a não ser estar com Ele em profunda comunhão.

“E, levantando-se de manhã, muito cedo, fazendo ainda escuro, saiu, e foi para um lugar deserto, e ali orava. E seguiram-no Simão e os que com ele estavam. E, achando-o, lhe disseram: Todos te buscam”. (Marcos 1: 35-37)

Os discípulos quase que falam: “Não te importas com essas pessoas? Todos de procuram e estás aqui a sós?”
O pastor que pensa ser sua função resolver os problemas das pessoas vai ter o Diabo por trás de muito disso.
As pessoas não precisam de um pastor assim, mas de um homem de Deus.
E você será um homem de Deus na medida em que permanece na presença de Deus.
Não apenas lendo bons livros ou até mesmo a Bíblia. Mas sozinho com Deus. Em oração.
Falando com Ele. Ouvindo a Ele. Meditando Nele. Comungando com Ele.

Jesus era um homem de oração. E ninguém se importou com as pessoas como Ele.
O que de melhor Ele podia fazer? Permanecer em profunda comunhão com o Pai. Ser um homem de Deus.
Políticos são conhecidos por serem homens do povo.
Os pastores não devem ser homens do povo, mas homens de Deus que vão as pessoas com a sua Palavra.
Não podemos pregar sobre o que as pessoas querem ou consideram que precisam ouvir.
O profeta nunca pergunta a opinião ou vontade das pessoas.
Ele permanece em Deus e descobre o que Deus quer que as pessoas saibam.
E vai as pessoas e diz a elas. Quer elas queiram ou não. Essa é a diferença. (Ez. 2: 5-7)

“Se eu tenho muita coisa para fazer hoje, paro para orar por pelo menos 3 horas, ou não vou conseguir fazer nada”. (Lutero)

Oração não é apenas intercessão e listas de necessidades. Oração é comunhão com Deus. É um desejo de estar com Deus.
Cuidado se você tem muito desejo de aprender com homens e não muito desejo de ficar calado diante de Deus.
Concentrando apenas em bons livros, você aprende seus ensinos, mas não cria em você o que Deus criou no autor dele.
Podemos papagaiar a Glória de Deus, repetindo o que lemos e ouvimos, mas sem autoridade para falar dela.
E transformando o evangelho em apenas um pensamento correto. Nada mais. Você entende isto?
Sem nenhuma reação de lamentação e profunda contrição (Tg 4: 8-10)
Jesus era um homem de oração e não apenas de intercessão.
Deus não é um caça-níquel cósmico. Que se puxarmos a alavanca várias vezes vamos ter o que queremos.
Oração não é apenas dever. Nem é algo que faço porque é a coisa certa a fazer. É desejo de estar com Deus a sós.
Cristianismo não é uma lista de coisas corretas que devemos fazer para sermos um grupo de pessoas corretas.

“E a vida eterna é esta: que te conheçam, a ti só, por único Deus verdadeiro, e a Jesus Cristo, a quem enviaste”. (João 17:3)

A palavra hebraica traduzida como “conhecer” quer dizer “intimidade”
Conhecer a Deus não é ter dados corretos sobre Ele. Mas ter intimidade com Ele.
Conhecer sobre Deus é algo inútil. Conhecer a Deus é a Vida.
Sem conhecer a Deus, tudo que sabemos transforma-se em morte.

“E aconteceu que, estando ele a orar num certo lugar, quando acabou, lhe disse um dos seus discípulos: Senhor, ensina-nos a orar, como também João ensinou aos seus discípulos”. (Lucas 11:1)

“Ensina-nos a orar!” Não é surpreendente este pedido dos discípulos?
Não pediram para ensiná-los a andar sobre as águas, expulsar demônios, curar enfermos etc.
A marca que os discípulos viram em Cristo era sua vida de oração.
A oração faz o coração ser incendiado pelo evangelho. E não apenas convencido por ele.

Sintetizado pelo Site Rei Eterno de uma ministração de Paul Washer

Você pode gostar...

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.